TC Mover
Mover

Companhias aéreas disparam com Gol e fusão entre Azul e Latam

Postado por: TC Mover em 07/06/2021 às 14:41
Azul e Gol puxam alta das companhias aéreas

São Paulo, 7 de junho – Uma bateria de notícias positivas para as companhias aéreas, como a possibilidade de uma fusão entre a Azul e a Latam, crescimento na demanda da Gol e a divulgação dos termos da relação de troca de ações da empresa com a Smiles, levam os papéis do setor a valorizarem nesta segunda-feira, 7.


Azul deve fazer proposta de fusão para a Latam Brasil em até 90 dias, dizem analistas

A Azul lidera os ganhos percentuais do Ibovespa por volta das 14h35, após o Bradesco BBI elevar a recomendação para a ação preferencial da companhia (AZUL4) de neutra para compra. O banco afirma que uma eventual fusão com a Latam Brasil é “muito provável”, e uma proposta deve ser feita em até 90 dias, o que animou o mercado.

Os analistas do banco elevaram o preço-alvo para os papéis de R$38,00 para R$75,00. Eles consideraram também o potencial de crescimento da empresa com a reabertura da economia e a retomada das viagens, o que favorecerá as companhias aéreas.

Os controladores da Latam já afirmaram que não têm interesse em vender a empresa. Mas, como a companhia está em recuperação judicial, seus credores podem incluir o negócio como uma das alternativas em seu plano de reestruturação até o fim deste mês. A proposta, então, seria votada até 23 de agosto.


Fusão entre companhias aéreas traria até R$9,5 bilhões em sinergias

A fusão das companhias aéreas geraria sinergias de até R$9,5 bilhões em valor presente líquido para as empresas, segundo o Bradesco BBI. Os analistas acreditam que o negócio deve ocorrer com a Azul emitindo 101 milhões de ações a R$56,00 para incorporar as operações brasileiras da Latam.

Caso os credores da companhia chilena desejem uma transação em dinheiro, a Azul precisaria desembolsar cerca de US$1,1 bilhão. O movimento não impactaria de maneira brusca na alavancagem da empresa, já que as sinergias operacionais capturadas atuariam como contrapeso.


Alta em taxa de ocupação e proposta para a Smiles beneficiaram a Gol

Ainda entre as companhias aéreas, o otimismo com a Gol é sustentado pelo anúncio dos termos da troca de ações com a Smiles. A companhia informou que emitirá 22,4 milhões de ações, o equivalente a 5,40% dos papéis, para pagar a Smiles. A diluição proposta será 46% menor que o previsto anteriormente, e a reorganização deve ser finalizada em 23 de junho.

As sinergias, segundo a Gol, devem chegar a R$400 milhões ao ano. Soma-se a isso o anúncio de que a taxa de ocupação da Gol em maio ficou em 88%, alta de 13,3 pontos percentuais ante maio de 2020, com avanço de 547% no número de passageiros transportados.


Desempenho das ações das companhias aéreas

Por volta das 14h35, as ações da Azul (AZUL4) avançavam 6,31%, a R$47,53. Já os papéis da Gol (GOLL4) valorizavam 4,49%,a R$27,67. No mesmo horário, o Ibovespa tinha alta de 0,45%, aos 130,7 mil pontos.


Desempenho das ações da Azul


Para acompanhar o desempenho das ações das companhias aéreas e de outras empresas, basta acessar o TC Matrix, ferramenta gratuita do TC.

Texto: Gustavo Boldrini e Peter Frontini
Edição: Lucia Boldrini e João Pedro Malar
Arte: Vinícius Martins / TC Mover


Leia também

Ministério da Saúde não vê risco extra com Copa América

Calendário Econômico: Relatório Focus, Gympass, Japão

As mais lidas da semana: Carteiras de junho, B3 (B3SA3), Ethereum

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais