IBOV

108.669,68 pts

+0,60%

SP500

4.548,74 pts

+0,35%

DJIA

35.135,05 pts

+0,30%

NASDAQ

15.164,38 pts

+0,77%

IFIX

2.813,25 pts

+0,22%

BRENT

US$ 87,85

-0,67%

IO62

¥ 752,50

+1,83%

TRAD3

R$ 4,22

+0,95%

ABEV3

R$ 14,48

-0,41%

AMER3

R$ 33,38

+0,54%

ASAI3

R$ 12,06

+0,24%

AZUL4

R$ 25,56

+1,14%

B3SA3

R$ 12,40

+1,14%

BIDI11

R$ 23,32

+3,64%

BBSE3

R$ 20,67

-0,04%

BRML3

R$ 8,75

+0,22%

BBDC3

R$ 17,56

-0,34%

BBDC4

R$ 21,03

-0,33%

BRAP4

R$ 29,00

+1,01%

BBAS3

R$ 31,11

+0,32%

BRKM5

R$ 49,80

+1,22%

BRFS3

R$ 24,09

+1,60%

BPAC11

R$ 20,52

+3,11%

CRFB3

R$ 14,97

-0,46%

CCRO3

R$ 11,44

+0,88%

CMIG4

R$ 13,05

+0,69%

HGTX3

R$ 37,51

+0,00%

CIEL3

R$ 2,08

+1,46%

COGN3

R$ 2,24

+1,81%

CPLE6

R$ 6,59

+1,54%

CSAN3

R$ 22,19

+1,00%

CPFE3

R$ 27,14

+1,76%

CVCB3

R$ 11,74

+1,55%

CYRE3

R$ 14,89

+0,94%

ECOR3

R$ 7,40

+1,50%

ELET3

R$ 33,20

+0,48%

ELET6

R$ 32,62

+0,83%

EMBR3

R$ 20,87

+1,40%

ENBR3

R$ 21,75

+0,50%

ENGI11

R$ 41,54

+0,55%

ENEV3

R$ 13,06

+1,16%

EGIE3

R$ 39,63

+0,76%

EQTL3

R$ 22,61

+1,84%

EZTC3

R$ 19,26

+1,90%

FLRY3

R$ 18,09

-0,22%

GGBR4

R$ 29,19

+0,51%

GOAU4

R$ 12,18

+0,57%

GOLL4

R$ 16,56

+0,66%

NTCO3

R$ 21,43

+2,68%

HAPV3

R$ 10,94

+0,18%

HYPE3

R$ 29,03

+2,14%

IGTA3

R$ 33,24

+0,00%

GNDI3

R$ 63,63

-0,17%

IRBR3

R$ 3,40

+0,89%

ITSA4

R$ 9,62

+0,10%

ITUB4

R$ 23,45

-0,12%

JBSS3

R$ 36,86

+0,68%

JHSF3

R$ 5,10

+3,03%

KLBN11

R$ 26,09

+1,55%

RENT3

R$ 50,64

+1,58%

LCAM3

R$ 22,77

+1,42%

LWSA3

R$ 8,81

+1,96%

LAME4

R$ 6,30

+0,31%

LREN3

R$ 25,38

+2,13%

MGLU3

R$ 6,46

+2,37%

MRFG3

R$ 23,05

+1,58%

BEEF3

R$ 9,80

-0,70%

MRVE3

R$ 11,41

+1,51%

MULT3

R$ 19,05

+1,60%

PCAR3

R$ 20,02

+0,20%

PETR3

R$ 34,34

+0,26%

PETR4

R$ 31,45

-0,12%

VBBR3

20,55

+0,14%

PRIO3

R$ 23,83

-0,66%

QUAL3

R$ 16,62

-0,12%

RADL3

R$ 20,69

+0,73%

RAIL3

R$ 16,97

+1,43%

SBSP3

R$ 36,18

+1,37%

SANB11

R$ 31,38

-0,44%

CSNA3

R$ 26,82

+1,32%

SULA11

R$ 24,09

+1,34%

SUZB3

R$ 62,41

+0,90%

TAEE11

R$ 37,64

+2,25%

VIVT3

R$ 48,87

+0,37%

TIMS3

R$ 12,95

-0,30%

TOTS3

R$ 25,84

+2,13%

UGPA3

R$ 13,42

+1,43%

USIM5

R$ 16,86

+0,65%

VALE3

R$ 88,51

+0,34%

VIIA3

R$ 4,12

+3,00%

WEGE3

R$ 30,65

+0,49%

YDUQ3

R$ 19,85

+2,47%

IBOV

108.669,68 pts

+0,60%

SP500

4.548,74 pts

+0,35%

DJIA

35.135,05 pts

+0,30%

NASDAQ

15.164,38 pts

+0,77%

IFIX

2.813,25 pts

+0,22%

BRENT

US$ 87,85

-0,67%

IO62

¥ 752,50

+1,83%

TRAD3

R$ 4,22

+0,95%

ABEV3

R$ 14,48

-0,41%

AMER3

R$ 33,38

+0,54%

ASAI3

R$ 12,06

+0,24%

AZUL4

R$ 25,56

+1,14%

B3SA3

R$ 12,40

+1,14%

BIDI11

R$ 23,32

+3,64%

BBSE3

R$ 20,67

-0,04%

BRML3

R$ 8,75

+0,22%

BBDC3

R$ 17,56

-0,34%

BBDC4

R$ 21,03

-0,33%

BRAP4

R$ 29,00

+1,01%

BBAS3

R$ 31,11

+0,32%

BRKM5

R$ 49,80

+1,22%

BRFS3

R$ 24,09

+1,60%

BPAC11

R$ 20,52

+3,11%

CRFB3

R$ 14,97

-0,46%

CCRO3

R$ 11,44

+0,88%

CMIG4

R$ 13,05

+0,69%

HGTX3

R$ 37,51

+0,00%

CIEL3

R$ 2,08

+1,46%

COGN3

R$ 2,24

+1,81%

CPLE6

R$ 6,59

+1,54%

CSAN3

R$ 22,19

+1,00%

CPFE3

R$ 27,14

+1,76%

CVCB3

R$ 11,74

+1,55%

CYRE3

R$ 14,89

+0,94%

ECOR3

R$ 7,40

+1,50%

ELET3

R$ 33,20

+0,48%

ELET6

R$ 32,62

+0,83%

EMBR3

R$ 20,87

+1,40%

ENBR3

R$ 21,75

+0,50%

ENGI11

R$ 41,54

+0,55%

ENEV3

R$ 13,06

+1,16%

EGIE3

R$ 39,63

+0,76%

EQTL3

R$ 22,61

+1,84%

EZTC3

R$ 19,26

+1,90%

FLRY3

R$ 18,09

-0,22%

GGBR4

R$ 29,19

+0,51%

GOAU4

R$ 12,18

+0,57%

GOLL4

R$ 16,56

+0,66%

NTCO3

R$ 21,43

+2,68%

HAPV3

R$ 10,94

+0,18%

HYPE3

R$ 29,03

+2,14%

IGTA3

R$ 33,24

+0,00%

GNDI3

R$ 63,63

-0,17%

IRBR3

R$ 3,40

+0,89%

ITSA4

R$ 9,62

+0,10%

ITUB4

R$ 23,45

-0,12%

JBSS3

R$ 36,86

+0,68%

JHSF3

R$ 5,10

+3,03%

KLBN11

R$ 26,09

+1,55%

RENT3

R$ 50,64

+1,58%

LCAM3

R$ 22,77

+1,42%

LWSA3

R$ 8,81

+1,96%

LAME4

R$ 6,30

+0,31%

LREN3

R$ 25,38

+2,13%

MGLU3

R$ 6,46

+2,37%

MRFG3

R$ 23,05

+1,58%

BEEF3

R$ 9,80

-0,70%

MRVE3

R$ 11,41

+1,51%

MULT3

R$ 19,05

+1,60%

PCAR3

R$ 20,02

+0,20%

PETR3

R$ 34,34

+0,26%

PETR4

R$ 31,45

-0,12%

VBBR3

20,55

+0,14%

PRIO3

R$ 23,83

-0,66%

QUAL3

R$ 16,62

-0,12%

RADL3

R$ 20,69

+0,73%

RAIL3

R$ 16,97

+1,43%

SBSP3

R$ 36,18

+1,37%

SANB11

R$ 31,38

-0,44%

CSNA3

R$ 26,82

+1,32%

SULA11

R$ 24,09

+1,34%

SUZB3

R$ 62,41

+0,90%

TAEE11

R$ 37,64

+2,25%

VIVT3

R$ 48,87

+0,37%

TIMS3

R$ 12,95

-0,30%

TOTS3

R$ 25,84

+2,13%

UGPA3

R$ 13,42

+1,43%

USIM5

R$ 16,86

+0,65%

VALE3

R$ 88,51

+0,34%

VIIA3

R$ 4,12

+3,00%

WEGE3

R$ 30,65

+0,49%

YDUQ3

R$ 19,85

+2,47%

Análise das ações do setor elétrico

tcschool

24 JUL

5 MIN

Análise das ações do setor elétrico

Olá caro leitor, vamos seguir com os nossos conteúdos de análise fundamentalista dos setores do mercado brasileiro?

Entraremos a fundo no tema análise fundamentalista do setor elétrico no Brasil e aprenderemos como identificar boas oportunidades de investimento para a sua carteira, possibilitando o potencial de rentabilidade do seu patrimônio.

Para nos guiar nessa imersão vamos seguir os seguintes tópicos:

  • Análise geral: uma visão geral do setor
  • ANEEL: entendendo suas atribuições
  • Os tipos de empresa do setor elétrico: geradoras, transmissoras e distribuidoras
  • Índice de Energia Elétrica na B3 (IEE)

Boa leitura!

Análise geral: uma visão geral do setor elétrico

À primeira vista, o setor elétrico é conhecido pelos investidores como um setor complicado para realizar uma análise fundamentalista profunda, devido principalmente à forte regulação. Entretanto, é importante destacar a forte presença do setor elétrico na bolsa de valores brasileira, onde existem mais de 25 empresas listadas desse setor entre estatais e privadas.

Além de ser um setor com várias empresas listadas, algumas das maiores pagadoras de dividendos são companhias elétricas, o que faz aumentar o interesse dos investidores neste segmento.

Juntamente com o conhecimento popular de que o setor elétrico é um bom pagador de dividendos, comparamos a mediana do Dividend Yield dos últimos 5 anos das elétricas com a mediana de todas as empresas.

Ao realizar esse cálculo, observamos que a mediana das empresas da bolsa é de 3,79%, enquanto a das empresas elétricas é de 4,19%, ou seja, uma mediana 10% maior:

Fonte: Economática

A partir da análise da tabela, ordenada pela mediana do Dividend Yield nos últimos 5 anos, podemos ver que um número significativo de empresas do setor elétrico tem uma mediana acima da mediana de todas as empresas da bolsa. Assim, é possível perceber o porquê de empresas como Taesa – TAEE11 e AES Tietê – TIET11 aparecerem constantemente nas carteiras recomendadas de dividendos.

ANEEL: entendendo suas atribuições

Diante disso, como se trata de um setor altamente regulado vamos entender o funcionamento da regulação do setor elétrico. O Ministério de Minas e Energia é o responsável pelo zelo do equilíbrio conjuntural e estrutural entre a oferta e a demanda de energia elétrica.

Para tanto, existe uma agência vinculada ao ministério que regula e fiscaliza as empresas elétricas, por isso é importante conhecermos o papel da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). De acordo com o site da agência, as principais atribuições da ANEEL são:

  • Regular a geração (produção), transmissão, distribuição e comercialização de energia elétrica;
  • Fiscalizar, diretamente ou mediante convênios com órgãos estaduais, as concessões, as permissões e os serviços de energia elétrica;
  • Implementar as políticas e diretrizes do governo federal relativas à exploração da energia elétrica e ao aproveitamento dos potenciais hidráulicos;
  • Estabelecer tarifas;
  • Dirimir as divergências, na esfera administrativa, entre os agentes e entre esses agentes e os consumidores, e
  • Promover as atividades de outorgas de concessão, permissão e autorização de empreendimentos e serviços de energia elétrica, por delegação do Governo Federal.

Dessa forma, é possível observar que a agência regula e fiscaliza todas as empresas do setor elétrico da B3, as empresas de geração, transmissão e distribuição. Vamos entender as diferenças entre elas a seguir.

Análise dos tipos de empresa do setor elétrico: geradoras, transmissoras e distribuidoras

Como foi dito anteriormente, é possível dividir as empresas do setor elétrico em três grandes grupos: as geradoras, as transmissoras e as distribuidoras. Cabe ressaltar que a maioria das empresas não restringe a sua atuação a apenas um segmento. Por exemplo: Cemig e Eletrobrás são empresas integradas. Em outras palavras, atuam nos três segmentos:

  1. Geração
  2. Transmissão
  3. Distribuição

Exemplos de empresas que atuam em apenas um segmento são Taesa (transmissão) e Eneva (geração). Em seguida, iremos definir o que faz cada tipo de empresa.

Empresas de geração de energia

Conforme o próprio nome, as empresas geradoras de energia são responsáveis por gerar a energia que será transmitida e distribuída até chegar no consumidor final. Nesse sentido, são empresas que constroem usinas geradoras, como hidroelétricas, termoelétricas, parques eólicos e estão expostas aos riscos ambientais, principalmente hidrológicos.

Apesar de ser considerado o segmento mais arriscado do setor de energia, existem belas oportunidades de investimento. Assim, uma das empresas que pode servir como exemplo é a Engie (EGIE3), que apesar de atuar também no segmento de transmissão e mais recentemente no mercado de gás, é uma geradora.

Fonte: RI Engie

Empresas de transmissão de energia

Uma análise bem feita das empresas de transmissão é necessária para entender o setor elétrico. Essas são as empresas responsáveis por construir e operar as linhas de transmissão, transportando a energia gerada.

As empresas de transmissão são consideradas as mais seguras do setor elétrico. Isso acontece porque a sua receita está basicamente atrelada a contratos de longo prazo, com alta previsibilidade de receita. Ou seja, essas empresas podem ter uma alavancagem maior, devido à previsibilidade da geração de caixa delas.

Dessa forma, a remuneração das transmissoras não depende da quantidade de energia transmitida, mas da disponibilidade do sistema. Agora que estamos cientes das características das empresas de transmissão, vamos buscar exemplos de transmissoras presentes na bolsa.

Como foi dito, a maioria das empresas do setor elétrico atuam em mais de um segmento. Entretanto, podemos citar companhias que trabalham exclusivamente com transmissão, como é o caso da ISA Cteep (TRPL4) e Taesa (TAEE11).

Empresas distribuidoras de energia

Primeiramente, é importante destacar que a distribuição é o segmento mais regulado dentro do setor elétrico. Tendo isso em mente, vamos à definição de como as distribuidoras geram a sua receita.

As distribuidoras são as empresas responsáveis pela entrega de energia aos consumidores finais, com sua receita atrelada a quantidade de energia que passa pela rede. Assim, são empresas fortemente relacionadas com o desempenho da economia, quanto mais consumidores, mais receita para diluir as despesas.

Mas quais empresas são as distribuidoras? Para ser simples, as companhias do segmento de distribuição são aquelas que você reclama quando falta energia na sua casa. Dessa forma, podemos citar companhias como Energisa e Equatorial, que são distribuidoras, mas que atuam também como transmissoras.

Índice de Energia Elétrica na B3 (IEE)

Existe um índice que tem como objetivo montar uma carteira teórica com os ativos do setor elétrico de maior representatividade nas negociações. Sendo assim, o índice serve como referência para o desempenho das elétricas. Caso deseje, clique aqui para ver a composição do índice.

Por fim, espero que o texto seja útil na sua análise do setor elétrico.

TC School no YouTube

Assista a seguir, aula especial do TC Start sobre “Valuation por Fluxo de Caixa Descontado“, com os professores Arlindo Souza e André Musso:

Viu como estudar e conhecer mais sobre análise fundamentalista pode ser esclarecedor e vantajoso para os seus investimentos?

O canal no Youtube do TC School tem conteúdo para você aprender, de forma fácil e rápido, tudo o que você precisa saber antes de começar a investir.

Legal, não é? A gente também está no Instagram e no TikTok! Segue a gente lá!

Lucas Costa Santos
Lucas Costa Santos
Analista de conteúdo TC School. Graduando em Economia pela UFPB
Membro do Projeto Quantum e vencedor do Prêmio Calouro Destaque em 2018.

A sua escola como investidor

Análise Fundamentalista

E-BOOK

Análise Fundamentalista

Neste e-book, abordaremos de forma simplificada os principais pontos que você precisa saber para entender a Análise Fundamentalista nas suas decisões de investimento.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.