IBOV

106.712,71 pts

-0,20%

SP500

4.662,27 pts

-0,01%

DJIA

35.954,90 pts

+0,12%

NASDAQ

15.566,76 pts

-0,28%

IFIX

2.793,71 pts

+0,38%

BRENT

US$ 86,47

+0,48%

IO62

¥ 709,50

+0,28%

TRAD3

R$ 4,45

-3,26%

ABEV3

R$ 14,92

-1,19%

AMER3

R$ 30,45

+0,46%

ASAI3

R$ 12,00

-1,07%

AZUL4

R$ 25,92

-1,55%

B3SA3

R$ 12,54

+2,61%

BIDI11

R$ 23,61

-1,00%

BBSE3

R$ 19,61

+0,82%

BRML3

R$ 8,56

+1,90%

BBDC3

R$ 17,48

+0,22%

BBDC4

R$ 20,99

+0,57%

BRAP4

R$ 27,70

+0,65%

BBAS3

R$ 30,45

+0,13%

BRKM5

R$ 49,75

-4,62%

BRFS3

R$ 23,95

-1,44%

BPAC11

R$ 19,84

+0,05%

CRFB3

R$ 14,48

+0,55%

CCRO3

R$ 11,27

-1,05%

CMIG4

R$ 12,76

+0,23%

HGTX3

R$ 37,51

+0,00%

CIEL3

R$ 2,12

+4,95%

COGN3

R$ 2,15

+3,36%

CPLE6

R$ 6,46

+1,89%

CSAN3

R$ 21,36

+0,66%

CPFE3

R$ 26,08

+0,50%

CVCB3

R$ 11,62

-0,76%

CYRE3

R$ 14,13

-0,42%

ECOR3

R$ 7,24

+0,55%

ELET3

R$ 31,52

-0,28%

ELET6

R$ 31,16

+0,22%

EMBR3

R$ 21,52

-2,22%

ENBR3

R$ 21,06

+1,25%

ENGI11

R$ 41,06

+0,22%

ENEV3

R$ 12,69

+0,39%

EGIE3

R$ 38,60

+0,54%

EQTL3

R$ 22,39

-1,01%

EZTC3

R$ 18,54

-0,37%

FLRY3

R$ 17,95

+0,11%

GGBR4

R$ 27,97

-1,09%

GOAU4

R$ 11,68

-0,51%

GOLL4

R$ 16,67

-1,53%

NTCO3

R$ 21,48

-1,46%

HAPV3

R$ 10,69

+3,68%

HYPE3

R$ 28,11

+0,39%

IGTA3

R$ 33,24

+0,00%

GNDI3

R$ 62,31

+3,04%

IRBR3

R$ 3,50

-1,12%

ITSA4

R$ 9,55

-0,07%

ITUB4

R$ 23,44

-0,25%

JBSS3

R$ 36,97

-1,12%

JHSF3

R$ 4,86

+0,20%

KLBN11

R$ 24,79

-2,09%

RENT3

R$ 50,59

-1,32%

LCAM3

R$ 22,65

-1,00%

LWSA3

R$ 8,56

+2,02%

LAME4

R$ 5,74

+1,05%

LREN3

R$ 23,84

-0,54%

MGLU3

R$ 6,18

-2,37%

MRFG3

R$ 23,29

-0,93%

BEEF3

R$ 10,04

-2,24%

MRVE3

R$ 11,07

-0,18%

MULT3

R$ 18,42

-0,37%

PCAR3

R$ 19,22

-3,46%

PETR3

R$ 34,63

+0,20%

PETR4

R$ 31,61

+0,50%

VBBR3

19,71

-0,60%

PRIO3

R$ 22,91

+0,04%

QUAL3

R$ 16,32

+2,44%

RADL3

R$ 20,79

-1,00%

RAIL3

R$ 16,39

+0,49%

SBSP3

R$ 35,18

+0,19%

SANB11

R$ 31,39

-1,47%

CSNA3

R$ 25,18

-2,10%

SULA11

R$ 23,32

+1,25%

SUZB3

R$ 62,28

-0,78%

TAEE11

R$ 36,07

+0,02%

VIVT3

R$ 47,84

+2,04%

TIMS3

R$ 12,86

+1,82%

TOTS3

R$ 25,40

+0,79%

UGPA3

R$ 12,92

-1,82%

USIM5

R$ 16,11

-2,06%

VALE3

R$ 84,27

-0,49%

VIIA3

R$ 3,91

-1,51%

WEGE3

R$ 30,29

-1,33%

YDUQ3

R$ 19,03

+0,68%

IBOV

106.712,71 pts

-0,20%

SP500

4.662,27 pts

-0,01%

DJIA

35.954,90 pts

+0,12%

NASDAQ

15.566,76 pts

-0,28%

IFIX

2.793,71 pts

+0,38%

BRENT

US$ 86,47

+0,48%

IO62

¥ 709,50

+0,28%

TRAD3

R$ 4,45

-3,26%

ABEV3

R$ 14,92

-1,19%

AMER3

R$ 30,45

+0,46%

ASAI3

R$ 12,00

-1,07%

AZUL4

R$ 25,92

-1,55%

B3SA3

R$ 12,54

+2,61%

BIDI11

R$ 23,61

-1,00%

BBSE3

R$ 19,61

+0,82%

BRML3

R$ 8,56

+1,90%

BBDC3

R$ 17,48

+0,22%

BBDC4

R$ 20,99

+0,57%

BRAP4

R$ 27,70

+0,65%

BBAS3

R$ 30,45

+0,13%

BRKM5

R$ 49,75

-4,62%

BRFS3

R$ 23,95

-1,44%

BPAC11

R$ 19,84

+0,05%

CRFB3

R$ 14,48

+0,55%

CCRO3

R$ 11,27

-1,05%

CMIG4

R$ 12,76

+0,23%

HGTX3

R$ 37,51

+0,00%

CIEL3

R$ 2,12

+4,95%

COGN3

R$ 2,15

+3,36%

CPLE6

R$ 6,46

+1,89%

CSAN3

R$ 21,36

+0,66%

CPFE3

R$ 26,08

+0,50%

CVCB3

R$ 11,62

-0,76%

CYRE3

R$ 14,13

-0,42%

ECOR3

R$ 7,24

+0,55%

ELET3

R$ 31,52

-0,28%

ELET6

R$ 31,16

+0,22%

EMBR3

R$ 21,52

-2,22%

ENBR3

R$ 21,06

+1,25%

ENGI11

R$ 41,06

+0,22%

ENEV3

R$ 12,69

+0,39%

EGIE3

R$ 38,60

+0,54%

EQTL3

R$ 22,39

-1,01%

EZTC3

R$ 18,54

-0,37%

FLRY3

R$ 17,95

+0,11%

GGBR4

R$ 27,97

-1,09%

GOAU4

R$ 11,68

-0,51%

GOLL4

R$ 16,67

-1,53%

NTCO3

R$ 21,48

-1,46%

HAPV3

R$ 10,69

+3,68%

HYPE3

R$ 28,11

+0,39%

IGTA3

R$ 33,24

+0,00%

GNDI3

R$ 62,31

+3,04%

IRBR3

R$ 3,50

-1,12%

ITSA4

R$ 9,55

-0,07%

ITUB4

R$ 23,44

-0,25%

JBSS3

R$ 36,97

-1,12%

JHSF3

R$ 4,86

+0,20%

KLBN11

R$ 24,79

-2,09%

RENT3

R$ 50,59

-1,32%

LCAM3

R$ 22,65

-1,00%

LWSA3

R$ 8,56

+2,02%

LAME4

R$ 5,74

+1,05%

LREN3

R$ 23,84

-0,54%

MGLU3

R$ 6,18

-2,37%

MRFG3

R$ 23,29

-0,93%

BEEF3

R$ 10,04

-2,24%

MRVE3

R$ 11,07

-0,18%

MULT3

R$ 18,42

-0,37%

PCAR3

R$ 19,22

-3,46%

PETR3

R$ 34,63

+0,20%

PETR4

R$ 31,61

+0,50%

VBBR3

19,71

-0,60%

PRIO3

R$ 22,91

+0,04%

QUAL3

R$ 16,32

+2,44%

RADL3

R$ 20,79

-1,00%

RAIL3

R$ 16,39

+0,49%

SBSP3

R$ 35,18

+0,19%

SANB11

R$ 31,39

-1,47%

CSNA3

R$ 25,18

-2,10%

SULA11

R$ 23,32

+1,25%

SUZB3

R$ 62,28

-0,78%

TAEE11

R$ 36,07

+0,02%

VIVT3

R$ 47,84

+2,04%

TIMS3

R$ 12,86

+1,82%

TOTS3

R$ 25,40

+0,79%

UGPA3

R$ 12,92

-1,82%

USIM5

R$ 16,11

-2,06%

VALE3

R$ 84,27

-0,49%

VIIA3

R$ 3,91

-1,51%

WEGE3

R$ 30,29

-1,33%

YDUQ3

R$ 19,03

+0,68%

A qualidade da informação contábil

igor-leite

14 OUT

5 MIN

A qualidade da informação contábil

A qualidade da informação contábil piorou ou melhorou após a adoção das normas internacionais (IFRS) no Brasil?

Um dos assuntos que por vezes surge na FinTwit é se a qualidade da informação contábil melhorou ou piorou após a adoção das normas internacionais (IFRS). Ou seja, será que a norma antiga brasileira (BRGAAP) entregava uma informação contábil melhor que a atual (IFRS)?

Dessa forma, o texto a seguir vem para apresentar evidências da literatura contábil que apontam qual lado está correto. Para melhor guiar o leitor o texto ficará dividido nos seguintes tópicos:

  • Conceitos da informação contábil
  • Revisão de literatura
  • Importância disso para o investidor

Boa leitura!

Conceitos da informação contábil

Antes de mais nada, destaca-se que a qualidade da informação contábil pode ser medida de uma ou de várias formas, não sendo um atributo fixo. Por isso, para fins desse texto, deveremos associar a qualidade da informação contábil aos quatro temas apresentados abaixo:

  1. Gerenciamento de resultado;
  2. Conservadorismo contábil;
  3. Persistência dos resultados;
  4. Value Relevance.

O gerenciamento de resultado é uma prática na qual as companhias utilizam de ações discricionárias para influenciar o resultado. Deve-se ressaltar que esse gerenciamento pode ocorrer por meio das próprias atividades da companhia (gerenciamento por atividade operacional) e por escolhas contábeis (gerenciamento por accruals).

Deve-se considerar também que as companhias podem ter diversos incentivos para gerenciar resultado, como os seguintes:

  1. Evitar perdas contábeis;
  2. Minimizar volatilidade nos resultados;
  3. Redução na carga tributária;
  4. Remuneração baseada em ações;
  5. Entre outras.

Devemos lembrar que o gerenciamento de resultado e fraude são coisas distintas, na qual esta é um ato intencional de manipular os números contábeis e o gerenciamento de resultado é realizado por meio de práticas discricionárias da gestão.

Por sua vez, o conservadorismo contábil tem duas formas: a primeira é o condicional, em que quando existe a prática do conservadorismo condicional, as companhias tendem a refletir de forma mais rápida as notícias “ruins” do que as “boas” (BASU, 1997).

Já o conservadorismo incondicional é aquele em que existe uma relação em adotar valores menores para ativos e receitas, e maiores valores para passivos e despesas (BALL; SHIVAKUMAR,2005).

No caso do conservadorismo, também temos algumas motivações que são:

  1. Contratos;
  2. Tributação;
  3. Regulação contábil;
  4. Entre outros.

A existência de contratos faz com que a contabilidade seja conservadora, pois em virtude da existência bem antiga dos contratos, as contabilizações são feitas baseadas neles e quando não se possui existe um certo receio na contabilização.

Já a respeito da tributação, quando a companhia é mais conservadora no registro das suas receitas, a sua tributação passa a ser menor e, por fim, a regulação contábil também influencia o conservadorismo contábil.

A persistência dos resultados é uma qualidade da informação na qual os usuários da informação vão utilizar os resultados da companhia como forma de prever se é válido realizar o investimento.

Por fim, a value relevance vai medir a relação que existe entre o valor de mercado das empresas e os números contábeis que são divulgadas. Sendo assim, a value relevance vai medir a capacidade que a informação contábil tem de capturar as informações que impactam o preço das ações (GONÇALVES; LEMES, 2018).

Portanto, depois de entender os conceitos, apresentaremos um quadro que vai evidenciar cada um desses atributos e se seu impacto é positivo ou negativo na qualidade da informação contábil.

Qualidade da Informação Impacto
Gerenciamento de resultado Quanto mais gerenciamento, pior deve ser a qualidade da informação contábil.
Conservadorismo Quanto mais conservador, pior deve ser a qualidade da informação contábil.
Persistência dos resultados Quanto mais persistência nos resultados, melhor deve ser a qualidade da informação contábil.
Value relevance Quanto melhor a informação contábil, maior deve ser o valor de mercado da companhia.

Assim, depois de entender os conceitos que tratamos no texto, iremos para uma pequena revisão de literatura a fim de entender se o IFRS melhorou ou piorou a qualidade da informação contábil.

Revisão de literatura

O estudo de Muller (2014) teve como objetivo analisar o impacto da adoção obrigatória das IFRS a partir de 2005 na qualidade da informação contábil nos mercados europeus. Para tanto, utiliza a métrica de valeu relevance para medir a melhoria da qualidade da informação contábil.

Dessa forma, o estudo utilizou como base as empresas listadas nos três maiores mercados europeus (Deutsche Börse, London Stock Exchange e NYSE Euronext), com dados de 2003 a 2008. Como resultado, o estudo identificou que houve uma melhora na qualidade da informação contábil quando comparamos o período pré-IFRS e o pós-IFRS.

O estudo de Dimitropoulos et al. (2013) utilizando como base as empresas listadas na Grécia, com dados do período de 2001 a 2008, também identificou a melhora na qualidade da informação, por meio da redução de gerenciamento de resultado e maior value relevance da informação.

Partindo para o continente africano, o estudo de Out, Zzili e Eisenberg (2017) teve por objetivo analisar se houve um aumento da value relevance após a adoção das IFRS na África Oriental. Como resultado, o estudo identificou que houve uma melhora no value relevance após a adoção da IFRS.

Por fim, chegando no Brasil, os estudo de Silva e Nardi (2017) e Silva, Brighenti e Klann (2018) identificaram que houve uma melhoria na qualidade da informação contábil após a adoção das IFRS no Brasil.

Importância disso para o investidor

Este texto busca apontar que as normas internacionais vieram para melhorar a qualidade da informação contábil.

Por meio de estudos acadêmicos, evidenciou-se que com a entrada das IFRS no Brasil houve um diminuição do gerenciamento de resultado e aumento do value relevance.

Desse modo, consideramos que houve uma melhora na qualidade da informação das companhias brasileiras.

Referências

BALL, Ray; SHIVAKUMAR, Lakshmanan. Earnings quality in UK private firms: comparative loss recognition timeliness. Journal of accounting and economics, v. 39, n. 1, p. 83-128, 2005.

BASU, Sudipta. The conservatism principle and the asymmetric timeliness of earnings1. Journal of accounting and economics, v. 24, n. 1, p. 3-37, 1997.

DIMITROPOULOS, Panagiotis E. et al. The impact of IFRS on accounting quality: Evidence from Greece. Advances in Accounting, v. 29, n. 1, p. 108-123, 2013.

GONÇALVES, Wesley Daniel Barbosa; LEMES, Sirlei. A Relação dos Gastos com P&D com a Qualidade da Informação Contábil. Contabilidade Vista & Revista, v. 29, n. 2, p. 68-95, 2018.

MÜLLER, Victor-Octavian. The impact of IFRS adoption on the quality of consolidated financial reporting. Procedia-Social and Behavioral Sciences, v. 109, p. 976-982, 2014.

OUTA, Erick Rading; OZILI, Peterson; EISENBERG, Paul. IFRS convergence and revisions: value relevance of accounting information from East Africa. Journal of Accounting in Emerging Economies, 2017.

SILVA, Alini da; BRIGHENTI, Josiane; KLANN, Roberto Carlos. Efeitos da convergência às normas contábeis internacionais na relevância da informação contábil de empresas brasileiras. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL-Universidade Federal do Rio Grande do Norte-ISSN 2176-9036, v. 10, n. 1, p. 121-138, 2018.

SILVA, Ricardo Luiz Menezes; NARDI, Paula Carolina Ciampaglia. Full adoption of IFRSs in Brazil: Earnings quality and the cost of equity capital. Research in International Business and Finance, v. 42, p. 1057-1073, 2017.

Colaborador do TC School

Aprenda tudo sobre contabilidade

E-BOOK

Aprenda tudo sobre contabilidade

Neste e-book — “Contabilidade”, trazemos informações e conceitos importantes sobre contabilidade financeira.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.