Linha de separação de alta: como utilizar na análise técnica

Linha de separação de alta: como utilizar na análise técnica

tcschool

12 MAR

2 MIN

Linha de separação de alta: como utilizar na análise técnica

Esse texto tem o objetivo de mostrar os princípios teóricos e práticos que regem a linha de separação na análise técnica.

Após a introdução conceitual, daremos diversos exemplos com intuito de aperfeiçoar sua percepção, além de explicar a operação e o contexto operacional do trade.

Aqui está um sumário texto:

  1. Linha de separação de alta
  2. Como operar esse padrão?

 

Linha de Separação de Alta (Bullish Separating Line)

 A linha de separação é um padrão  difícil de ser visto no gráfico pelo fato dele  geralmente se apresentar quando há grande volatilidade de expectativas ou uma mudança brusca nos fatos (notícias que impactam fortemente o mercado).

A linha de separação de alta é um padrão composto por dois candles. Um dos candles é negativo e o outro é positivo, no entanto, eles possuem o mesmo preço de abertura.

Linha de separação de alta - candles

No gráfico acima, o mercado vinha com dois candles de alta e logo após isso tivemos um candle  de correção. Após essa correção, o candle posterior já abre no mesmo patamar de abertura do candle anterior, anulando toda a queda anterior.

Exemplo da Petrobras – PETR4

Vamos a um exemplo prático da linha de separação de alta: PETROBRAS – PETR4

Linha de separação de alta - PETR4

Fonte dos dados: TradingView

No gráfico acima, da PETR4, podemos observar como padrões de continuidade podem dar apoio na análise técnica de ativos. Observe que o mercado possuía uma resistência por volta de R$ 22,80 que já vinha sendo testada diversas vezes pelo mercado em um breve espaço de tempo, depois podemos perceber que o mercado veio corrigir até os R$ 22,62 e então tentou romper novamente.

A partir desse momento, observamos a formação do padrão, observe o candle vermelho antes do rompimento formou um doji quatro preços que foi desconfigurado pela linha de separação que abriu com o mesmo preço de abertura do candle anterior.

Além disso, essa abertura já ocorreu acima do nível de resistência que vinha sendo trabalhada. Essa operação poderia ter sido feita com a entrada assim que se observasse a abertura no mesmo nível do candle anterior, ou o rompimento na sombra dele.

O stop teria que ser curto considerando o cenário exposto no gráfico, já que tínhamos uma tendência de queda que acabava de ser revertida e formava um padrão de continuidade para formação de uma tendência de alta naquele momento.

Nesse sentido, o ganho seria no próximo nível de resistência, nos proporcionando o clássico risco um para três (a cada uma unidade de risco visamos três unidades de ganho).

 

Como operar esse padrão?

Essa configuração gráfica é potencializada quando encontrada em momentos de rompimento de tendência de alta. De fato, como mostrado no exemplo anterior, ela pode ser utilizada em outros contextos operacionais, como a correção de uma queda atrelada ao rompimento de uma resistência, mas, com certeza, não é o melhor ambiente para ser utilizada.

Em outra esfera, é necessário que você possua parâmetros claros de risco-retorno como foi demonstrado anteriormente.

A decisão de entrar na operação deve está fundamentada principalmente no risco, confiabilidade do padrão e contexto operacional.

A sua escola como investidor

Análise Fundamentalista

E-BOOK

Análise Fundamentalista

Neste e-book, abordaremos de forma simplificada os principais pontos que você precisa saber para entender a Análise Fundamentalista nas suas decisões de investimento.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.