TC Mover
Mover

Sanita: BTG Pactual (BPAC11)

Postado por: TC Mover em 12/03/2021 às 16:57

Essa semana falo sobre um banco de destaque no mercado financeiro: BTG Pactual (BPAC11).


Vamos conhecer um pouco da história do banco

Fonte: BTG Pactual





Atualmente, o BTG conta com escritórios distribuídos em três continentes, oferecendo um amplo portfólio de serviços financeiros a uma base de clientes brasileiros e internacionais, incluindo empresas, investidores institucionais, governos e indivíduos de alta renda.

BTG

O Banco BTG Pactual conta com aproximadamente 2.188 profissionais e escritórios em três continentes: América do Sul (São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Recife, Porto Alegre, Belo Horizonte, Curitiba, Medellín, Bogotá, Lima, Buenos Aires e Santiago), América do Norte (Nova Iorque, Miami e Cidade do México) e Europa (Londres e Luxemburgo).

BTG Pactual (BPAC11) vem de uma grande valorização após crash nos mercados em 2020

O ativo vem de uma grande valorização desde o crash nos mercados em 2020, se valorizando mais de 350,00% da mínima de março de 2020, R$25,83, à máxima em fevereiro de 2021, R$115,85:

BTG

Apesar da forte valorização, o ativo ainda não cumpriu seu alvo total do pivot ativado em dezembro de 2020, projetado em R$137,64:

BTG

Após o topo deixado nos R$115,85, o papel do BTG iniciou uma correção nas últimas semanas, se segurando num ponto bem relevante: a retração de 61,80% da última pernada de alta desde o fundo de outubro de 2020, em R$69,27. Vai também respeitando a MM21, mostrando a força da recuperação nesta semana, especificamente:

BTG

Tomando como base o preço atual na região dos R$92, temos um potencial ganho de quase 25,00% até a máxima histórica, caso a reação ocorra nas próximas semanas.

BTG

E um potencial stop de aproximadamente 7,00% caso nas próximas semana o ativo vier a perder a mínima dessa semana, que foi R$86,60:

BTG

Isso faz com que a relação risco x retorno fique 1 para 3,5, o que é bem atrativo.

Do lado dos indicadores, o que me chamou a atenção foi o TRIX, mostrando ainda tendência de alta e espaço para buscar o topo de setembro de 2019, que foi o ápice de momentum para o papel:

BTG

O IFNC, Índice Financeiro na B3, mostra o mesmo movimento, o que corrobora para a movimentação esperada na unit do BTG, BPAC11:

BTG

O que aumenta os possíveis riscos para o BTG nesse momento e para os próximos meses?

  1. Desaceleração na recuperação da economia;
  2. Mercados externos iniciarem tendência de baixa;
  3. Resultado da próxima reunião do Copom que fique abaixo do consenso de mercado, fazendo com que os juros futuros, DIs, continuem estressados;

Sempre é bom lembrar: Além da análise da movimentação dos preços via AT, deve-se considerar o cenário macro e micro atual, perspectivas de curto prazo para o setor e decisões políticas que afetam diretamente a economia, e no Brasil costumam fazer bastante preço, para avaliarmos se faz sentido investir nessa empresa.

Vejo assimetria interessante no papel, e o setor, que sofreu bastante nos últimos meses, tem potencial para recuperação, principalmente os bancos bem estabelecidos no mercado, caso do BTG Pactual, que têm um apelo digital e estão preparados para atender diversos tipos diferentes de perfis de clientes.

Arte: Vinícius Martins / TC Mover

DISCLAIMER: As informações disponibilizadas na coluna são meramente opiniões do COLUNISTA na data em que foram expressas e não declarações de fatos ou recomendações para comprar, reter ou vender quaisquer títulos ou valores mobiliários, ou ainda, qualquer recomendação de investimento.


Leia também

Especial: Na próxima semana, mercado espera destravamento da agenda

Itaú piora projeções para PIB, inflação, dólar e Selic com restrições e fiscal

Eletrobras (ELET6) adia divulgação de balanço para próxima segunda-feira

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais