TC Mover
Mover

Fundos de Ethereum atraem US$11,7 milhões na última semana

Postado por: TC Mover em 19/07/2021 às 18:26
Fundos de Ethereum

São Paulo, 19 de julho – Os fundos de Ethereum atraíram US$11,7 milhões na última semana. Isto ocorreu mesmo com o momento negativo atravessado pelo mercado de criptomoedas, indicando demanda pela blockchain, que é a base de grande parte das finanças descentralizadas e dos tokens não-fungíveis da atualidade.

No geral, o fluxo dos fundos de criptomoedas foi positivo em US$2,9 milhões na semana anterior, segundo o relatório da CoinShares publicado nesta segunda-feira. No caso, os fundos de Bitcoin tiveram saídas de US$10,4 milhões, quase apagando as entradas dos fundos de Ethereum. Além disso, o volume de negócios nesses fundos caiu para 38% da média diária de 2021, com US$3,9 bilhões sendo trocados por dia.

O maior fluxo negativo da semana foi observado nos fundos da britânica ETC Issuance, com US$10,7 milhões, seguida da canadense 3iQ, com US$4 milhões. Por outro lado, o fundo da CoinShares teve um fluxo positivo de US$4,5 milhões na semana, enquanto o da canadense Purpose atraiu US$3,8 milhões.

Riscos de investir em criptomoedas e fundos de Ethereum

Apesar da atratividade e de sua crescente demanda, as criptomoedas possuem muita volatilidade. Suas cotações têm grandes flutuações em curtos períodos de tempo, parte do motivo de o Bitcoin, pioneiro das moedas virtuais, ainda não ter decolado como meio de pagamento global. Além disso, os movimentos erráticos de mercado, a possibilidade de roubo de registros de criptomoedas por hackers e a suspeita de manipulação de mercado também fazem parte do risco do investimento.

Muitas operações envolvendo criptomoedas, incluindo os fundos de Ethereum, são realizadas de forma não regulamentada, com riscos operacionais e regulatórios. É possível encontrar diversos casos em que o dinheiro simplesmente some, é roubado por um hacker ou o investidor sofre um golpe financeiro.

Por outro lado, o risco de controle da moeda virtual por meio do governo com medidas regulatórias ao passo que os criptoativos ganham notoriedade pode afastar investidores desse investimentos e dos fundos baseados no Ethereum, Bitcoin e outras criptomoedas.

O que é Ethereum?

O Ethereum foi idealizado em 2013 por Vitalik Buterin, e lançado oficialmente para o público em 2015. A ideia era criar um blockchain semelhante ao Bitcoin, mas ao invés de apenas transações de carteiras para carteiras, o novo blockchain permitiria também transações de carteiras para contratos inteligentes. Ou seja, usa a tecnologia para criar contratos virtuais para pagamentos, compras e vendas. Nesse sentido, além de poder ser utilizado como uma moeda digital, a tecnologia do Ethereum permite a negociação de outros criptoativos, incluindo o Bitcoin.

Com a demanda crescente, foram criados os fundos das criptomoedas, com o objetivo de diversificar a carteira. O primeiro registrado na bolsa brasileira foi o HASH11, amplamente baseado no Bitcoin e no Ethereum, além de conter a Stellar, o Litecoin, o Bitcoin Cash e o Chainlink.Saiba mais sobre o Ethereum no artigo do TC School.

Texto: Nicolas Nogueira
Edição: Cíntia Thomaz e Letícia Matsuura
Arte: Vinícius Martins / Mover


Leia também

Engie paralisa obra de transmissão após mortes

Credit Suisse eleva preço-alvo da Petrobras, mas vê riscos

Jair Bolsonaro volta a atacar STF e voto eletrônico

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais