IBOV

108.088,71 pts

+0,49%

SP500

4.699,54 pts

+0,28%

DJIA

35.756,65 pts

+0,10%

NASDAQ

16.380,64 pts

+0,34%

IFIX

2.673,21 pts

+0,46%

BRENT

US$ 76,03

+0,78%

IO62

¥ 647,50

-2,41%

TRAD3

R$ 6,40

+0,78%

ABEV3

R$ 16,08

-0,12%

AMER3

R$ 30,59

+2,65%

ASAI3

R$ 14,39

+2,42%

AZUL4

R$ 26,18

+5,86%

B3SA3

R$ 12,12

+0,58%

BIDI11

R$ 38,23

+2,19%

BBSE3

R$ 21,66

+2,07%

BRML3

R$ 8,27

+4,28%

BBDC3

R$ 17,73

-0,28%

BBDC4

R$ 20,82

-0,62%

BRAP4

R$ 53,76

-0,31%

BBAS3

R$ 32,75

+0,46%

BRKM5

R$ 65,54

-1,56%

BRFS3

R$ 20,20

-1,17%

BPAC11

R$ 21,77

+2,68%

CRFB3

R$ 14,93

+0,53%

CCRO3

R$ 12,71

-3,12%

CMIG4

R$ 13,98

+1,67%

HGTX3

R$ 37,51

+0,00%

CIEL3

R$ 2,31

+2,66%

COGN3

R$ 2,62

+5,22%

CPLE6

R$ 6,35

+1,76%

CSAN3

R$ 22,21

+1,09%

CPFE3

R$ 27,37

+0,58%

CVCB3

R$ 16,10

+9,59%

CYRE3

R$ 15,99

+5,26%

ECOR3

R$ 8,97

+1,81%

ELET3

R$ 35,44

+0,85%

ELET6

R$ 34,48

-0,20%

EMBR3

R$ 21,30

+4,92%

ENBR3

R$ 21,39

+0,61%

ENGI11

R$ 45,83

+0,46%

ENEV3

R$ 14,96

+1,97%

EGIE3

R$ 39,26

-0,12%

EQTL3

R$ 23,60

+1,07%

EZTC3

R$ 20,82

+6,44%

FLRY3

R$ 19,25

+2,39%

GGBR4

R$ 28,93

-0,06%

GOAU4

R$ 11,98

+0,75%

GOLL4

R$ 18,68

+9,17%

NTCO3

R$ 27,34

+1,03%

HAPV3

R$ 11,32

+1,25%

HYPE3

R$ 28,97

+0,90%

IGTA3

R$ 33,24

+0,00%

GNDI3

R$ 64,42

+1,60%

IRBR3

R$ 4,35

+2,83%

ITSA4

R$ 9,91

+0,30%

ITUB4

R$ 22,74

-0,95%

JBSS3

R$ 34,65

+0,69%

JHSF3

R$ 5,54

+4,33%

KLBN11

R$ 25,25

+0,79%

RENT3

R$ 55,97

+3,86%

LCAM3

R$ 24,68

+3,74%

LWSA3

R$ 14,55

+5,28%

LAME4

R$ 5,63

+3,87%

LREN3

R$ 29,60

+0,47%

MGLU3

R$ 6,81

-10,63%

MRFG3

R$ 22,59

+6,30%

BEEF3

R$ 8,77

+1,15%

MRVE3

R$ 12,25

+5,87%

MULT3

R$ 20,76

+3,43%

PCAR3

R$ 23,05

+2,30%

PETR3

R$ 31,08

-0,35%

PETR4

R$ 29,35

-0,03%

VBBR3

22,95

+3,37%

PRIO3

R$ 20,97

-4,37%

QUAL3

R$ 16,80

+1,26%

RADL3

R$ 23,75

+2,01%

RAIL3

R$ 17,70

+2,37%

SBSP3

R$ 38,55

+1,47%

SANB11

R$ 33,14

-0,21%

CSNA3

R$ 24,10

-1,27%

SULA11

R$ 26,92

+3,10%

SUZB3

R$ 58,65

+0,56%

TAEE11

R$ 35,78

-0,33%

VIVT3

R$ 49,08

-1,76%

TIMS3

R$ 13,33

-0,67%

TOTS3

R$ 32,16

+2,48%

UGPA3

R$ 15,37

+3,22%

USIM5

R$ 15,05

+0,87%

VALE3

R$ 75,76

-0,74%

VIIA3

R$ 5,77

-0,51%

WEGE3

R$ 36,04

+4,28%

YDUQ3

R$ 24,41

+3,03%

IBOV

108.088,71 pts

+0,49%

SP500

4.699,54 pts

+0,28%

DJIA

35.756,65 pts

+0,10%

NASDAQ

16.380,64 pts

+0,34%

IFIX

2.673,21 pts

+0,46%

BRENT

US$ 76,03

+0,78%

IO62

¥ 647,50

-2,41%

TRAD3

R$ 6,40

+0,78%

ABEV3

R$ 16,08

-0,12%

AMER3

R$ 30,59

+2,65%

ASAI3

R$ 14,39

+2,42%

AZUL4

R$ 26,18

+5,86%

B3SA3

R$ 12,12

+0,58%

BIDI11

R$ 38,23

+2,19%

BBSE3

R$ 21,66

+2,07%

BRML3

R$ 8,27

+4,28%

BBDC3

R$ 17,73

-0,28%

BBDC4

R$ 20,82

-0,62%

BRAP4

R$ 53,76

-0,31%

BBAS3

R$ 32,75

+0,46%

BRKM5

R$ 65,54

-1,56%

BRFS3

R$ 20,20

-1,17%

BPAC11

R$ 21,77

+2,68%

CRFB3

R$ 14,93

+0,53%

CCRO3

R$ 12,71

-3,12%

CMIG4

R$ 13,98

+1,67%

HGTX3

R$ 37,51

+0,00%

CIEL3

R$ 2,31

+2,66%

COGN3

R$ 2,62

+5,22%

CPLE6

R$ 6,35

+1,76%

CSAN3

R$ 22,21

+1,09%

CPFE3

R$ 27,37

+0,58%

CVCB3

R$ 16,10

+9,59%

CYRE3

R$ 15,99

+5,26%

ECOR3

R$ 8,97

+1,81%

ELET3

R$ 35,44

+0,85%

ELET6

R$ 34,48

-0,20%

EMBR3

R$ 21,30

+4,92%

ENBR3

R$ 21,39

+0,61%

ENGI11

R$ 45,83

+0,46%

ENEV3

R$ 14,96

+1,97%

EGIE3

R$ 39,26

-0,12%

EQTL3

R$ 23,60

+1,07%

EZTC3

R$ 20,82

+6,44%

FLRY3

R$ 19,25

+2,39%

GGBR4

R$ 28,93

-0,06%

GOAU4

R$ 11,98

+0,75%

GOLL4

R$ 18,68

+9,17%

NTCO3

R$ 27,34

+1,03%

HAPV3

R$ 11,32

+1,25%

HYPE3

R$ 28,97

+0,90%

IGTA3

R$ 33,24

+0,00%

GNDI3

R$ 64,42

+1,60%

IRBR3

R$ 4,35

+2,83%

ITSA4

R$ 9,91

+0,30%

ITUB4

R$ 22,74

-0,95%

JBSS3

R$ 34,65

+0,69%

JHSF3

R$ 5,54

+4,33%

KLBN11

R$ 25,25

+0,79%

RENT3

R$ 55,97

+3,86%

LCAM3

R$ 24,68

+3,74%

LWSA3

R$ 14,55

+5,28%

LAME4

R$ 5,63

+3,87%

LREN3

R$ 29,60

+0,47%

MGLU3

R$ 6,81

-10,63%

MRFG3

R$ 22,59

+6,30%

BEEF3

R$ 8,77

+1,15%

MRVE3

R$ 12,25

+5,87%

MULT3

R$ 20,76

+3,43%

PCAR3

R$ 23,05

+2,30%

PETR3

R$ 31,08

-0,35%

PETR4

R$ 29,35

-0,03%

VBBR3

22,95

+3,37%

PRIO3

R$ 20,97

-4,37%

QUAL3

R$ 16,80

+1,26%

RADL3

R$ 23,75

+2,01%

RAIL3

R$ 17,70

+2,37%

SBSP3

R$ 38,55

+1,47%

SANB11

R$ 33,14

-0,21%

CSNA3

R$ 24,10

-1,27%

SULA11

R$ 26,92

+3,10%

SUZB3

R$ 58,65

+0,56%

TAEE11

R$ 35,78

-0,33%

VIVT3

R$ 49,08

-1,76%

TIMS3

R$ 13,33

-0,67%

TOTS3

R$ 32,16

+2,48%

UGPA3

R$ 15,37

+3,22%

USIM5

R$ 15,05

+0,87%

VALE3

R$ 75,76

-0,74%

VIIA3

R$ 5,77

-0,51%

WEGE3

R$ 36,04

+4,28%

YDUQ3

R$ 24,41

+3,03%

Empresas com Patrimônio Líquido negativo conseguem sobreviver?

05 NOV

8 MIN

P L negativo, e agora? Você já se deparou com empresas apresentando o patrimônio líquido negativo? Provavelmente sim. Pois bem, neste texto, discutiremos sobre quais são os fatores que contribuem para negatividade no patrimônio líquido das empresas, além disso, veremos como devemos tratar esse tipo de situação financeira nas nossas decisões de investimento.

Neste sentido, para compreendermos de uma vez sobre as questões ligadas a negatividade do patrimônio líquido das empresas, e ainda entendermos como esta situação pode afetar nossas decisões de investimentos, abordaremos sobre os seguintes pontos:

  • Patrimônio líquido negativo: quais as principais causas para se chegar nessa situação?
  • Decisões de investimento: Devo excluir da minha análise as empresas que divulgarem o PL negativo?
  • Exemplos práticos: Veja casos reais na bolsa em que foram apresentados o PL negativo.
  • Conclusão.

Boa leitura!

patrimonio líquido negativo

Patrimônio líquido negativo

O que é um PL negativo?

O que poucas pessoas sabem, é que uma determina empresa pode sim chegar à situação de apresentar, por meio do seu balanço patrimonial, um saldo de PL negativo. Diante de uma situação como essa, o precisamos saber, principalmente como analistas, é justamente inferir as prováveis causas e seus efeitos na organização.

Se resgatarmos o conceito simples sobre como chegamos ao valor do PL de uma empresa, iremos perceber que o valor do PL nada mais é do que o interesse residual do ativo após a subtração de todos os passivos. Logo, se uma empresa em determinado período apresentar um total de passivo superior aos seus ativos, no final, o PL ficará negativo. Para ficar mais claro segue uma fórmula básica para se chegar ao valor do PL.

Quando o PL apresenta um valor negativo, ou seja, a empresa conta com mais passivos do que ativos, temos o chamado passivo a descoberto. Nesse sentido, conforme a norma contábil, pela Resolução CFC 1.283/2010, não é mais necessária a troca da nomenclatura das contas, do PL para passivo a descoberto.

Contudo, apresentando um valor negativo para o PL, uma empresa, sem dúvidas, deve ligar a sirene de alerta total. Mas aí eu te pergunto, será que é possível passar mais de um período apresentando o PL negativo, e mesmo assim sobreviver? Pois bem, a resposta é positiva, sim uma empresa pode permanecer por mais de um período demonstrando o valor do PL negativo em seu balanço. Para ilustrar bem, logo mais, teremos um tópico apresentando casos reais de empresas listadas na bolsa.

Passivo a descoberto

O que leva uma empresa a ter passivo a descoberto?

Todavia, vamos para a pergunta que não quer calar: o que pode levar uma empresa a chegar numa situação de PL negativo? Bem, várias são as possíveis causas para o alcance dessa situação. Porém, as mais recorrentes estão ligadas a questões como prejuízos de forma contínua, o que pode levar a empresa a utilizar todo o seu capital próprio, além do consumo excessivo de caixa e dificuldades para contrair financiamentos.

Uma situação como essa é um Deus nos acuda dentro de uma organização, uma vez que, ter recursos é imprescindível para a saúde da empresa. Além disso, talvez você já tenha se deparado com empresas que justificaram a contratação de empréstimos como a necessidade de suprimento de caixa. Na verdade, casos assim são comuns e fáceis de encontrar; geralmente são empresas que demandam mais de recursos de terceiros para girar as suas atividades.

Se você ficou com dúvida em algum termo contábil, não deixe de conferir o nosso texto explicando todos os conceitos de contabilidade

Empresas desse tipo precisam apresentar um balanço patrimonial redondo, de preferência com o PL positivo. Isso, porque os bancos financiadores dos recursos fazem uma análise de risco de crédito, ou seja, eles avaliam a possibilidade de não receber o recurso emprestado. E uma empresa com PL negativo, demonstra sérios indícios de dificuldades financeiras, problemas na gestão de recursos, com risco até mesmo de ir à falência, o que dificulta o acesso a crédito.

Toda empresa com PL negativo irá a falência?

Não. Nem toda empresa que em algum momento apresentou o PL negativo irá fechar. Obviamente que existe essa possibilidade, porém cabe a gestão da empresa elaborar um plano estratégico capaz de tirar a empresa dessa situação ruim. Além disso, ações como revisitar as estratégias de margem e tributação, otimização de custos, podem ajudar num cenário de difícil relacionamento com as instituições financeiras.

Decisões de investimento: devo excluir da minha análise as empresas que divulgarem o PL negativo?

Sabemos que quando vamos escolher uma empresa para adquirir suas ações, devemos analisar os números contábeis, mas e se você se deparar com o PL negativo no momento da sua análise? Vai excluí-la imediatamente? Julga como um caso muito ariscado a falência? Você teria estômago para decidir investir mesmo com o PL negativo?

É, acredito que suas respostas estão acompanhadas de muita insegurança. Então, vamos lá. No Brasil, não é raro encontrarmos empresas nesta situação, não é por menos que o trabalho científico de Cescon (2018), obteve resultados interessantes para esse nosso tema. Primeiramente, para nossa surpresa, o estudo conclui que é possível obter retornos positivos anormais investindo nestas empresas. Isso mesmo que você leu, é possível obter retornos acima da média.

Além disso, os resultados de suas análises, demonstraram não somente a presença de retornos positivos anormais, mas também que em determinados momentos, esses retornos superaram os investimentos livres de riscos utilizado pelo autor para efeitos de comparação.

O autor, inclusive analisou a relação entre o risco e o retorno da carteira em comparação com o IBrX50 e o CDI, e concluiu que, mesmo com o alto risco da carteira de patrimônio líquido negativo, o investimento pode ser interessante até mesmo para conservadores, para nossa surpresa. Então, de acordo com o que já foi testado, empresas listadas com PL negativo, pode sim estar no campo de visão do investidor.

Exemplo real de passivo a descoberto

Veja casos práticos na bolsa, como o da GOL (GOLL4) em que foram apresentados o PL negativo

Agora, vamos ver alguns casos reais de empresas listadas na B3 que apresentaram ao mercado, o valor do PL negativo por mais de um período e que ainda assim continuam as suas operações. Um caso bem conhecido é o da GOL. A GOL vem apresentando o PL negativo desde 2014. Na imagem abaixo referente ao balanço patrimonial da GOL, os períodos em destaques representam 31/12/2013 e 31/12/2014.

Aprenda a identificar bons investimentos em companhias aéreas

Podemos observar que a partir de 2014 a empresa apresentou PL negativo. Se você for tentar encontrar uma justificativa por parte da empresa, não encontrará informações claras tanto nas notas explicativas, parecer de auditoria ou apresentação dos resultados.

Na sequência, temos os resultados apresentados no balanço patrimonial referente aos exercícios de 31/12/2018 e 31/12/2019. Neste, se analisarmos os relatórios para buscar justificativas e ações, conseguimos observar uma grande diferença na atenção que é dada ao assunto. O parecer da auditoria independente é bem mais completo e detalha todas as suas preocupações, além de ser abordado sobre uma reorganização societária.

O caso da Gol é bem extenso, a empresa teve sérios problemas de governança corporativa, falha na gestão, comunicação, transparência, enfim, muitos pontos negativos que só contribuíram para o resultado ruim prolongado da organização. Mas a questão é: como pode desde 2014 a empresa continuar suas operações, mesmo apresentado durante todo esse tempo o PL negativo?

Opinião dos auditores

Antes de responder, reparem na fala dos auditores sobre o risco de descontinuidade da empresa mediante esses resultados negativos recorrentes:

auditoria da gol falando sobre o patrimônio líquido negativo da empresa

Fonte: Demonstrativos Financeiros da Gol em 2019

Então, quando uma empresa chega ao ponto de reportar o PL negativo, diversas medidas de salvamento precisam ser tomadas. No caso da GOL não poderia ser diferente, analisando melhor quais foram as medidas tomadas para a sobrevivência, podemos observar medidas de reestruturação organizacional, como otimização das operações, além da captação de recursos com terceiros, mesmo não estando bem na fita.

Vejam o crescimento da captação de empréstimo no ano de 2019 no quadro abaixo. A ideia óbvia deles é captar empréstimo para aliviar a necessidade de caixa e impedir a descontinuidade das operações.

Fonte: Demonstrativos Financeiros da Gol em 2019

Conclusão

Vimos que é possível uma empresa apresentar PL negativo de forma recorrente e mesmo assim continuar sua operação. Obviamente que cada caso é um caso. Será que no caso da GOL ela aguentará manter suas operações? O que a gestão pensa em fazer? Por outro lado, vimos que uma carteira formada com empresas de PL negativo, ainda assim podem oferecer retornos anormais positivos, apesar dos riscos.

Uma dica para você que se interessou pelos investimentos em empresas com chance de falência é ler nosso texto ensinando a estimar a probabilidade de insolvência das empresas.

Enfim, cada caso é um universo único e precisa ser analisado com cautela. É importante que você tenha em mente que nestes casos existe sim o risco de descontinuidade da organização. Entretanto, também existem investidores propensos a assumirem tamanho risco, se vislumbrarem um potencial de valorização do papel.

Outra coisa importante é que se o PL ficou negativo, isso é um mau sinal. Sinal de má gestão, governança, insolvência, o que precisamos observar principalmente, é a recorrência desses resultados, evolução na administração de fluxo de caixa, capacidade de reverter a situação. Ou seja, a empresa precisa conquistar sua confiança de forma muito bem fundamentada e que apresente medidas de provável reversão. Por fim, invista na sua análise, procure entender os detalhes, o que muitas vezes não está claramente justificado. Bons investimentos!

Referências

Cescon, J. A. (2018). Análise do processo decisório dos investidores e analistas do mercado financeiro em relação às ações de empresas com patrimônio líquido negativo.

Colaboradora do TC School

Análise Fundamentalista

E-BOOK

Análise Fundamentalista

Neste e-book, abordaremos de forma simplificada os principais pontos que você precisa saber para entender a Análise Fundamentalista nas suas decisões de investimento.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.