Construtoras caem com inflação e expectativa para taxa Selic - TC
TC Mover
Mover

Construtoras caem com inflação e expectativa para taxa Selic

Postado por: TC Mover em 10/06/2021 às 18:36
Construtoras caíram em meio a preocupações

São Paulo, 10 de junho – As ações de construtoras no Ibovespa operaram pressionadas nesta quinta-feira, 10. As empresas Cyrela, Eztec e Tenda figuraram entre as perdas do índice no dia, refletindo a expectativa por forte alta da taxa básica de juros, a taxa Selic, e a crescente pressão nos custos do setor. Pesou, também, o rebaixamento de recomendação pelo Credit Suisse.


Quedas de construtoras mostram percepção de risco para o setor

As baixas mostraram um aumento na percepção de risco para o setor, após uma alta acelerada da inflação em maio aumentar a pressão sobre a decisão do Comitê de Política Monetária do Banco Central, Copom. Ela está marcada para a próxima quarta-feira, 16.

O comitê deverá adotar uma postura mais firme em relação ao ajuste da taxa Selic ao longo de 2021. Isso deixará mais caro o crédito imobiliário e prejudicará as vendas de imóveis, afetando as construtoras.


Pressão nos custos com matérias-primas e mão de obra gera preocupação

Além disso, existe também uma preocupação com pressão nos custos para o setor. A alta das commodities vem impactando nos preços de matérias-primas, como do aço. Há, ainda, o aumento do custo da mão de obra, devido à alta da inflação, que tende a elevar os reajustes salariais.

Segundo dados divulgados ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE, os materiais ficaram 2,66% mais caros em maio. Eles também apresentaram o maior índice acumulado dos últimos 12 meses de toda a série histórica, em 31,58%. No mesmo período, o gasto com pessoal apresentou crescimento acumulado de 3,44%.


Credit Suisse rebaixou recomendação da Eztec para neutro

Avaliando a deterioração do cenário econômico para as construtoras, o Credit Suisse rebaixou a recomendação da Eztec de outperform, equivalente a compra, para neutro. Ele cortou o preço-alvo de R$53,00 para R$44,00. Já no caso da Cyrela, o banco manteve a recomendação de compra, mas reduziu o alvo de R$35,00 para R$32,00.

A expectativa é que a retomada de restrições mais duras para conter os efeitos da Covid-19 também sigam afetando as incorporadoras no resto do ano. O movimento pode gerar, segundo avaliação do Credit Suisse, uma concentração de lançamentos e reabertura de estandes no segundo semestre. Isso dificultaria as vendas e limitaria a capacidade das construtoras de aumentar os valores dos imóveis.


Desempenho das ações das construtoras

O papel da Cyrela (CYRE3) caiu 2,42% nesta quinta-feira, cotado a R$24,95. Já as ações da Eztec (EZTC3) recuaram 1,29%, a R$33,55, e as da Tenda (TEND3), 1,04%, a R$25,68. O Ibovespa fechou em alta de 0,13%, aos 130,0 mil pontos.


Desempenho das ações da Cyrela


Para acompanhar o desempenho das ações das construtoras e de outras empresas, basta acessar o TC Matrix, ferramenta gratuita do TC.

Texto: Clara Guimarães
Edição: Bárbara Leite e João Pedro Malar
Arte: TC Mover


Leia também

PL dos combustíveis pode ser votado na próxima semana

Suzano recua após Bank of America rebaixar recomendação

Especial: Perspectivas da MP da Eletrobras na semana que vem

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais