IBOV

108.941,68 pts

-0,14%

SP500

4.389,62 pts

-1,79%

DJIA

34.213,89 pts

-1,36%

NASDAQ

14.422,54 pts

-2,20%

IFIX

2.810,25 pts

+0,20%

BRENT

US$ 87,62

+0,85%

IO62

¥ 752,50

+0,13%

TRAD3

R$ 4,55

+2,24%

ABEV3

R$ 14,69

+1,38%

AMER3

R$ 34,97

+2,31%

ASAI3

R$ 12,02

+0,58%

AZUL4

R$ 27,61

+1,61%

B3SA3

R$ 13,64

+2,94%

BIDI11

R$ 25,29

-0,66%

BBSE3

R$ 20,62

+0,34%

BRML3

R$ 9,20

+2,22%

BBDC3

R$ 17,45

-0,51%

BBDC4

R$ 20,86

-1,04%

BRAP4

R$ 27,65

-2,36%

BBAS3

R$ 31,14

-0,19%

BRKM5

R$ 48,20

-2,01%

BRFS3

R$ 22,69

-2,86%

BPAC11

R$ 21,29

-0,23%

CRFB3

R$ 14,87

+1,50%

CCRO3

R$ 12,10

+1,42%

CMIG4

R$ 12,99

-0,15%

HGTX3

R$ 37,51

+0,00%

CIEL3

R$ 2,07

-3,27%

COGN3

R$ 2,39

+1,70%

CPLE6

R$ 6,70

+0,60%

CSAN3

R$ 21,98

-1,87%

CPFE3

R$ 27,07

+0,78%

CVCB3

R$ 12,76

-0,07%

CYRE3

R$ 15,72

+3,21%

ECOR3

R$ 7,62

+0,26%

ELET3

R$ 33,99

+1,61%

ELET6

R$ 33,45

+2,38%

EMBR3

R$ 20,53

-2,33%

ENBR3

R$ 21,28

-0,56%

ENGI11

R$ 41,24

+0,04%

ENEV3

R$ 12,93

-0,07%

EGIE3

R$ 39,18

-0,55%

EQTL3

R$ 22,14

-0,53%

EZTC3

R$ 20,51

+3,16%

FLRY3

R$ 19,13

+3,46%

GGBR4

R$ 27,46

-4,08%

GOAU4

R$ 11,47

-3,61%

GOLL4

R$ 17,06

+0,29%

NTCO3

R$ 23,17

+4,27%

HAPV3

R$ 11,62

+3,75%

HYPE3

R$ 29,46

+1,51%

IGTA3

R$ 33,24

+0,00%

GNDI3

R$ 67,53

+3,43%

IRBR3

R$ 3,34

-5,11%

ITSA4

R$ 9,55

-0,62%

ITUB4

R$ 23,30

+0,04%

JBSS3

R$ 36,31

-0,02%

JHSF3

R$ 5,47

+5,80%

KLBN11

R$ 24,75

-3,35%

RENT3

R$ 54,90

+1,42%

LCAM3

R$ 24,46

+0,57%

LWSA3

R$ 9,00

+4,16%

LAME4

R$ 6,55

+2,02%

LREN3

R$ 26,44

+1,14%

MGLU3

R$ 6,90

+3,75%

MRFG3

R$ 22,44

+0,40%

BEEF3

R$ 9,86

+1,02%

MRVE3

R$ 12,04

+2,03%

MULT3

R$ 19,94

+1,78%

PCAR3

R$ 19,50

-2,15%

PETR3

R$ 34,59

+0,34%

PETR4

R$ 31,77

+0,15%

VBBR3

21,40

+0,51%

PRIO3

R$ 23,60

-2,47%

QUAL3

R$ 17,01

+0,41%

RADL3

R$ 21,00

+2,68%

RAIL3

R$ 16,98

-2,86%

SBSP3

R$ 35,98

-0,05%

SANB11

R$ 31,43

+0,83%

CSNA3

R$ 25,75

-2,27%

SULA11

R$ 24,01

-1,47%

SUZB3

R$ 59,59

-1,19%

TAEE11

R$ 37,98

+0,87%

VIVT3

R$ 48,36

-0,08%

TIMS3

R$ 12,92

+0,38%

TOTS3

R$ 26,63

+0,98%

UGPA3

R$ 13,85

+1,46%

USIM5

R$ 15,86

-4,28%

VALE3

R$ 84,91

-2,07%

VIIA3

R$ 4,35

+3,32%

WEGE3

R$ 30,61

-0,42%

YDUQ3

R$ 20,42

+2,10%

IBOV

108.941,68 pts

-0,14%

SP500

4.389,62 pts

-1,79%

DJIA

34.213,89 pts

-1,36%

NASDAQ

14.422,54 pts

-2,20%

IFIX

2.810,25 pts

+0,20%

BRENT

US$ 87,62

+0,85%

IO62

¥ 752,50

+0,13%

TRAD3

R$ 4,55

+2,24%

ABEV3

R$ 14,69

+1,38%

AMER3

R$ 34,97

+2,31%

ASAI3

R$ 12,02

+0,58%

AZUL4

R$ 27,61

+1,61%

B3SA3

R$ 13,64

+2,94%

BIDI11

R$ 25,29

-0,66%

BBSE3

R$ 20,62

+0,34%

BRML3

R$ 9,20

+2,22%

BBDC3

R$ 17,45

-0,51%

BBDC4

R$ 20,86

-1,04%

BRAP4

R$ 27,65

-2,36%

BBAS3

R$ 31,14

-0,19%

BRKM5

R$ 48,20

-2,01%

BRFS3

R$ 22,69

-2,86%

BPAC11

R$ 21,29

-0,23%

CRFB3

R$ 14,87

+1,50%

CCRO3

R$ 12,10

+1,42%

CMIG4

R$ 12,99

-0,15%

HGTX3

R$ 37,51

+0,00%

CIEL3

R$ 2,07

-3,27%

COGN3

R$ 2,39

+1,70%

CPLE6

R$ 6,70

+0,60%

CSAN3

R$ 21,98

-1,87%

CPFE3

R$ 27,07

+0,78%

CVCB3

R$ 12,76

-0,07%

CYRE3

R$ 15,72

+3,21%

ECOR3

R$ 7,62

+0,26%

ELET3

R$ 33,99

+1,61%

ELET6

R$ 33,45

+2,38%

EMBR3

R$ 20,53

-2,33%

ENBR3

R$ 21,28

-0,56%

ENGI11

R$ 41,24

+0,04%

ENEV3

R$ 12,93

-0,07%

EGIE3

R$ 39,18

-0,55%

EQTL3

R$ 22,14

-0,53%

EZTC3

R$ 20,51

+3,16%

FLRY3

R$ 19,13

+3,46%

GGBR4

R$ 27,46

-4,08%

GOAU4

R$ 11,47

-3,61%

GOLL4

R$ 17,06

+0,29%

NTCO3

R$ 23,17

+4,27%

HAPV3

R$ 11,62

+3,75%

HYPE3

R$ 29,46

+1,51%

IGTA3

R$ 33,24

+0,00%

GNDI3

R$ 67,53

+3,43%

IRBR3

R$ 3,34

-5,11%

ITSA4

R$ 9,55

-0,62%

ITUB4

R$ 23,30

+0,04%

JBSS3

R$ 36,31

-0,02%

JHSF3

R$ 5,47

+5,80%

KLBN11

R$ 24,75

-3,35%

RENT3

R$ 54,90

+1,42%

LCAM3

R$ 24,46

+0,57%

LWSA3

R$ 9,00

+4,16%

LAME4

R$ 6,55

+2,02%

LREN3

R$ 26,44

+1,14%

MGLU3

R$ 6,90

+3,75%

MRFG3

R$ 22,44

+0,40%

BEEF3

R$ 9,86

+1,02%

MRVE3

R$ 12,04

+2,03%

MULT3

R$ 19,94

+1,78%

PCAR3

R$ 19,50

-2,15%

PETR3

R$ 34,59

+0,34%

PETR4

R$ 31,77

+0,15%

VBBR3

21,40

+0,51%

PRIO3

R$ 23,60

-2,47%

QUAL3

R$ 17,01

+0,41%

RADL3

R$ 21,00

+2,68%

RAIL3

R$ 16,98

-2,86%

SBSP3

R$ 35,98

-0,05%

SANB11

R$ 31,43

+0,83%

CSNA3

R$ 25,75

-2,27%

SULA11

R$ 24,01

-1,47%

SUZB3

R$ 59,59

-1,19%

TAEE11

R$ 37,98

+0,87%

VIVT3

R$ 48,36

-0,08%

TIMS3

R$ 12,92

+0,38%

TOTS3

R$ 26,63

+0,98%

UGPA3

R$ 13,85

+1,46%

USIM5

R$ 15,86

-4,28%

VALE3

R$ 84,91

-2,07%

VIIA3

R$ 4,35

+3,32%

WEGE3

R$ 30,61

-0,42%

YDUQ3

R$ 20,42

+2,10%

"O Investidor em Ações de Dividendos", de Felipe Pontes e Orleans Martins

iris-sousa

17 DEZ

20 MIN

"O Investidor em Ações de Dividendos", de Felipe Pontes e Orleans Martins

Já pensou em ler um livro sobre investimentos que te ensina de forma simples e objetiva os caminhos para investir em ações de dividendos e se tornar um investidor bem sucedido? E além disso, embasados nas melhores explicações práticas, juntamente com comprovações científicas brasileiras e internacionais?

Você pode encontrar isso e ainda mais detalhes no mais novo livro do Diretor Educacional do TC, Felipe Pontes, e Orleans Martins, Head do TC Labs.

O livro reúne a experiência de mais de 10 anos de sala de aula e pesquisas científicas dos autores, juntamente com a vivência do mercado financeiro em um só lugar.

Na resenha de hoje vamos te apresentar um resumo geral do livro e os principais pontos de reflexão que são valiosas lições para investidores que querem ser bem sucedidos. O texto a seguir se divide da seguinte forma:

  • Visão geral do livro
  • A estratégia Dividend Investing 
  • Estrutura do livro: da análise básica ao valuation
  • Conclusão

Boa leitura!

Visão geral do livro

“O Investidor em Ações de Dividendos” aborda todos os pormenores da estratégia de investimento conhecida como dividend investing, trazendo análise de mais de 200 casos reais e constatações do mercado financeiro brasileiro e internacional

Um grande ponto forte do livro é seu aspecto prático embasado na ciência, mas sobretudo, transcrito de forma clara e objetiva, sem grandes “complicações científicas”. A partir de diversas pesquisas nacionais e internacionais, os autores trazem resultados que confirmam as perspectivas de sucesso alcançadas pelo dividing investing.

Além disso, traz ocorrências dessas análises no mercado brasileiro, apresentando um enorme suporte teórico e prático para os investidores que possam estar receosos de ter conceitos que se apliquem apenas em mercados super desenvolvidos como os Estados Unidos.

O livro ainda consegue incorporar em seu escopo os aspectos de preocupação dos investidores quanto à estratégia, sejam ligadas ao mercado (como essa estratégia se sairia em uma crise? e se o mercado estiver em baixa?) ou as ocorrências legais (legislação e tributação de dividendos).

No decorrer do livro conseguimos captar a filosofia de “paciência e longo prazo” que os autores pregam como essencial no processo de geração de patrimônio, sem esquecer dos aspectos individuais de cada investidor nessa jornada.

Com certeza a obra é enriquecedora para novos e experientes investidores, trazendo subsídio teórico, prático e científico quando o assunto é gerar riqueza e patrimônio (com plenitude, diga-se de passagem) através do mercado financeiro.

A estratégia Dividend Investing

Existem diversas estratégias de investimento quando falamos de investimento a longo prazo. No livro, os autores mencionam a estratégia que tem foco em empresas de valor (value investing) e a que preza por empresas de crescimento (growth investing). No intermédio das duas, o que as diferencia é o dividendo, que é a porção do lucro da empresa paga aos seus acionistas.

Nesse contexto, surge a técnica Dividend Investing, pois como afirmam “é possível encontrar empresas baratas que pagam dividendos e ainda conseguem crescer ao longo do tempo”. 

Os autores reforçam ainda que o dividend investing não privilegia apenas empresas de valor, “descontadas” ou “baratas”, mas também empresas que têm potencial de crescimento. Seu foco está em empresas com fundamentos financeiros sólidos, que pagam bons dividendos no presente e que tenham boas perspectivas de crescimento no futuro.

O que diferencia a estratégia das demais?

Ainda na introdução, os autores conseguem trazer as principais vantagens da estratégia. A partir de uma série de dados do mercado financeiro brasileiro, demonstram que a principal vantagem do dividend investing em relação às demais estratégias de investimento é com relação a constância de dividendos mesmo em períodos de crise (bear market).

Isso oferece ao investidor a oportunidade de continuar a comprar ações de boas empresas por preços menores (dado a baixa do mercado) com os próprios dividendos pagos por essas empresas.

Por outro lado, quando o mercado de ações está em alta (bull market), a alta dos preços das ações tende a ser explicada pelo aquecimento da economia, o que pode refletir o aumento dos lucros das empresas e, consequentemente, aumento dos dividendos distribuídos, podendo levar a valorização de suas ações.

Apenas na introdução do livro conseguimos captar diversos ensinamentos repletos de análise de dados históricos. Contudo, vamos conhecer melhor o restante da estrutura do livro e suas principais discussões.

Estrutura do livro: da análise básica ao valuation

“O Investidor em Ações de Dividendos” se divide em 18 capítulos, subdivididos em 6 seções que vão desde os entendimentos básicos até a parte mais complexa de valuation.

Nos pontos abaixo elencamos cada seção e o que abordam, bem como alguns trechos de destaque no decorrer do livro.

Seção I – Investidor e os Dividendos

Na primeira seção os autores introduzem todos os principais aspectos da estratégia dividend investing, embasados teoricamente e cientificamente nos conceitos inerentes a essa estratégia, como: formação de patrimônio em ações, oportunidades no mercado em baixa e em alta, como se comporta a estratégia diante dos cenários de crise e a base legal e de tributação dos dividendos. 

Além disso, ainda traz sobre a filosofia de grandes investidores como Lírio Parisotto (escritor do prefácio do livro), que servem de exemplo de sucesso para o uso da estratégia.

E a questão tributária?

Ainda na seção, os autores abordam no capítulo 3 o arcabouço legislativo brasileiro no que tange a obrigatoriedade de distribuição e tributação de dividendos e sua influência no desenvolvimento do mercado de ações brasileiro. 

No último ano, muito se foi falado sobre a volta da tributação dos dividendos.

No livro, isso é tratado como uma possibilidade, fazendo parte do valuation no passo a passo que os autores trazem nos últimos capítulos do livro (valuation da Engie e do Itaú). Sendo assim, os autores apresentam os resultados em um cenário sem tributação e, em caso de tributação, como isso afetará o valor da ação.

Citações

“Há maior probabilidade de um investidor adepto do dividend investing estar feliz no mercado de ações, seja no bear market ou no bull market. Quando o mercado está em baixa, a rentabilidade dos seus dividendos cresce; e quando o mercado está em alta, seu patrimônio é que cresce com a maior valorização das ações. Isso faz do dividend investing uma estratégia de investimentos de estilo único.”

“A escolha de ações para o investidor defensivo deve ser guiada por um mínimo de qualidade no desempenho passado e um mínimo de quantidade em termos de lucro. Muitos investidores veem na estratégia de investimentos para recebimento de dividendos no longo prazo uma ótima oportunidade de ter a famosa “renda passiva”.

Seção II – Entendendo o Dividend Investing

A segunda seção traz conceitos mais específicos e começa a incorporar outras óticas e conteúdos inerentes à estratégia de dividend investing.

Aqui, os autores explicam sobre política de dividendos, uma breve observação sobre fatores comportamentais, bem como a importância de reinvestir os dividendos para geração de riqueza. Além disso, o livro traz uma metáfora para explicar o dividendo e seu relacionamento com o valor da ação:

Imagine que a “ação com um dividendo” é como uma “galinha com um ovo”. Quando a galinha põe o ovo, a soma do peso da “galinha sem o ovo” com o peso do “ovo” é exatamente igual ao peso da “galinha com o ovo”. Com uma ação acontece algo parecido. Em teoria, o valor da “ação sem o dividendo” vai ser exatamente igual ao valor da “ação com o dividendo” menos o “dividendo” que foi pago. Esse é o processo de ajuste teórico.

Sendo assim, citando Benjamin Graham, o dividendo é um pagamento feito aos acionistas, mas que não é nada além do que ele já possui, pois ele já está embutido no valor da empresa.

Além dessa explicação, os autores incorporam o aspecto psicológico que está atrelado à relação do preço da ação com o dividendo. Aqui, refere-se ao chamado “efeito clientela”.

Perfis de investidores e estratégias de investimento

No mercado de ações, há diferentes perfis de investidores, com diferentes necessidades e estratégias de investimento. Alguns preferem o recebimento de dividendos e viram “clientes” das companhias que os distribuem com frequência. A suspensão ou alteração dos dividendos da empresa pode afastar esses investidores, criando uma pressão vendedora e negativa sobre o preço da ação.”

Outra questão importante é que algumas pessoas podem achar que a estratégia de dividend investing se relaciona com a pretensão de comprar uma ação, receber o dividendo e logo em seguida vendê-la. Sobretudo, o foco dela está em empresas sólidas e lucrativas que pagam bons dividendos de forma frequente, visando o longo prazo.

Através dos achados científicos, traz afirmações muito válidas, como investir em empresas com altos pagamentos de dividendos é mais rentável do que investir em índices de mercado, seja nos EUA ou no mundo.”

A escolha da vaca leiteira

Quando falamos de vaca leiteira, nos referimos a um jargão de mercado para designar aquelas empresas consideradas boas pagadoras de dividendos. Os autores trazem alguns aspectos que os investidores podem ficar atentos ao escolherem as referidas “cash cow” para investir. São eles:

  1. Defina critérios sólidos e confiáveis, preferencialmente já testados com dados (backtesting) para a seleção das empresas; 
  2. Utilize informações confiáveis para fazer a sua análise, preferencialmente de fontes oficiais; 
  3. Assegure que a empresa tenha um sólido histórico de bons resultados;
  4. Evite armadilhas de dividendos, como dividendos não recorrentes ou um dividend yield alto ocasionado pela queda do preço da ação devido à mudança para fundamentos ruins.

A mágica dos juros compostos

Além de obter boas pagadoras de dividendos, dois fatores são essenciais para o sucesso de qualquer investidor: paciência e persistência

Essas características são desdobradas pelos autores ao especificar a importância de reinvestir os dividendos para geração de mais riqueza ao longo do tempo. Mas, como esses dividendos poderiam ser investidos? Bom, os autores nos dá três opções igualmente viáveis:

  1. Em ações da própria empresa, no dia do recebimento do dividendo ou em dias que você ache que ação estará mais barata;
  2. Ações de outra empresa da sua carteira, cujo preço esteja mais vantajoso, com base na avaliação que você fez;
  3. Ou ainda, em outros ativos, seja em renda fixa ou em renda variável (como fundos, ou outras ações com foco em uma estratégia diferente).

Outro diferencial que vemos no livro é ir além da “dica” teórica, trazendo um caso real brasileiro do Itaú Unibanco, demonstrando na prática que o reinvestimento de dividendos faz diferença significativa nos retornos futuros de uma ação.

E, mais uma vez, os autores citam as sábias palavras de Benjamin Graham, que são totalmente oportunas as explicações:

O dividendo apropriado de uma ação é aquele pago ao acionista para lhe dar uma prova ou representação tangível do lucro da empresa, em resposta aos lucros reinvestidos no negócio pela empresa, em seu nome, ao longo de um período de tempo curto no passado recente.

As armadilhas dos dividendos

Os autores fazem o alerta de que muitas vezes os investidores podem ser atraídos de forma equivocada por alguns indicadores isolados que podem fazer parecer que aquelas empresas são ótimas pagadoras de dividendo.

Nesse sentido, descrevem e fazem alerta as mais comuns das armadilhas, tais como:

“Empresa com dividend yield alto porque o preço tem caído por aumento de risco ou perda de fundamento; e, empresa que pagou um alto dividendo, pontualmente, e provavelmente não voltará a fazer isso […]

Seção III – Fundamentos das empresas

Você já pode ter questionado o porquê das empresas pagarem dividendos ou como é feito o cálculo para o pagamento dos dividendos.

Essas explicações estão intrinsecamente relacionadas com os fundamentos de cada empresa. Na seção três, os autores discutem sobre a importância da persistência dos lucros da empresa sob o dividendo, bem como o aspecto mais formal do entendimento, atrelado ao dividendo existente nos dois diferentes tipos de ações: ordinárias e preferenciais.

Os autores deixam claro que os fundamentos das empresas são os pilares para a determinação da compra de uma ação e isso também deve ser observado na estratégia dividend investing.

O fato é que boas empresas conseguem gerar lucro, e, consequentemente, pagar dividendos. Entretanto, alguns investidores podem ser atraídos por uma distribuição maior em um determinado período, esquecendo o fator principal: aquela distribuição se justifica nos fundamentos da empresa? 

No livro, os autores trazem discussões sobre esses aspectos, fornecendo subsídios para uma análise adequada.

O papel do dividendo 

Citação

“A distribuição de lucros aos acionistas como dividendos é um meio pelo qual a empresa consegue reduzir a incerteza sobre seu desempenho futuro e sobre o possível aumento do patrimônio do acionista. Isso é especialmente importante em mercados mais arriscados e menos eficientes, como o brasileiro, fazendo com que o investidor prefira o recebimento de dividendos agora a um possível lucro maior no futuro.”

A citação do livro nos deixa claro qual o papel do dividendo na ponte entre empresa e investidor. Sobretudo, os autores fazem o alerta de que um dividendo alto hoje, não é garantia de um dividendo alto amanhã.

Sendo assim, não é correto fazer inferência sobre o aumento do lucro de uma empresa sem que haja fundamentos para isso.

Além disso, é importante o investidor ficar atento às mudanças nas políticas de dividendo das empresas, pois diferentes decisões empresariais podem ser indicativas interessantes.

“A realização de mudanças na política de distribuição de lucros pela empresa tem vantagens e desvantagens que representam reflexos sobre o valor econômico da empresa […]. Por exemplo: se a empresa decide cortar seus dividendos, ela pode melhorar sua posição de caixa, reduzindo suas dificuldades financeiras e até mesmo seu risco (especialmente o financeiro). Por outro lado, isso pode sinalizar que a empresa não tem confiança em retornos por lucros futuros, os quais não seriam suficientes para manter a saúde financeira da empresa.”

“Dividendo é lucro”

Como dito, a empresa distribui seus lucros em forma de dividendos, sendo assim, dividendo é lucro. 

Os autores trazem uma série de análises de dados de empresas e reflexões no que diz respeito a essa afirmação, conjuntamente com outras variáveis importantes que fazem parte da conjuntura empresarial, tal qual o ciclo de vida destas.

Já que dividendo é lucro, quais seriam as  características comuns de empresas lucrativas (e consequentemente, boas distribuidoras de dividendos)? 

Os autores afirma que “essa busca pode ser guiada por fatores como o estágio de ciclo de vida, o tamanho, o setor de atuação, o market share (participação no mercado), o posicionamento estratégico, entre outras características que sugerem um “balanço saudável” – isto é, níveis adequados de rentabilidade, liquidez e endividamento.”.

Além disso, é importante observar empresas que possuam um ponto de equilíbrio entre volumes de lucros reinvestidos e distribuídos, para que possam pagar bons dividendos e crescê-los no longo prazo. 

Outras considerações para escolha e a contabilidade

Outrossim, os autores alertam que não se deve tomar decisões apenas com base em um único indicador financeiro ou um pequeno conjunto de indicadores correlacionados. A procura por empresas segue dois passos básicos: busca por empresas com melhores fundamentos (uso de filtros para garimpar as empresas), e análise específica e criteriosa das melhores empresas.

A contabilidade desempenha o papel de demonstrar a posição financeira e patrimonial da empresa para os investidores a partir da informação contábil contida nos demonstrativos. Sendo assim, os investidores devem atentar-se a essa informação que é a linguagem do negócio.

“Não podemos simplesmente capturar números e índices aleatórios em diferentes fontes de informação não confiáveis para fazer um valuation. Para iniciar qualquer análise fundamentada em números financeiros de uma empresa, especialmente nos contábeis, o investidor tem de estar consciente de que esses números são influenciados tanto pelas atividades da empresa quanto pelo seu próprio modelo contábil.

No livro, os autores trazem aplicação prática de filtros aplicados ao setor de energia elétrica (primeiro passo da caça às empresas) e segue nas próximas seções explicitando passo a passo da análise específica (valuation).

Seção IV – Valuation por Múltiplos

Feito os filtros, parte-se para análise específica. Os autores inicialmente tratam sobre o valuation por múltiplos, estes que são indicadores úteis para a determinação do “valor justo” de um ativo em relação a outro ativo comparável (semelhante). 

Inicialmente, os autores apontam dois elementos que são de suma importância para esse tipo de valuation: padronização das medidas (divisão das medidas por algum fundamento da empresa) e utilização de empresas comparáveis.

“Para o investidor ter certeza sobre a comparabilidade das empresas que está analisando, é necessário conhecer os modelos de negócio das empresas, os riscos aos quais estão expostas, como elas “fazem dinheiro”, como seus lucros crescem, quem são seus principais concorrentes, qual é o seu estágio de ciclo de vida, etc.”.

Considerações ao valuation por múltiplos

Apesar de ser um meio mais facilitado para avaliação de uma empresa, o valuation por múltiplos pode ser um meio inconsistente de análise.

Os autores trazem essa afirmação dando duas explicações: a possibilidade de captação de medidas equivocadas, dado a facilidade de encontrá-las na internet; e, o humor de mercado, pois se o múltiplo possuir um numerador ou denominador medidas de mercado, poderá captar uma distorção.

Além das explanações de caráter mais geral, os autores trazem explicações específicas de múltiplos de lucro e múltiplos de dividendo, detalhando cada indicador pertencente aos dois grupos, e ainda, ao fazer o detalhamento da constituição destes, inferir os melhores a serem utilizados para a análise dos investidores.

Valuation na prática

Os autores trazem alerta de que na prática, a avaliação de empresas por meio de múltiplos pode ser feita de três formas, que podem ser utilizadas de forma separada ou de maneira complementar. São elas: 

  1.  Identificação de empresas subavaliadas: por meio da comparação dos múltiplos das empresas comparáveis do setor ou de todo o mercado; 
  2. Projeção de valor da empresa com base em médias: por meio da utilização de técnicas estatísticas a partir dos múltiplos históricos da própria empresa ou de um grupo de empresas comparáveis; 
  3. Transformação de múltiplos em fluxos de caixa descontados: por meio da decomposição de um múltiplo de valor em um modelo de fluxo de caixa descontado, considerando um ou mais estágios de crescimento.

Este capítulo tem caráter muito prático, trazendo vários dados, tabelas e análises. Sendo assim, cada uma dessas formas é trabalhada no livro com empresas brasileiras anteriormente detectadas nos filtros da primeira etapa de análise (empresas do setor de energia). 

Além disso, os autores ressalvam algumas questões, como a utilização do valuation por múltiplos como filtro preliminar à maiores análises e seu uso de forma complementar a valuation por fluxos de caixa descontados

Seção V – Valuation por modelo de Fluxo de Caixa

“[…] o valor de uma empresa é função de seus lucros esperados ou fluxos de caixa futuros. E quando falamos sobre fluxos de caixa, não estamos nos referindo exclusivamente à quantidade de dinheiro que a empresa recebe em determinado período nem mesmo a todo o lucro obtido pela empresa. Estamos nos referindo ao volume de recursos gerado pela operação da empresa e que “sobra” ou que está “livre” para os acionistas após as necessidades de capital da própria empresa.

No contexto da citação, os autores recapitulam que dividendos são do que os lucros que a empresa obtém e distribui aos seus acionistas.

Dessa forma, se a empresa possui um histórico consistente de dividendos pagos, é possível estimar o valor intrínseco da empresa a partir da projeção de dividendos futuros.

Essa seção tem um caráter mais prático, destrinchando toda a técnica relacionada com o valuation e ensinando passo a passo como utilizar essas técnicas no contexto da estratégia dividend investing.

Além disso, vale salientar que os autores fazem passo a passo o valuation das empresas Engie e Itaú.

Citações

“O valor intrínseco de uma ação é igual ao valor presente do somatório dos dividendos esperados ao longo de um período observável mais o valor residual da ação após esse período”.

“O valor de uma ação é função de seus dividendos futuros, que dependem da taxa de crescimento esperado.

Taxa de Crescimento

A taxa de crescimento é o elemento mais importante dentro de um valuation e, por sua vez, o mais difícil de estimar nesse processo. Sobretudo, toda taxa de crescimento possuirá dois componentes: um quantitativo e o outro qualitativo.

“O componente quantitativo pode ser capturado por meio da análise de elementos históricos, como a média da variação dos lucros ou dos dividendos passados. Já o componente qualitativo é mais difícil de ser mensurado, pois muitas vezes é intangível. Por exemplo: uma melhora no ambiente econômico nacional, a qualidade da gestão da empresa, uma vantagem competitiva que a empresa possui, etc.”

Após apresentar uma série de análise de dados, os autores reportam o consenso de que apesar do valuation de uma empresa ser repleto de números, ele não é totalmente objetivo. 

Estimando dividendos futuros

Dado que o livro tem a proposição de trazer a estratégia de investimentos de dividend investing, os autores apontam a estimação dos dividendos futuros, dado a exemplificação do valuation e seus fatores. Além disso, traz a aplicação e possibilidade de uso do modelo de desconto de dividendos (MDD).

Sendo assim, apontam que para a previsão dos dividendos futuros de uma empresa, é essencial identificar se há homogeneidade em seus históricos de lucros e de dividendos. 

O valuation é temporal, isto é, ele é válido para aquele momento, com aquelas informações; se alguma coisa muda, o valuation precisa ser revisado. 

“Além disso, há três fatores importantes na determinação do período para o qual você projetará os dividendos: (i) porte da empresa, (ii) crescimento ou retorno acima da média do setor e (iii) sustentabilidade de vantagens competitivas.”

“Uma das questões mais desafiadoras no valuation não é determinar “quanto” a empresa vai crescer na perpetuidade, mas sim “quando” podemos assumir que a empresa crescerá a uma taxa de crescimento estável.”

Além dessas discussões tratadas acima, os autores trazem explicações sobre conceitos importantes para essas análises, como o custo de capital.

Seção VI – O Dividend Investing e a Renda Passiva

A última seção do livro possui apenas um capítulo “O fim: o dinheiro trabalha por você”. 

O último capítulo do livro marca uma discussão sincera dos autores sobre todos os conceitos abordados no livro, trazendo reflexões importantes sobre todo o processo de criação de patrimônio à renda passiva. 

Como os autores reforçam: “o que queremos mostrar na parte final deste livro é que investir é menos complicado do que pensa a média das pessoas”.

A jornada dos investimentos

Além disso, os investidores não precisam ser super gênios para conseguir se dar bem na jornada dos investimentos. O que eles precisam, os autores explicitam em algumas palavras:

Foco: deve estar em sua estratégia de investimentos, saber que seu objetivo é ter uma renda passiva em dividendos de empresas com bons fundamentos e que também tendem a valorizar com o tempo.

Dedicação: consiste em viver o mercado, estudar as empresas, conhecer seus modelos de negócios, como a contabilidade reflete esses negócios e quais são suas perspectivas futuras.

Confiança: está ligada às suas escolhas, que devem seguir suas análises, os fundamentos que determinam o valor da empresa, e não dicas, notícias e especulações.

Resiliência: é necessária nos momentos em que suas escolhas parecerem erradas, mas os fundamentos das escolhas ainda se mantiverem os mesmos.

Paciência: será uma virtude quando suas previsões e escolhas demorarem mais tempo para se realizarem.

Conclusão

O livro “O Investidor em Ações de Dividendos” reúne mais de 200 casos reais de análises, comentando cada um deles. Além disso, realiza o valuation passo a passo das empresas Engie e Itaú.

Sobretudo, seu grande diferencial está na união de teoria e prática, resgatando a ciência por trás da realidade e seu uso como potencializador de sucesso no mercado financeiro. 

O livro ainda reforça a ideia do investimento no longo prazo e fecha seu ciclo de conhecimentos com um motivacional para os investidores:

“No início de sua jornada como investidor, os dividendos podem ser pequenos, alguns centavos por ação. Mas com o decorrer do tempo, se você fizer adequadamente seu trabalho de seleção de boas empresas, seus aportes de capital irão aumentar, as boas empresas que você investirá irão lhe pagar cada vez mais dividendos e, como consequência, esses centavos recebidos como dividendos no início da jornada trabalharão por você até se multiplicar aos milhões.”

A resenha de hoje condensou os principais pontos de forma sucinta, entretanto, o livro contém mais de 600 páginas repletas de conhecimento didático e aplicações práticas. O livro está disponível online na Amazon e em 2022 chegará às lojas em seu formato físico.

Baixe nosso app grátis! No TC você acompanha as principais notícias e cotações do mercado em tempo real, além de ter acesso a canais exclusivos para interagir com os melhores profissionais.

Estude e conheça! Aprenda com quem realmente entende de investimentos. Tire dúvidas, troque ideias, experiências e construa uma grande rede de networking com investidores de todo Brasil.

A gente também está no Instagram, YouTube e no TikTok. Acompanhe!

Estagiária do TC School | Graduanda em Ciências Contábeis (UFPB)

Aprenda a investir o seu dinheiro

E-BOOK

Aprenda a investir o seu dinheiro

Neste e-book — "Aprenda a investir o seu dinheiro", trazemos todas as informações que você precisa saber antes de investir no mercado de ações, com segurança, conhecimento e confiança.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.