Bitcoin derrete e futuros apontam para abertura fraca em Nova Iorque - TC
TC Mover
Mover

Bitcoin derrete e futuros apontam para abertura fraca em Nova Iorque

Postado por: TC Mover em 23/02/2021 às 10:17
Bitcoin

São Paulo, 23 de fevereiro – O Bitcoin perde mais de 10% na manhã desta terça-feira, a segunda queda consecutiva, em meio a preocupações sobre a sustentabilidade do rali da criptomoeda e as declarações da secretária do Tesouro americano, Janet Yellen, que questionou a eficiência e a legalidade do instrumento. Os futuros dos índices acionários americanos recuam, apontando para abertura fraca em Nova Iorque.


Contratos futuros de S&P500 e Nasdaq recuam

“Todo isso aqui aponta a uma correção, não sabemos se será leve ou não, mas pelo que parece será um movimento saudável”, disse o trader e contribuidor do TC, Moises Beida. Os contratos futuros do Dow Jones recuam pouco menos de 0,10%, do S&P500 0,44% e do Nasdaq 1,59%. As perdas, especialmente no Nasdaq, desaceleraram à medida que os rendimentos dos Treasuries se estabilizaram no início desta manhã. Mesmo assim, o investidor disse que juros mais altos da dívida americana podem prejudicar as empresas mais dependentes de empréstimos fáceis e impactar as avaliações de empresas de tecnologia.


Yellen e Bill Gates alertam sobre rali de Bitcoin

O Bitcoin recua 12% a US$46.600, de acordo com a Coinbase. Yellen disse ontem que a criptomoeda é uma forma extremamente ineficiente de realizar transações e alertou sobre seu uso em atividades ilícitas.

Já o co-fundador da Microsoft, Bill Gates falou sobre o rali do Bitcoin movido por “mania”. O Bitcoin tinha ultrapassado os US$58 mil pela primeira vez no domingo, impulsionado pelos anúncios da Tesla, BoNY Mellon e Mastercard de abraçarem as criptomoedas para pagamentos e outro tipo de transações.

Além do Bitcoin, o investidor fica de olho na sabatina do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, perante o Comitê Bancário do Senado por volta de meio-dia, horário de Brasília, para quaisquer dicas sobre as perspectivas de inflação e a recente alta nos Treasury yields. O comitê de Orçamento da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou ontem o pacote de US$1,9 trilhão para o coronavírus. Espera-se aprovação do projeto no final da semana. Assim, o Índice Dólar DXY avança 0,12% ante pares, enquanto o Treasury yield de dez anos opera levemente em queda, a 1,362%. O petróleo sobe, assim como ouro e índice de volatilidade VIX.


Novas parcerias e apoio de Elon Musk impulsionam rali das criptomoedas

O novo rali do Bitcoin e de outras moedas virtuais ganhou força com parcerias importantes. O BNY Mellon anunciou que oferecerá serviços financeiros de criptomoedas e a Apple adicionou a processadora de pagamentos BitPay na lista de parceiros que compõem o ecossistema de compras seguras Apple Pay.

Alguns influenciadores digitais também estão ajudando na alta das criptomoedas. O homem mais rico do mundo e emblemático empresário Elon Musk declarou diversas vezes em postagens em rede social apoio à Dogecoin, criptomoeda nascida de meme e brincadeiras. Além disso, a Tesla, empresa de carros elétricos de Musk, comprou US$1,5 bilhões de Bitcoin.

Em entrevista exclusiva para a TC Mover, o especialista em criptomoedas Paulo Boghosian disse que influenciadores, como Musk, Chamath Palihapitiya e Dave Portnoy, conduzem esse processo de apoio ao Bitcoin e outras moedas digitais “como se fosse um protesto contra o sistema financeiro tradicional”.


Depreciação do dólar ajuda o Bitcoin a decolar

A depreciação do dólar no exterior, inclusive diante de outras moedas como o euro, por conta do forte aumento do déficit público americano com os gastos para conter o coronavírus, favorecem as criptomoedas. Ou seja, elas são vistas como uma alternativa para proteção do valor real do dinheiro. Assim, em caso de uma forte alta da inflação nos países desenvolvidos, que desvalorizaria as moedas, as criptomoedas se valorizariam.

A alta do dólar em relação ao real, por sua vez, amplia essa alta global do Bitcoin no Brasil. A principal razão para a alta expressiva do Bitcoin é o aumento dos investimentos em criptomoedas por parte de empresas, afirma Beibei Liu, presidente da NovaDAX, bolsa das moedas digitais.


Riscos de investir em criptomoedas

Apesar da atratividade e de sua crescente demanda, o Bitcoin possui muita volatilidade. Ou seja, sua cotação tem grandes flutuações em curtos períodos de tempo, parte do motivo de não ter decolado como meio de pagamento global. Além disso, os movimentos erráticos de mercado, a possibilidade de roubo de registros de criptomoedas por hackers e a suspeita de manipulação de mercado também fazem parte do risco do investimento.

Muitas operações envolvendo criptomoedas são realizadas de forma não regulamentada, com riscos operacionais e regulatórios. É possível encontrar diversos casos em que o dinheiro simplesmente some, é roubado por um hacker ou o investidor sofre um golpe financeiro.

Por outro lado, o risco de controle do Bitcoin por meio do governo com medidas regulatórias ao passo que as criptomoedas ganham notoriedade pode afastar investidores.

Texto: Guillermo Parra-Bernal
Edição: Bárbara Leite e Letícia Matsuura
Arte: Vinícius Martins/TC Mover


Leia também

Petrobras ensaia retomada em dia de sabatina de Powell, no radar, CSN: Espresso

Mansano: Estatais como instrumento de políticas econômicas?

Calendário Econômico: Balanços, IPC, confiança do consumidor

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais