Mover

Mansano: Recorde do Caged é bom sinal, mas futuro requer cautela

Postado por: TC Mover em 16/03/2021 às 16:21
Caged

São Paulo, 16 de março – Sem trabalho não há renda, sem renda não há consumo e muito menos poupança, sem consumo não há produção, sem produção não há emprego e, consequentemente, não há economia.

Assim começo esse texto para falar do resultado do mercado de trabalho brasileiro, divulgado pelo Ministério da Economia, que nos traz o cenário do início de 2021. Neste contexto, o resultado do (novo) Caged – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados sinaliza que a retomada verificada no segundo semestre do ano passado continuou no primeiro mês do ano.

Dos dados, o Caged computou um saldo líquido de 260.35 em janeiro, resultado da diferença em 1.527.083 admissões e 1.266.730 desligamentos, o qual pode ser explicado pela melhora do setor de serviços, com saldo de 83.686 empregos e a sustentabilidade da indústria, especialmente a de produtos alimentícios, esta que no mês registrou saldo de 87 mil postos de trabalho formais, seguida da construção, com a geração de 43.498 postos formais de trabalho.

Neste contexto, dois motivos explicam o resultado geral: o primeiro é o relaxamento das medidas de isolamento social, as quais influenciaram positivamente o setor de serviços, em especial os ligados a alojamentos e alimentação. O segundo advém do impacto da atual taxa de juros na indústria, a qual reduz o custo do capital, ou seja, em investimento para o setor.

Entretanto, o cenário que pensamos que fosse continuar no primeiro trimestre do ano, reforçando a retomada da economia, choca-se com a realidade da disseminação da pandemia no país, com retrocesso das medidas de isolamento social.

Assim, os contrapontos aqui são importantes: o primeiro é a prova que a crise é de curto prazo e a atividade econômica respondeu de forma rápida e positiva ao relaxamento das medidas de isolamento; o segundo diz respeito às preocupações de uma economia que ainda sente os impactos da pandemia, em especial no setor de serviços – este o qual caminha para dias de restrições e incertezas quanto à velocidade da vacinação.

Por fim, olhando pelo retrovisor, deve-se comemorar o resultado positivo para o mercado de trabalho em janeiro. Contudo, a atual conjuntura desfavorece a economia e, olhando para o futuro, apenas a eficácia da vacinação e políticas acomodatícias podem estimular a volta do mercado de trabalho e da renda. Assim, o cenário atual requer cautela frente às políticas econômicas, que ainda deverão continuar direcionadas a garantir a melhora do mercado de trabalho no país.

Arte: Carlos Matos / TC Mover

DISCLAIMER: As informações disponibilizadas na coluna são meramente opiniões da COLUNISTA na data em que foram expressas e não declarações de fatos ou recomendações para comprar, reter ou vender quaisquer títulos ou valores mobiliários, ou ainda, qualquer recomendação de investimento.


Leia também

Troca na saúde obedece a critérios técnicos, diz Barros

BDR da Aura Minerals (AURA33) dispara com anúncio de dividendo robusto

Especial: Bolsonaro não está levando o país à desordem institucional, diz ex-presidente Cardoso

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais