TC Mover
Mover

Sanita: Será que é a hora da reação de Valid (VLID3)?

Postado por: TC Mover em 02/04/2021 às 15:40

Essa semana falo de uma small cap que vem sofrendo muito desde o crash da pandemia de COVID-19 em março/2020.

Será que é a hora da reação de Valid (VLID3)?


Vamos conhecer um pouco da história da Valid

Fonte: Valid

Em 1957, foi fundada a sociedade Thomas de La Rue, cuja atuação era voltada para a venda de papel de alta-segurança e tecnologias de impressão.

Em 1993, a Thomas de La Rue foi adquirida pela American Banknote Corporation e teve a sua denominação social alterada para American Banknote Company Gráfica e Serviços Ltda. Posteriormente transformada em sociedade anônima, a então American Banknote S.A., passou a atuar também no desenvolvimento de serviços, produtos e soluções para o setor de cartões, sistemas de identificação e impressão de segurança, em 18 estados do território nacional.

A partir de 1993, por meio de uma série de aquisições, alianças estratégicas e joint ventures, a seguir descritas, a companhia conquistou uma posição de liderança no mercado brasileiro, e referência de qualidade nas soluções entregues.

Em 12 de abril de 2006, a empresa obteve o registro de emissora de valores mobiliários categoria “A” junto à CVM, passando a integrar o Novo Mercado da B3.

Hoje a companhia atende tanto a clientes do setor privado quanto do setor público, oferecendo produtos e serviços que incluem características, processos e tecnologias antifraude e que dificultam a falsificação.

A Valid tem entre seus principais clientes governos estaduais e agências públicas, grandes instituições financeiras, empresas de telecomunicações, varejistas, cooperativas agrícolas e profissionais liberais.

Ao longo dos últimos anos a Valid trabalha fortemente na diversificação do portfólio de serviços. O portfólio de soluções oferecidas hoje inclui cartões de crédito e de débito, carteiras de habilitação, impressos de segurança, carteiras de identidade e processamento e emissão de documentos com impressos de segurança e prevenção a fraudes.

Além disso, a Valid oferece também logística de documentos e gestão de suprimento de produtos gráficos, smart cards, selos rastreáveis, contactless cards, certificados digitais, cheques, extratos bancários, sistemas de identificação biométrica, sistemas para modernização administrativa, aplicativos para internet banking, sistemas de gestão de assinaturas para operadoras de telefonia móvel, sistemas de armazenamento inteligente, serviços de rastreabilidade utilizando tecnologia RFID e contas de serviços de utilidade pública.

A empresa tem seis mil funcionários em 17 países e considera as particularidades de cada cultura e região para criar soluções personalizadas e integradas, colocando a Valid como relevante player global na esfera da vida conectada.


Fatos relevantes da história da empresa

Fonte: Valid

Os fatos mais relevantes da história da Companhia, que possibilitaram a sua expansão e posição de liderança no mercado, foram:

1995: Aquisição do negócio de serviços gráficos do Bradesco, dando em pagamento aos vendedores ações representando 22,5% do capital da Companhia;

1996: Aquisição do negócio de serviços gráficos do Unibanco, mediante pagamento em espécie;

1997: Aquisição do negócio de impressão eletrônica do Itaú, mediante pagamento em espécie;

1998: Aquisição da Menno Cartões: Aquisição de todos os ativos da empresa então líder em fabricação de cartões plásticos no Brasil, mediante pagamento em espécie;

1999: Foi celebrado um contrato de joint venture com a empresa Gemplus SCA, empresa francesa líder mundial no mercado de smart cards;

2006: Abertura do capital realizada em 12 de abril de 2006. Aquisição, em setembro, da Trust Administração e Participações Ltda., empresa atuante no segmento gráfico de segurança, tendo como principais atividades a impressão de loterias instantâneas e cartões pré-pagos em papel;

2007: Venda da participação de 50% detida pela Companhia na Gemplus Banknote (GBN) em janeiro. Aquisição da empresa argentina Transtex, em junho, a qual, em 10 de novembro de 2010, teve sua razão social alterada para Valid Soluciones y Servicios de Seguridad en Medios de Pago e Identificación S.A;

2008: Aquisição da Interprint Ltda.;

2010: Aquisição da Microeletrónica Española S.A.U. (MEE), a qual, em 16 de novembro de 2010, teve sua razão social alterada para Valid Soluciones Tecnológicas S.A;

2010: A American Banknote Corporation deixou de ser o principal acionista da Companhia e, por consequência, em 08 de outubro de 2010, a American Banknote S.A. teve a sua denominação social alterada para Valid Soluções e Serviços de Segurança em Meios de Pagamento e Identificação S.A;

2011: Constituição da empresa Valid Certificadora Digital Ltda, controlada da Companhia, atuante no segmento de certificados digitais para pessoas físicas e jurídicas e notas fiscais eletrônicas;

2012: Em maio, com objetivo de reforçar a estratégia de crescimento da companhia em outros mercados geográficos, a Companhia adquiriu a Empresa PPI Secure Solutions LLC, sediada na Pensilvânia, Estados Unidos. A Empresa PPI Secure Solutions LLC é reconhecida pela produção de cartões e soluções bancárias; Em novembro, a Companhia adquiriu os ativos da Vmark Inc. e de suas subsidiárias localizadas em Illinois e Nova Jersey, Estados Unidos, consolidando o posicionamento da Companhia no mercado norte-americano;

2013: A Companhia adquiriu a ScreenCheck North America LLC sediada em Indiana, Estados Unidos da América pela controlada Valid USA;

2014: Em março de 2014, a Companhia adquiriu a Inversiones Germán Martínez S.A.S., estabelecida em Bogotá, Colômbia, pela controlada Valid Soluciones Tecnológicas S.A., que passou a denominar-se Valid Soluciones y Servicios de Seguridad en Medios de Pago e Identificación S.A.S. Em setembro, a Companhia adquiriu a Solpyr Investment S.A. pela Interprint no Uruguai. Ainda em setembro, a Companhia constituiu a subsidiária Valid Soluciones y Servicios de Seguridad em Medios de Pago e Identificación no México.

2015: Em janeiro, a Companhia adquiriu substancialmente todos os ativos e assumiu determinados passivos da Card Cells através da VALID USA. Em junho, a Companhia adquiriu a MSC, sediada na Califórnia, também através da VALID USA. Em outubro de 2015, a companhia realizou a aquisição da Fundamenture, empresa localizada na Dinamarca, que atua no negócio global de Telecom, com presença importante na Ásia, África e Oriente Médio.

Com foco na produção e comercialização de SIM cards, desenvolvimento e implementação de sistemas operacionais para SIM Cards e Smart Cards e gerenciamento de software e soluções para operadoras de telefonia móvel. Como resultado da aquisição, a Companhia acredita que pode exercer um papel mais relevante na cadeia de valor global do chip com ganho de escala, aumento de eficiência e market share.

2016: Ao longo de 2016 trabalhamos fortemente na diversificação do nosso portfólio de serviços, pois entendemos que vários dos produtos e soluções atualmente fornecidos estão no meio de uma transformação do mundo físico para o ambiente digital e cada vez mais conectado. Neste sentido, algumas das principais soluções que já temos desenvolvidas são a que fizemos para o Banco Davivienda, na Colômbia, com foco no acesso a serviços financeiros por meio de smartphones e também estamos atuando em projetos relacionados às iniciativas de Machine to Machine e Internet das Coisas.

Ainda com o objetivo de agregar valor as nossas ofertas atuais e reconhecendo que estamos num mundo que gera grandes quantidades de informação, a Valid tem investido na linha de negócios de DATA que tem como meta explorar toda a informação que é gerada por muitos de nossos clientes em relação aos seus usuários. A Valid tem desenvolvido tecnologias para analisar de forma segura os dados fornecidos por nossos clientes sobre o comportamento de seus usuários de forma tal que o nosso papel seja mais relevante e contribua, de forma definitiva, na estratégia de negócios deles.

Além disso, no dia 04 de julho de 2016, a Companha informou aos seus acionistas e ao mercado em geral que, após cumprimento das condições suspensivas estabelecidas no contrato de compra e venda, foi concluída a venda da totalidade da participação acionária de sua controlada Interprint Ltda. na empresa Multidisplay Comércio e Serviços Tecnológicos S.A. (“Multidisplay”). Com tal desinvestimento, a Valid dá continuidade à sua estratégia de concentrar-se em negócios nos quais sua participação é majoritária e que mais se adequem ao seu portfólio de produtos e soluções.

Com sua forte expansão global nos últimos anos, a Valid busca estabelecer com seus clientes relações de longo prazo, baseadas na confiança mútua. Desta forma, a venda da participação da controlada Interprint Ltda. na Multidisplay permite à empresa focar na sua missão de prestar serviços customizados para identificação de pessoas, objetos e transações com segurança.

