TC Mover
Mover

Especial: Donos da Dasa devem participar de re-IPO após corte na faixa indicativa, diz fonte

Postado por: TC Mover em 06/04/2021 às 15:31
Dasa

São Paulo, 6 de abril – A família Bueno deve colocar uma ordem de R$500 milhões na oferta pública de ações do grupo de saúde Dasa, evitando assim uma diluição ainda maior da sua participação após cortar a faixa de preço indicativa para a transação, disse uma fonte com conhecimento direto da situação.


Faixa indicativa por ação ordinária foi reduzida para R$56,75 a R$60,00, segundo fontes

Hoje mais cedo, a Dasa e os bancos que coordenam a oferta reduziram a faixa indicativa de R$64,90 a R$84,50 para R$56,75 a R$60,00 por ação ordinária, disseram duas fontes. “As atuais condições de mercado não estão ajudando”, disse uma delas.

A Dasa, comandada por Pedro Bueno, filho do fundador do grupo, controla os laboratórios Delboni e Lavoisier e comprou recentemente a rede de hospitais Leforte, em São Paulo. A precificação do papel está programada para hoje à noite.


Empresa espera levantar R$5 bilhões com re-IPO

A transação que a Dasa busca concluir ainda neste mês é conhecida como re-IPO, pois as ações da empresa já são listadas na bolsa, mas apenas 2,50% do capital social é negociado no mercado. A sigla IPO significa oferta pública inicial, em inglês. A empresa pretendia inicialmente levantar R$5 bilhões, com a totalidade dos recursos indo para o caixa da companhia.

A Dasa não comentou a informação, citando período de silêncio por conta da transação. O Bradesco BBI é o coordenador da oferta, junto com os bancos BTG Pactual, Bank of America Merrill Lynch e Credit Suisse. Os bancos Santander Brasil, Safra, Itaú BBA e Morgan Stanley também participam do grupo de coordenadores.


Movimento da Dasa ocorre em meio a uma disputa no setor de saúde

A Dasa está à procura de dinheiro em meio a uma disputa crescente no mercado de grupos verticalizados de saúde, que se movimentam para adquirir novos hospitais e clínicas. A arquirrival Rede D’Or, maior grupo hospitalar brasileiro, abriu o seu capital em dezembro passado, levantando R$11,4 bilhões. A estreia foi o terceiro maior IPO da história no país e o maior em 2020.

Na semana passada, a Hapvida e a NotreDame Intermédica aprovaram a combinação dos seus negócios, em transação que pode tirar a Rede D’Or da liderança no setor.


Desempenho das ações da Dasa (DASA3)


Dasa


Perto das 15h30, o papel da Dasa (DASA3) caía 0,68%, cotado a R$144,01. A ação acumula alta de 99,17% no ano. As concorrentes Hapvida (HAPV3) e Intermédica NotreDame (GNDI3) cediam 0,81%, a R$14,65, e 0,21%, a R$81,83, respectivamente. Contudo, a ação da Rede D’Or (RDOR3) subia 2,79%, negociada a R$66,58. No mesmo horário, o Ibovespa avançava 0,26%, aos 117,8 mil pontos.

Para acompanhar o desempenho das ações da Dasa e de outras empresas, basta acessar o TC Matrix, ferramenta gratuita do TC.

Texto: Guillermo Parra-Bernal
Edição: Karine Sena, João Pedro Malar e Letícia Matsuura
Arte: Pedro Bueno / TC Mover


Leia também

De olho no varejo, BTG Pactual compra fatia da Caixa e passa a controlar Banco Pan

FMI vê maior crescimento do PIB global, mas desigualdade irá aumentar

Petrobras compra participação da BP em seis blocos no Norte

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais