3 Tendências do mercado de criptomoedas

3 Tendências do mercado de criptomoedas

luisa-pires

30 MAR

5 MIN

3 Tendências do mercado de criptomoedas

Você sabe quais são as tendências do mercado de criptomoedas que podem ter o maior potencial de valorização no ano? Hoje eu trouxe alguns segmentos do mundo cripto, como Metaverso, Web 3.0 e Tokens Sociais, para você ficar por dentro de todas as tendências.

Em 2021, mais de 300 milhões de pessoas já usavam criptomoedas, o que é enorme, mas é apenas o começo. A criptomoeda é a tecnologia adotada mais rápido na história da humanidade. Em comparação com o que sabemos, o nível de adoção na internet foi superior a 63% ao ano, entre 1990 e 2000.

O crescimento da taxa de adoção das criptomoedas foi de +113%, portanto, a essa velocidade, nos aproximaremos dos bilhões de usuários em 2022. Como? Mostrando que a tecnologia blockchain está mais no dia a dia do usuário do que ele imagina. Vou compartilhar agora 3 segmentos que considero bastante relevantes para mercado.

  • Metaverso
  • Web 3.0
  • Tokens Sociais

Boa leitura!

1 – Metaverso

A primeira tendência do mercado de criptomoedas que eu quero destacar é o Metaverso. E quando digo Metaverso, também inclui NFT e Gaming. Existem, simplesmente, muitas marcas que estão construindo sua imagem no Metaverso. Por exemplo, Adidas, Nike, Gucci, e Vans. Há muitas marcas prontas para usar no seu dia dia que querem ter seu lugar no Metaverso, e venha entender o porquê.

Logisticamente, é muito mais simples do que ter roupas físicas. Ele permite que eles tenham uma imagem de marca muito forte para as gerações mais jovens que, em última análise, passarão mais tempo no Metaverso.

Muitas marcas de luxo estão interessadas no Metaverso, e marcas como a Chipotle, na indústria de restaurantes, já investem no Metaverso. A maioria das marcas ainda não possuem uma estratégia criada para investir no Metaverso, mas todas elas querem fazê-lo de qualquer maneira.

Eu acredito que há uma boa chance do próximo Instagram, ou o próximo TikTok, ser um jogo blockchain em um Metaverso descentralizado. Por que? Simplesmente porque a experiência em um Metaverso será muito mais rica e real do que a vida e, finalmente, as novas gerações não vão querer passar horas em seu telefone rolando no TikTok ou Instagram.

Ainda assim, eles vão querer mergulhar em um universo para encontrar seus amigos e finalmente ter o mesmo uso que temos hoje nas redes sociais, mas em um Metaverso. Ainda acredito que grandes empresas, como a Meta (antiga Facebook) ou Ubisoft, serão observadas de perto pelos governos e terão dificuldades em criar suas criptomoedas, como vimos no caso do Facebook.

Suas empresas criaram hardware, como vimos com o Facebook que fez óculos de realidade virtual. Serão projetos como o Sandbox ou o Decentraland que vão liderar todo o lado do software do Metaverso.

E aqui está um pequeno gráfico que nos mostra a evolução do tempo gasto nas redes sociais de 2002 a 2019.

Aqui está um segundo gráfico, que nos mostra o tempo médio gasto em videogames por semana por país.

E como sabemos, o Metaverso se tornará cada vez mais uma rede social e finalmente misturará o lado dos videogames e das redes sociais. As pessoas podem gastar muito tempo nisso nos próximos anos. Pode ser assustador. Sei que pode ser difícil dizer “vamos gastar todo o nosso tempo no virtual”, mas acho que em termos de tecnologia é algo revolucionário.

2- Web 3.0

A segunda tendência do mercado de criptomoedas é a descentralização. Para entender o que é descentralização, gostaria de voltar a uma comparação entre a Web 2.0 e a Web 3.0.

Web 2.0

Web 2.0 é uma internet dominada por empresas que fornecem serviços contra nossos dados, por exemplo, Facebook, Google, Amazon, etc. No final, somos um pouco o produto dessas empresas, e damos dados para usar seus serviços.

Web 3.0

Já na Web 3.0, existem aplicativos descentralizados chamados Daaps, que funcionam em blockchain como o Ethereum. Um Daaps ou um aplicativo descentralizado seria como um Facebook, mas isso não seria dono e usaria nossos dados.

É uma maneira de se tornar o dono de nossos dados finalmente, e a descentralização permite as duas coisas.

A primeira é ter uma rede imbatível. Na Web 2.0, os dados são armazenados centralmente, o que significa que há um servidor enorme em um data center onde todas as informações são armazenadas, e no dia em que o data center quebra, é pânico.

Na Web 3.0, os servidores são descentralizados. Isso significa que todo o blockchain o banco de dados é armazenado em nós, então em muitos servidores em todo o mundo, e se um deles falhar, ainda há milhares deles que têm uma cópia do banco de dados em seus nós em seus servidores. E isso torna a web 3.0 extremamente robusta para todos os tipos de ataques.

O segundo ponto que a descentralização permite é a luta contra a censura.

Em 2017, por exemplo, a Turquia cortou o acesso à Wikipédia, e os turcos não puderam acessar os dados da página, que são armazenados em um servidor centralizado. O IPFS, uma versão descentralizada da Internet, permitiu que os turcos recuperassem o acesso à Wikipédia graças à descentralização.

Fonte: Twitter Turkey Blocks

3- Tokens sociais

Por último, a tendência do mercado de criptomoedas mais recente são os tokens sociais, que têm sido silenciosos e vão desempenhar um papel maior no universo de criptomoedas, NFT e Metaverso.

Um token social permitiria que criadores de conteúdo, para que pudesse ser um artista, um escritor, um streamer, finalmente transferir o valor desses conteúdos de plataformas centralizadas como o YouTube, por exemplo, para redes descentralizadas. Então, para finalmente retomar o controle e a posse de todo o seu conteúdo.

Assim, graças aos tokens sociais, os criadores podem monetizar o engajamento nas redes sociais, e os fãs de seus criadores de conteúdo na Internet têm uma nova maneira de interagir com o criador.

E os dois maiores projetos de token social, mas ainda muito pequenos em comparação com o resto dos projetos no mercado de criptomoedas são:

  • Rally. So Rally.io
  • FWB so “‘Friends with Benefits. »

No Brasil, temos o projeto de um contribuidor do TC Cripto, chamado Victor Carib, conhecido como Play4Change.DAO (HOME | My Site (play4change.io). O objetivo é aproveitar os jogos da Web 3.0, fornecendo NFTs para a comunidade, permitindo que eles gerem renda e aprendam sobre cripto.

Com o lema “jogue por uma vida melhor”, isso traz inclusão financeira, empoderamento educacional e transformação social. Isso é o verdadeiro futuro!

Baixe nosso app grátis! No TC você acompanha as principais notícias e cotações do mercado em tempo real, além de ter acesso a canais exclusivos para interagir com os melhores profissionais.

Aprenda com quem realmente entende de investimentos. Tire dúvidas, troque ideias, experiências e construa uma grande rede de networking com investidores de todo Brasil. Ah, e também temos cursos voltados para criptos, sabia? Clique aqui e conheça!

Por fim, também estamos no Instagram, YouTube e no TikTok. Acompanhe!

TC Cripto

Aprenda tudo sobre criptomoedas

E-BOOK

Aprenda tudo sobre criptomoedas

Neste e-book — “Aprenda tudo sobre criptomoedas”, trazemos informações importantes que você precisa saber antes de investir no mercado de criptoativos, com segurança, conhecimento e confiança.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.