2017: Nos Estados Unidos, iniciamos a emissão de carteiras de habilitação no Estado de Washington em fevereiro de 2017, consolidando nossa presença no mercado americano e continuamos buscando oportunidades para oferecermos a melhor solução para os estados no segmento de Identificação.

Seguindo a estratégia de participar de forma mais ativa na era da vida conectada e estar preparada para a transição do SIM Card tradicional para o eUICC SIM (embeded SIM), provendo o produto, o sistema operacional e a plataforma de personalização (Subscription Manager), em 21 de agosto a empresa anunciou a aquisição de 5,39% das ações da Cubic Telecom Limited por um valor de 10 milhões de euros.

A Cubic é uma empresa irlandesa com foco no desenvolvimento de plataformas de gestão de conectividade M2M (Machine-to-Machine), a qual utiliza como principal componente a tecnologia eUICC – ou embedded SIM ou eSIM – considerada a evolução do SIM Card.

2018: Visando ampliar seus negócios e atender seus clientes de forma mais célere e eficaz, em 20 de março, a companhia constituiu na Nigéria, através da Valid Soluciones Tecnológicas SA, a Valid Card Nigeria Limited. Em 8 de junho de 2018, a Companhia teve seu nome alterado para Valid Soluções S.A. E, com o intuito de expandir o rol de negócios dentro da área de IoT, utilizando o expertise de todo o Grupo Valid, para levar tecnologia avançada para a gestão do agronegócio, a Interprint Ltda. adquiriu 51,8% da Nexitera Consultoria e Soluções em TI S.A.



Mas em relação à movimentação de preços, o que me chamou a atenção?

Desde a máxima de 2020, estabelecida em janeiro/2020 em R$19,29, a empresa enfrentou uma desvalorização de quase 70%, chegando a negociar a R$6,16 em março/2020 :



De março/2020 até julho/2020, a empresa iniciou uma boa recuperação, chegando a se valorizar quase 100%, mas enfrentou forte resistência da MM50 (média móvel aritmética de 50 períodos) e novamente veio a testar a região dos R$6:



O papel da Valid deixou esse fundo relevante na faixa dos R$6 e de lá pra cá continua enfrentando a forte resistência da MM50:



Note que é a primeira vez de em 1 ano que os preços fecham acima da MM50:



Isso por si só poderia ser um trigger para o início da reação no papel, mas também temos os indicadores corroborando com esse racional.

Voltamos a mostrar bastante força no estocástico:



No MACD o histograma já volta a ficar positivo:



O IFR14 já está se mostrando mais direcional e vai testando topos anteriores:



Caso o ativo da Valid confirme esse rompimento importante e venha buscar o topo de junho/2020 na região dos R$12,20, há um potencial de valorização de 33,5%:



Do lado dos riscos, eu posicionaria o stop abaixo da mínima de semana passada, tendo um potencial de perda de 13%:



Considerando o risco x retorno, ficaria em 1 para 3, o que é bastante atrativo.

Num cenário mais otimista, caso vejamos a partir daqui uma forte tendência de alta ser estabelecida, o papel da Valid teria um potencial de valorização de 110% até o topo de janeiro/2020, pré-crash da pandemia.



A empresa ainda pouco se recuperou da queda acentuada dos últimos meses e vejo bastante potencial por conta da grande assimetria no papel.

Como sempre deixo o alerta e enfatizo que além da análise da movimentação dos preços via AT, deve-se considerar o cenário macro/micro atual, perspectivas de curto prazo para o setor e decisões políticas que afetam diretamente a economia (e no Brasil costumam fazer bastante preço) para avaliarmos se faz sentido investir nessa empresa.

Arte: Vinícius Martins / TC Mover

DISCLAIMER: As informações disponibilizadas na coluna são meramente opiniões do COLUNISTA na data em que foram expressas e não declarações de fatos ou recomendações para comprar, reter ou vender quaisquer títulos ou valores mobiliários, ou ainda, qualquer recomendação de investimento.


Leia também

Calendário Econômico: Feriado, Payroll, desemprego nos EUA

Pontes: Lucro, fluxo de caixa e accruals – não é um mero ajuste contábil sem efeito caixa

Sena: De poemas, sutilezas e balanços no Brasil – o caso da Enjoei

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais