Mover

Credit Suisse eleva Petrobras para neutra com menos incertezas

Postado por: TC Mover em 26/04/2021 às 12:37

São Paulo, 26 de abril – A redução das incertezas com a eleição do novo conselho e a posse de Joaquim Silva e Luna como diretor-presidente, além do múltiplo “extremamente descontado” diante da tendência de alta do petróleo Brent tornam a tese de investimento da Petrobras mais atrativa, disse o Credit Suisse. Em relatório, o banco eleva a recomendação para o ADR, recibo da ação negociada nos Estados Unidos, da estatal negociado de underperform, equivalente a venda, para neutra.


Credit Suisse mantém visão conservadora para a estatal

O Credit Suisse avalia que a relação entre valuation e risco para a petroleira brasileira está mais “convicente”, principalmente pela redução dos riscos. Contudo, mantém uma visão conservadora para a Petrobras diante da dificuldade da companhia em reconquistar a confiança dos investidores.

A quebra de confiança na estatal ocorreu na troca de comando de Roberto Castello Branco por Silva e Luna a mando do presidente Jair Bolsonaro. “O mercado ainda não parece disposto a pagar mais que US$10 pelo ADR desde então”, diz o relatório assinado por Regis Cardoso e Marcelo Gumiero, que eleva o preço-alvo de US$8,00 para US$10,00.


Maior destaque da Petrobras é o múltiplo descontado

O múltiplo descontado é o maior destaque positivo para a tese da Petrobras, segundo o Credit Suisse. Caso a companhia respeite o capex, o investimento em bens de capital, divulgado nas estimativas para o ano, e o preço do combustível permaneça nos patamares atuais, o fluxo de caixa livre da estatal pode chegar a 31%, e o papel pode negociar a 3,1 vezes no múltiplo EV/EBITDA, que compara o valor da empresa com seu lucro operacional, “o que são avaliações de mercado descontadas por qualquer medida”. A atratividade do valuation da empresa deve ficar ainda mais claro após a divulgação do balanço do primeiro trimestre, em 13 de maio, destaca o estudo.

O Credit Suisse mantém no radar os riscos de mudanças na política de preços atrelada às cotações internacionais de petróleo e dólar, apesar de Luna já ter informaado que vai respeitar a chamada paridade internacional de preços. “Agora, é preciso cumprir o que foi falado”, diz o relatório.


Desempenho das ações da Petrobras (PETR4)

Perto das 12h30, o ADR da estatal subia 1,07% em Nova Iorque, cotado a US$8,53. Já no Brasil, a ação preferencial (PETR4) avançava %0,30, a R$23,76. Enquanto isso, o papel ordinário (PETR3) subia 0,43%, a R$23,37. Os papéis ordinários e preferenciais e ordinários da Petrobras na B3 acumulam quedas de mais de 10% no ano, elevando a percepção de um desconto excessivo nas cotações da companhia. No mesmo horário, o Ibovespa operava em leve queda de 0,08%, aos 120,4 mil pontos.

ação da Petrobras - PETR4

Para acompanhar o desempenho das ações da petroleira e de outras empresas, basta acessar o TC Matrix, ferramenta gratuita do TC.

Texto: Gustavo Boldrini
Edição: Bárbara Leite e Letícia Matsuura
Arte: TC Mover


Leia também

Reformas Tributária e Administrativa sairão neste ano, diz Arthur Lira

Federal Reserve e PIB dos EUA guiam semana cheia; no radar, inflação, CPI da Covid-19: Espresso

Calendário Econômico: Balanços, Nestlé, leilão

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais