TC Mover
Mover

Especial: Oi consolidará reestruturação, diz Rodrigo de Abreu

Postado por: TC Mover em 22/06/2021 às 16:40
Rodrigo Abreu projeto um 2022 frutífero para a Oi

São Paulo, 22 de junho – O próximo ano será frutífero para a Oi, que projeta entrar com receita superior a R$4 bilhões, provenientes apenas da fibra óptica. A empresa planeja, ainda, receber a totalidade dos recursos das vendas da InfraCo e Oi Móvel, além de consolidar a reestruturação, disse o diretor-presidente Rodrigo de Abreu em entrevista à TC Rádio nesta terça-feira, 22.


Gastos da Oi estão dentro do plano de reestruturação, disse Rodrigo de Abreu

A companhia prevê se tornar sustentável entre 2022 e 2023. A base de usuários da tecnologia Fiber to the Home, FTTH, que usa fibra óptica, chegará a 4 milhões ainda em 2021 e possibilitará a entrada no ano que vem já com receita superior a R$4 bilhões, segundo Rodrigo de Abreu. Já os recursos da emissão de R$2 bilhões em debêntures, anunciada hoje, “serão usados no funding da empresa”, explicou.

“Os gastos da Oi são previsíveis e estão dentro do que foi previsto no plano de reestruturação da Oi, de 2019”, disse o presidente da empresa. Nessa linha, a retração do câmbio contribui para aliviar o consumo de caixa da companhia de telefonia.


Venda da InfraCo deve ser aprovada entre o quarto trimestre de 2021 e o começo de 2022

As vendas de ativos, em geral, estão dentro do estipulado pelo cronograma da empresa. A venda da InfraCo deve ser aprovada mais rapidamente pelos reguladores, e consequentemente concluída primeiro, entre o quarto trimestre de 2021 e o começo de 2022. A venda está sendo analisada pela Agência Nacional de Telecomunicações, Anate, e pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica, Cade.

Já a negociação envolvendo a Oi Móvel levará mais tempo e deve chegar ao fim no primeiro trimestre do ano que vem. A companhia, que está em recuperação judicial, pretende encerrar o processo no quarto trimestre deste ano, concomitantemente às conclusões das vendas – o que, se ocorrer, deve impulsionar os papéis.


Desempenho das ações da Oi (OIBR3)

Perto das 16h40, o papel ordinário da Oi (OIBR3) caía 1,29%, cotado a R$1,53. Já a ação preferencial (OIBR4) recuava 0,45%, a R$2,22. No mesmo horário, o Ibovespa operava em queda de 0,37%, aos 128,7 mil pontos.


Desempenho das ações da Oi


Para acompanhar o desempenho das ações da companhia de telefonia e de outras empresas, basta acessar o TC Matrix, ferramenta gratuita do TC.

Texto: Maria Luiza Dourado
Edição: Lucia Boldrini, Letícia Matsuura e João Pedro Malar
Arte: TC Mover


Leia também

HASH11 desvalorizou 45% desde inauguração na B3

GameStop dispara ao levantar US$1,13 bilhões com oferta

Ata do Copom faz mercado apostar em alta maior da taxa Selic

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais