IBOV

112.006,47 pts

+1,63%

SP500

4.420,07 pts

+1,46%

DJIA

34.585,97 pts

+0,84%

NASDAQ

14.498,59 pts

+2,47%

IFIX

2.772,94 pts

-0,70%

BRENT

US$ 89,99

+2,02%

IO62

¥ 773,00

+0,98%

TRAD3

R$ 4,58

+4,80%

ABEV3

R$ 15,02

-0,33%

AMER3

R$ 35,16

-0,39%

ASAI3

R$ 12,41

+0,89%

AZUL4

R$ 28,06

+4,23%

B3SA3

R$ 13,83

+3,82%

BIDI11

R$ 25,42

+7,21%

BBSE3

R$ 21,18

+0,23%

BRML3

R$ 9,29

+0,10%

BBDC3

R$ 18,28

+0,21%

BBDC4

R$ 22,14

-0,04%

BRAP4

R$ 27,28

+0,66%

BBAS3

R$ 31,80

-1,11%

BRKM5

R$ 48,70

-2,36%

BRFS3

R$ 23,13

-0,51%

BPAC11

R$ 23,87

+5,71%

CRFB3

R$ 15,77

+2,00%

CCRO3

R$ 12,41

+2,14%

CMIG4

R$ 12,95

+1,40%

HGTX3

R$ 37,51

+0,00%

CIEL3

R$ 2,22

+1,83%

COGN3

R$ 2,57

+4,04%

CPLE6

R$ 6,92

-0,14%

CSAN3

R$ 22,68

+3,27%

CPFE3

R$ 28,12

-0,24%

CVCB3

R$ 13,86

+7,27%

CYRE3

R$ 17,34

+6,18%

ECOR3

R$ 7,60

+1,06%

ELET3

R$ 34,84

+2,38%

ELET6

R$ 33,98

+1,95%

EMBR3

R$ 20,84

+0,38%

ENBR3

R$ 21,34

-0,51%

ENGI11

R$ 42,57

+1,02%

ENEV3

R$ 13,21

+2,48%

EGIE3

R$ 39,22

-0,43%

EQTL3

R$ 22,38

+0,90%

EZTC3

R$ 21,55

+4,35%

FLRY3

R$ 19,18

+0,73%

GGBR4

R$ 28,15

+2,77%

GOAU4

R$ 11,71

+2,09%

GOLL4

R$ 17,51

+3,97%

NTCO3

R$ 24,33

+4,69%

HAPV3

R$ 12,48

+3,82%

HYPE3

R$ 30,07

+2,07%

IGTA3

R$ 33,24

+0,00%

GNDI3

R$ 71,42

+3,05%

IRBR3

R$ 3,28

+3,14%

ITSA4

R$ 9,82

+0,82%

ITUB4

R$ 24,09

-0,08%

JBSS3

R$ 35,29

-2,35%

JHSF3

R$ 6,12

+5,15%

KLBN11

R$ 24,42

+1,20%

RENT3

R$ 58,90

+5,65%

LCAM3

R$ 26,04

+4,91%

LWSA3

R$ 9,44

+3,85%

6,56

+0,30%

LREN3

R$ 28,16

+4,25%

MGLU3

R$ 7,01

+4,31%

MRFG3

R$ 23,41

-0,93%

BEEF3

R$ 9,69

-0,51%

MRVE3

R$ 13,31

+6,22%

MULT3

R$ 21,00

+2,89%

PCAR3

R$ 21,68

+1,54%

PETR3

R$ 37,17

+3,82%

PETR4

R$ 34,02

+3,12%

VBBR3

21,83

+1,34%

PRIO3

R$ 23,81

-0,29%

QUAL3

R$ 17,74

+1,66%

RADL3

R$ 22,05

+2,08%

RAIL3

R$ 16,98

+0,95%

SBSP3

R$ 36,70

+2,97%

SANB11

R$ 33,30

+0,51%

CSNA3

R$ 26,39

+3,85%

SULA11

R$ 24,99

+3,43%

SUZB3

R$ 56,20

-0,89%

TAEE11

R$ 37,76

-0,60%

VIVT3

R$ 47,83

-1,28%

TIMS3

R$ 12,63

-2,62%

TOTS3

R$ 27,53

+4,35%

UGPA3

R$ 14,56

+3,92%

USIM5

R$ 16,47

+1,91%

VALE3

R$ 84,66

+0,71%

VIIA3

R$ 4,44

+2,06%

WEGE3

R$ 31,10

+2,98%

YDUQ3

R$ 21,27

+2,35%

IBOV

112.006,47 pts

+1,63%

SP500

4.420,07 pts

+1,46%

DJIA

34.585,97 pts

+0,84%

NASDAQ

14.498,59 pts

+2,47%

IFIX

2.772,94 pts

-0,70%

BRENT

US$ 89,99

+2,02%

IO62

¥ 773,00

+0,98%

TRAD3

R$ 4,58

+4,80%

ABEV3

R$ 15,02

-0,33%

AMER3

R$ 35,16

-0,39%

ASAI3

R$ 12,41

+0,89%

AZUL4

R$ 28,06

+4,23%

B3SA3

R$ 13,83

+3,82%

BIDI11

R$ 25,42

+7,21%

BBSE3

R$ 21,18

+0,23%

BRML3

R$ 9,29

+0,10%

BBDC3

R$ 18,28

+0,21%

BBDC4

R$ 22,14

-0,04%

BRAP4

R$ 27,28

+0,66%

BBAS3

R$ 31,80

-1,11%

BRKM5

R$ 48,70

-2,36%

BRFS3

R$ 23,13

-0,51%

BPAC11

R$ 23,87

+5,71%

CRFB3

R$ 15,77

+2,00%

CCRO3

R$ 12,41

+2,14%

CMIG4

R$ 12,95

+1,40%

HGTX3

R$ 37,51

+0,00%

CIEL3

R$ 2,22

+1,83%

COGN3

R$ 2,57

+4,04%

CPLE6

R$ 6,92

-0,14%

CSAN3

R$ 22,68

+3,27%

CPFE3

R$ 28,12

-0,24%

CVCB3

R$ 13,86

+7,27%

CYRE3

R$ 17,34

+6,18%

ECOR3

R$ 7,60

+1,06%

ELET3

R$ 34,84

+2,38%

ELET6

R$ 33,98

+1,95%

EMBR3

R$ 20,84

+0,38%

ENBR3

R$ 21,34

-0,51%

ENGI11

R$ 42,57

+1,02%

ENEV3

R$ 13,21

+2,48%

EGIE3

R$ 39,22

-0,43%

EQTL3

R$ 22,38

+0,90%

EZTC3

R$ 21,55

+4,35%

FLRY3

R$ 19,18

+0,73%

GGBR4

R$ 28,15

+2,77%

GOAU4

R$ 11,71

+2,09%

GOLL4

R$ 17,51

+3,97%

NTCO3

R$ 24,33

+4,69%

HAPV3

R$ 12,48

+3,82%

HYPE3

R$ 30,07

+2,07%

IGTA3

R$ 33,24

+0,00%

GNDI3

R$ 71,42

+3,05%

IRBR3

R$ 3,28

+3,14%

ITSA4

R$ 9,82

+0,82%

ITUB4

R$ 24,09

-0,08%

JBSS3

R$ 35,29

-2,35%

JHSF3

R$ 6,12

+5,15%

KLBN11

R$ 24,42

+1,20%

RENT3

R$ 58,90

+5,65%

LCAM3

R$ 26,04

+4,91%

LWSA3

R$ 9,44

+3,85%

6,56

+0,30%

LREN3

R$ 28,16

+4,25%

MGLU3

R$ 7,01

+4,31%

MRFG3

R$ 23,41

-0,93%

BEEF3

R$ 9,69

-0,51%

MRVE3

R$ 13,31

+6,22%

MULT3

R$ 21,00

+2,89%

PCAR3

R$ 21,68

+1,54%

PETR3

R$ 37,17

+3,82%

PETR4

R$ 34,02

+3,12%

VBBR3

21,83

+1,34%

PRIO3

R$ 23,81

-0,29%

QUAL3

R$ 17,74

+1,66%

RADL3

R$ 22,05

+2,08%

RAIL3

R$ 16,98

+0,95%

SBSP3

R$ 36,70

+2,97%

SANB11

R$ 33,30

+0,51%

CSNA3

R$ 26,39

+3,85%

SULA11

R$ 24,99

+3,43%

SUZB3

R$ 56,20

-0,89%

TAEE11

R$ 37,76

-0,60%

VIVT3

R$ 47,83

-1,28%

TIMS3

R$ 12,63

-2,62%

TOTS3

R$ 27,53

+4,35%

UGPA3

R$ 14,56

+3,92%

USIM5

R$ 16,47

+1,91%

VALE3

R$ 84,66

+0,71%

VIIA3

R$ 4,44

+2,06%

WEGE3

R$ 31,10

+2,98%

YDUQ3

R$ 21,27

+2,35%

IRB Brasil (IRBR3)

IRB Brasil (IRBR3)

IRBR3

IRB Brasil (IRBR3)

Líder disparada no setor de resseguros brasileiro, a IRB Brasil foi fundada como estatal sendo a primeira resseguradora do país e detentora do monopólio do setor por 69 anos com o intuito de reter no Brasil os riscos envolvidos nessa operação assim como as suas reservas, além de, acumular a posição de reguladora do setor até 2007 quando houve a criação da SUSEP.

O ano de 2020 marca a virada da IRB para o seu “novo normal” (até melhor que anteriormente, no quesito gestão), depois da substituição do antigo management que estava gerindo para benefício próprio ao invés de para a companhia e seus acionistas.

Nesse texto, buscaremos compreender a empresa IRB Brasil Resseguros S.A.(IRBR3) perpassando pelos seguintes pontos:

  1. O que faz IRB Brasil (IRBR3)
  2. Modelo de negócios IRB Brasil (IRBR3)
  3. Governança corporativa IRB Brasil (IRBR3)
  4. IRB Brasil é uma empresa ESG?
  5. Evolução de IRB Brasil na Bolsa de Valores
  6. Como analisar IRB Brasil (IRBR3)
  7. Notícias de IRB Brasil (IRBR3)

O que faz IRB Brasil (IRBR3)

Instituto de Resseguros Brasil, tradução literal da sigla IRB, na época da sua criação por decreto de lei em 1939, era antiga sua razão social. A atuação inicial da firma focava em seguros de incêndio, mas, ao longo do tempo, a companhia estendeu seu portfólio para diversos segmentos desde a agrário até aeronáutico. Além disso, a IRB mostrou sua importância nacional ressegurando ou segurando projetos como: a fábrica de celulose da Klabin, os primeiros investimentos do BNDES, construção da Eletrobrás.

Com o fito de evitar a fuga de capital para o exterior e empoderar a economia nacional, o ressegurador iniciava sua missão de colaborar para o desenvolvimento do mercado de seguros com o emprego das reservas acumuladas no país. Mantendo o monopólio até 2007, o Congresso Nacional aprovou lei complementar que reabriu o mercado que havia sido fechado na época da criação da IRB. E, também nessa época é criada a Superintendência de Seguros Privados (SUSEP) para regular o setor de seguros.

Nessa época também, a empresa foi responsável por contribuir à SUSEP com uma base de dados histórica do mercado brasileiro. E, essa base permite à IRB um prêmio em relação a outros players concorrentes, pois, a partir dela e do próprio histórico da empresa é possível ter uma expertise e uma segurança maior na hora de aplicar o modelo de negócio sobre a precificação, subscrição e retrocessão dos seguros.

Tanto que em 2016 a AM Best, agência íntima ao estudo do setor de seguros e resseguros, pôs a IRB no ranking das 50 maiores emissoras de prêmios do mundo. Na média histórica entre 2014 e 2019 a IRB sempre apresentou uma participação de mercado acima dos 30%, tanto no mercado total como no mercado de resseguradores nacionais. 

Enfim, mesmo tendo um histórico positivo durante a sua trajetória, no início de 2020 a empresa passou por diversas polêmicas em relação à sua diretoria e governança, onde seus antigos componentes estavam a manipular em parte os acionistas e em parte a empresa, exclusivamente para benefício próprio. Isso porque, estes aprovaram uma política de remuneração variável de acordo com o lucro auferido pela companhia, e, assim, quanto mais a companhia apurasse lucro mais os diretores receberiam essa bonificação por resultado. E, para isto, usaram a manipulação contábil para inflar os lucros da IRB.

Toda essa situação veio à tona no mercado financeiro quando uma gestora divulgou um relatório extenso e detalhado apontando vários pontos inconsistentes da companhia que até então não haviam sido notados.

Após isso, ocorreram uma série de fatores que prejudicaram ainda mais a companhia e as suas ações, incluindo falsas declarações por parte dos antigos diretores de que Warren Buffett estaria comprado na companhia e aumentando a posição. Até que, a SUSEP, decidiu por aplicar uma medida de fiscalização da empresa com o envio de um secretário próprio para atuar dentro da empresa como um mentor e guia para boa conduta, remoldando a IRB aos padrões regulatórios. 

No tocante ao novo normal de IRB, a empresa já nomeou novos cargos substitutos aos anteriores que ou foram demitidos ou pediram demissão. E, a atual gestão sobre a liderança de Antônio Cássio dos Santos vem reformulando de forma muito eficiente a imagem desestabilizada que havia sido imposta à IRB por tais escândalos e a transparência da companhia com o mercado e seus acionistas, indo além deste âmbito, e, ajustando algumas inconsistências do negócio da IRB que é uma resseguradora muito importante a nível mundial.

Modelo de negócio da IRB Brasil (IRBR3)

O negócio de resseguros é bem complicado de se compreender até mesmo para quem tem alguma experiência no mercado, mas, basicamente, a empresa busca auferir receita por meio dos contratos de seguros e resseguros ofertados por ela.

Nesse sentido, a companhia se responsabiliza por cobrir o ativo envolvido no contrato, e, não havendo aviso de sinistro do ativo coberto a cada final de exercício, os ganhos com o capital (prêmios) envolvidos no contrato, os quais são aplicados à algum juros, ficam para a companhia.

Além disso, nos casos onde ocorrem sinistros, e, após segurar o cliente, a empresa vende o ativo que foi sinistrado e adquire uma receita em cima desta operação. Outra forma de gerar receita é por meio da retrocessão, que, nada mais é que uma diversificação conjunta a outras resseguradoras. Onde, ambas dividem os riscos entre si e consequentemente os prêmios. 

Governança corporativa IRB Brasil (IRBR3)

No quesito governança corporativa, a Companhia pertence ao Novo Mercado, segmento de listagem com os mais altos padrões de Governança Corporativa da B3. Todas as suas ações são ordinárias e possuem Tag Along de 100%. Segue a tabela abaixo com os principais diretores:

Principais diretores de IRB Brasil

IRB Brasil é uma empresa ESG?

A companhia contribui com a sociedade por meio de patrocínios a ações sociais, culturais e esportivas, com foco em contribuir para a melhoria de vida de crianças, adolescentes e idosos, prioritariamente, na área de saúde. No quesito ambiental, mesmo com o baixo impacto decorrente de suas atividades, busca-se o uso racional de recursos naturais e o descarte correto de resíduos produzidos na operação, levando essa determinação também para os seus fornecedores de produtos e serviços. 

Evolução da IRB Brasil (IRBR3) na Bolsa

Performance de IRBR3 no Ibovespa

Como analisar a IRB Brasil (IRBR3)

Receitas

As receitas são obtidas sumariamente através dos prêmios emitidos. É importante verificar como e onde a companhia irá compensar as receitas que deixaram de ser auferidas com os negócios que foram descontinuados no segundo trimestre de 2020. Assim como, acompanhar o Índice de Sinistralidade, que mede a relação dos prêmios ganhos com os prêmios emitidos, o que nos passa a informação se a empresa está “alavancada” operacionalmente ou não.

Custos

No geral os custos da IRB se referem a despesas com ativos dos sinistros ocorridos. É interessante acompanhar o Índice de Combinado, que mede a relação dos prêmios ganhos com as despesas administrativas da companhia, o que nos passa a informação se a empresa está eficiente operacionalmente em relação aos seus custos ou não.

Resultados de IRB Brasil (IRBR3)

Passivos

A principal questão dos passivos da IRB Brasil são suas provisões técnicas, ou seja, montante de capital que constitui uma reserva com o fito de cobrir compromissos futuros, que no caso da IRB são os sinistros que ocorrem com clientes. Basicamente são duas, a Provisão de Sinistros a Liquidar – PSL e a Provisão de Sinistros Ocorridos mas não Avisados – IBNR. Essa preocupação ocorre justamente porque foram as Provisões que a antiga gestão manipulou contabilmente em benefício próprio. Já que, seu subdimensionamento inflacionava o lucro da companhia que rentabilizava os gestores. E, isso tem um custo, o qual a companhia está passando por ele, a insolvência.

Ativos de IRB Brasil (IRBR3)

Para mais informações sobre empresas da bolsa acesse gratuitamente o TC Matrix. Com ele, você pode fazer análises relacionadas ao crescimento de receita, dívidas ativas, balanço patrimonial e muito mais para garantir que seu investimento tenha alta rentabilidade.

Últimas notícias de IRB Brasil (IRBR3)

Editora da Mover

Tudo o que você precisa saber sobre IPOs

E-BOOK

Tudo o que você precisa saber sobre IPOs

Neste e-book — "Tudo o que você precisa saber sobre IPOs", trazemos todas as informações que você precisa saber para entender sobre a abertura de capital de uma empresa no mercado financeiro.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.