TC Mover
Mover

China pode punir investidores de criptomoedas

Postado por: TC Mover em 25/05/2021 às 15:40
Região da China poderá punir investidores de criptomoedas

São Paulo, 25 de maio – A Mongólia Interior, região da China que costumava ser um hub de mineração de criptomoedas, está propondo medidas duras contra o setor logo após o endurecimento do combate aos criptoativos proposto recentemente pelo governo chinês.


Combate da China à mineração de criptomoedas busca diminuir emissões de carbono

Na última semana, a China afirmou que vai reprimir a mineração e o trade de criptomoedas de forma intensa no país, o que derrubou os mercados e fez com que os mineradores locais entrassem em pânico. Muitos deles já estariam deixando o país, segundo o The Block.

Agora, a Mongólia Interior propôs que as empresas e indivíduos que utilizam criptomoedas sejam enquadrados como criminosos e até mesmo inclusos em uma “lista dos desonestos”. Isso pode impedi-los de ter acesso a contas bancárias e passagens aéreas, entre outras atividades cotidianas.

O combate à mineração de criptomoedas está relacionado ao esforço da China para melhorar as suas taxas de emissões de carbono. A Mongólia Interior, especificamente, utiliza energia dos combustíveis fósseis, já que está localizada no norte da China e possui pouco acesso a recursos hídricos.


China pretende controlar riscos financeiros dos criptoativos, segundo vice-premiê

O cerco do país às criptomoedas se intensificou a partir da última quarta-feira, 18, quando o governo proibiu instituições financeiras e empresas de pagamentos de oferecer serviços relacionados às criptomoedas. A ação é uma tentativa de aumentar o controle das transações antes do lançamento oficial do yuan digital, ou e-CNY.

Já na última sexta-feira, 21, a ata do 51º Comitê de Estabilidade Financeira e Desenvolvimento, também criticou as criptomoedas. O vice-premiê da China, Liu He, disse que o país quer “prevenir e controlar os riscos financeiros de forma definitiva”, segundo o documento, com repressão ao trade e mineração de criptomoedas.

A posição da China tem afetado a cotação dos criptoativos. No último domingo, 23, a capitalização do mercado das criptomoedas chegou a encolher para US$1,19 trilhão. No dia seguinte, porém, o setor teve recuperação.


Riscos de investir em criptomoedas

Apesar da atratividade e de sua crescente demanda, as criptomoedas possuem muita volatilidade. Sua cotação tem grandes flutuações em curtos períodos de tempo, parte do motivo de ainda não ter decolado como meio de pagamento global. Os efeitos dos anúncios da China são o exemplo mais recente dessa volatilidade, com quedas e recuperações. O movimento também foi visto após declarações do empresário Elon Musk sobre o Bitcoin, criticando seus impactos no meio ambiente.

Além disso, os movimentos erráticos de mercado, a possibilidade de roubo de registros de criptomoedas por hackers e a suspeita de manipulação de mercado também fazem parte do risco do investimento. Muitas operações envolvendo criptomoedas são realizadas de forma não regulamentada, com riscos operacionais e regulatórios.

É possível encontrar diversos casos em que o dinheiro simplesmente some, é roubado por um hacker ou o investidor sofre um golpe financeiro. Por outro lado, o risco de controle da moeda por meio do governo com medidas regulatórias ao passo que as criptomoedas ganham notoriedade pode afastar investidores.

Texto: Nicolas Nogueira
Edição: Guilherme Dogo e João Pedro Malar
Arte: Vinícius Martins / TC Mover


Leia também

Prévia da inflação desacelera para 0,44% em maio

Normalização parcial da taxa Selic é adequada, diz presidente do Banco Central

Futuros de Nova Iorque sinalizam que rali continua; Federal Reserve, IPCA-15, reformas no radar: Espresso

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais