Armadilha do Dividend Yield: saiba como evitar esse problema ao investir em pagadoras de dividendos

Armadilha do Dividend Yield: saiba como evitar esse problema ao investir em pagadoras de dividendos

lucas-nogueira

03 OUT

3 MIN

Armadilha do Dividend Yield: saiba como evitar esse problema ao investir em pagadoras de dividendos

Armadilha do Dividend Yield ou Dividend Yield Trap refere-se a uma situação em que o Dividend Yield pode indicar que e empresa é uma ótima pagadora de dividendos, quando, na verdade, a métrica está inflada devido ao aumento anormal dos dividendos pagos no período recente – que não vai se repetir – ou devido à queda brusca no preço das ações.

Se ainda não sabe o que é a rentabilidade dos dividendos, ou Dividend Yield, leia o nosso texto explicando em detalhes este assunto, clicando aqui.

Neste caso, a fórmula do Dividend Yield pode ser enganosa:

Dividend Yield

O divisor da fórmula do Dividend Yield é o preço da ação. Se o preço da ação cair e os dividendos e os juros sobre o capital próprio permanecerem constantes (já que ele é calculado com dados passados, ou projeção futura), o Dividend Yield aumentará.

Você pode acabar comprando uma empresa com alto Dividend Yield no momento, mas que está entrando em uma situação delicada, onde não poderá sustentar esses dividendos.

Exemplo de Armadilha do Dividend Yield

Imagine que o preço das ações ordinárias da Petrobras S.A (PETR3) sejam de R$ 30,00. Você pesquisou e calculou que a empresa pagou R$ 1,50 em dividendos e juros sobre capital próprio por ação nos últimos quatro trimestres. Pela fórmula, o Dividend Yield da empresa é de 5%.

Gráfico como exemplo de armadilha do dividend yield

Porém, vamos imaginar que o petróleo alcance um novo patamar e que irá permanecer assim por um bom tempo (neste exemplo, vamos desconsiderar a troca por outras fontes de energia que possam vir a acontecer).

Os analistas e investidores projetam que a Petrobras terá um aumento substancial em suas receitas, sem necessitar de maiores reinvestimentos ou custos. O preço da ação dispara para R$ 40.

Gráfico como exemplo de armadilha do dividend yield

Neste caso, como os dividendos ainda não se ajustaram, o Dividend Yield cai para 3,75%. Segundo essa métrica isolada, a Petrobras se tornou uma empresa de crescimento, com uma rentabilidade de dividendos abaixo da média do mercado, conforme apresentamos no texto sobre Dividend Yield.

Por outro lado, a Armadilha do Dividend Yield acontece também no caso oposto. Imagine que o preço do petróleo caiu para patamares muito baixos e, estima-se que irá permanecer assim por bastante tempo. Como era de se esperar, o preço da ação cai, os dividendos passados não são ajustados e o Dividend Yield sobe.

Gráfico como exemplo de armadilha do dividend yield

Agora, a Petrobras, segundo essa métrica isolada, pode ser classificada, equivocadamente, como uma empresa madura e com alta distribuição de dividendos

Note que, com a queda repentina das receitas, é provável que a empresa não consiga manter os níveis de pagamento de dividendos no futuro. Como consequência, os dividendos deverão cair lentamente (ou até mesmo abruptamente) no futuro, mas os investidores que olham apenas essa métrica, não conseguirão captar o movimento.

Como evitar a Armadilha do Dividend Yield?

Lembre-se de que as empresas pagadoras de dividendos geralmente são maduras e com crescimento modesto. O maior perigo da armadilha do Dividend Yield está no investimento em empresas que se encontram em estágio de declínio.

Gráfico mostrando momento de possível aparecimento de armadilhas de Dividend Yield

Fonte: Adaptado de Damodaran (2017)
Damodaran, A. (2017). Narrative and Numbers – The Value of Stories in Business. Columbia Business School. First Edition. ISBN-10: 0231180489

Para encontrar possíveis armadilhas, o investidor pode melhorar a sua análise do Dividend Yield seguindo outras métrica e observando o histórico de dividendos:

  1. Observar o histórico de pagamento de dividendos. Empresas boas pagadoras e com operações sustentáveis apresentam um fluxo de dividendos persistente e crescente ao longo do tempo. Uma análise adequada pode observar os últimos 5 a 10 anos de pagamento.
  2. Crescimento dos lucros. Para manter os dividendos crescentes, a empresa deve ter crescimento nos lucros. Se a empresa não apresentar tal crescimento, é um sinal de que a companhia pode estar em declínio e isso pode implicar redução de dividendos num futuro próximo. 
  3. Taxa de Payout. Para manter o crescimento dos lucros, a empresa deve reinvestir uma parte do capital. Se o payout for superior a 100%, esse pode ser um sinal de alerta para possível desinvestimento da companhia, visto que eles podem não ter mais perspectivas de crescimento no futuro.
  4. Nunca analise um indicador ou múltiplo isoladamente. Entenda, principalmente, a história por trás dos números.

Conclusão

Embora o Dividend Yield seja uma métrica comum na análise de investimentos, é preciso usá-lo em conjunto com outros indicadores, sempre acompanhado de uma observação do histórico da companhia e com uma boa análise fundamentalista. 

Empresas podem entrar em declínio ou apresentar números distorcidos que podem enganar o investidor desavisado, fazendo com que ele caia na armadilha do Dividend Yield. 

Muito cuidado!

Para potencializar seus rendimentos acesse também nosso APP:

Analista de conteúdo do TC School

Análise Fundamentalista

E-BOOK

Análise Fundamentalista

Neste e-book, abordaremos de forma simplificada os principais pontos que você precisa saber para entender a Análise Fundamentalista nas suas decisões de investimento.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.