TC Mover
Mover

Eleven recomenda participar de IPO da Desktop

Postado por: TC Mover em 15/07/2021 às 14:07
Eleven recomenda IPO da Desktop

São Paulo, 15 de julho – A Eleven recomendou a participação na oferta pública inicial, IPO na sigla em inglês, da provedora de serviços de internet Desktop. A justificativa é que a atuação da companhia em mercados regionais mais fragmentados e com menos competição abre espaço para bastante crescimento e consolidação.

A Desktop opera principalmente em cidades do interior de São Paulo, fornecendo serviços de internet de banda larga com tecnologia de fibra ótica. Segundo analistas, a empresa desenvolveu uma “expertise de identificação de mercados potenciais para a adoção de fibra”. Isso possibilita um maior retorno sobre o capital investido e a coloca em posição proveitosa para se expandir organicamente. Eles estabeleceram preço-alvo para as ações ordinárias da companhia em R$38,00.

Analistas da Eleven apontam espaço para movimento de consolidação pela Desktop

Além disso, os analistas da Eleven apontam que esse mercado é ainda muito fragmentado: 39% da base de assinantes de internet banda larga do país são atendidos por cerca de cinco mil pequenos provedores. Isso abre espaço para um movimento de consolidação por parte da Desktop, de acordo com o relatório, A companhia já possui experiência em fusões e aquisições e deve usar parte dos recursos de seu IPO para fazer investimentos nessa linha.

A estratégia de focar em mercados menores e menos competitivos tem surtido efeito para a Desktop, comentam os analistas. Nos últimos cinco anos, a empresa teve crescimento de 601% na base de assinantes, com uma margem de lucro em elevação.

O período de reserva para as ações ordinárias da Desktop, recomendadas pela Eleven, se encerra na próxima sexta-feira, 16. A empresa deve estrear na bolsa na próxima quarta-feira, 21, com a faixa indicativa da oferta ficando de R$23,00 a R$28,00.

IPOs, entre eles o recomendado pela Eleven, envolvem um longo processo

O IPO representa um processo para que uma companhia se torne uma empresa de capital aberto. Assim, marca o momento em que ela passa a vender ações pela primeira vez, ou seja, a entrada na Bolsa de Valores.

Antes de concluir um IPO, como o recomendado pela Eleven, e ter ações listadas na B3, uma empresa que deseja abrir seu capital precisa passar por diversos processos e atender às exigências da Comissão de Valores Mobiliários, CVM.

Após a venda em oferta pública, os papéis da empresa passam a ser negociados no pregão da bolsa pelos acionistas compradores. O IPO pode ser primário, quando a venda é de novas ações e capitalização da empresa, ou secundário, quando os sócios da companhia vendem ações já existentes.

Legislação exige auditoria externa, reuniões e registro para realização de IPO

Quando a empresa abre o capital na bolsa, os donos precisam dividir as decisões e prestar contas aos demais acionistas, que passam a ter representantes no Conselho e participam das assembleias. É necessário também fornecer informações periódicas para o mercado, como desempenho e como será usado o dinheiro captado. Ela se compromete a divulgar todos os fatos relevantes que envolvem o negócio ou a gestão da empresa e que interessem aos acionistas e ao mercado em geral.

A legislação exige alguns passos antes da empresa realizar o IPO, caso da oferta recomendada pela Eleven. Primeiro, devem se submeter a uma auditoria externa financeira. Depois, preparar os roadshows, reuniões com o objetivo de apresentar os negócios aos potenciais investidores. Então, o registro de companhia aberta classe A, que permite ações em bolsa, deve ser feito na CVM. É preciso providenciar também a listagem na B3.

Depois, a empresa faz um documento chamado de prospecto, que contém todas as informações sobre o negócio e a oferta, incluindo os objetivos dos recursos, perspectivas de mercado e os riscos do negócio. Com isso, chega o período de reserva, prazo de alguns dias para os investidores pedirem as ações junto aos bancos e corretoras que participam da oferta.

Processo é concluído após entrega de ações a investidores e estreia na B3

Em muitos casos, as empresas que realizam os IPOs, como a recomendada pela Eleven, definem prazos para os investidores venderem as ações após a oferta, para evitar os chamados flippers, investidores que compram as ações para vendê-las no primeiro dia de negociação apostando na alta dos papéis.

O processo de venda da oferta inicial é chamado de bookbuilding, que indica o volume de interesse pelos papéis e o preço que os investidores estão dispostos a pagar. Depois de todo esse processo, as ações são entregues aos investidores e chega o dia da estreia da empresa na B3. No caso do IPO da Desktop, analisado pela Eleven, a estreia será dia 21 de julho. O desempenho dos papéis neste dia indica como o mercado recebeu a nova companhia. Saiba mais sobre o processo os IPOs baixando o e-book que o TC School preparou.

Texto: Peter Frontini
Edição: Lucia Boldrini e João Pedro Malar
Arte: Vinícius Martins / Mover


Leia também

Mercados mostram cautela com China e estímulos; LDO, Reforma Tributária no radar: Espresso

Calendário Econômico: Opep, seguro-desemprego, Jerome Powell

Smart Fit dispara quase 35% em estreia na B3

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais