Mover

Ganhos de fundos com ações de empresas de Eike Batista entram na mira da CVM

Postado por: TC Mover em 11/11/2020 às 21:37

São Paulo, 11 de novembro – As altas atípicas das ações da MMX, código MMXM3, e OSX, código OSXB3, ocorridas em outubro, que chamaram a atenção do mercado e atraíram diversos investidores desavisados, beneficiaram grandes investidores e entraram na mira da Comissão de Valores Mobiliários. Segundo reportagem da Folha de S.Paulo, o fundo Florença Teórica, que já foi comandado pelo presidente da OSX, aproveitou a bolha das empresas de Eike Batista para se desfazer dos ativos.

O acionista Roberto Lombardi de Barros se desfez de quase metade de suas ações da OSX em meio à disparada do papel. A participação do investidor se limitou a 3,97% da empresa. Na semana seguinte, após a queda das ações, o trader comprou mais de 260 mil papéis, elevando a participação acionária para 8,38%.

Denúncias sobre altas atípicas

A CVM acolheu os questionamentos da Associação Brasileira de Investidores, Abradin, sobre o aumento repentino e atípico nas ações de duas das três empresas de Eike Batista. 

Quando questionadas pela B3 no final do mês, tanto a MMX quanto a OSX responderam em comunicado ao mercado que não tinham conhecimento do motivo da oscilação atípica.

Altas atípicas das empresas de Eike Batista

A ação da MMX encerrou o primeiro dia de outubro a R$1,71. O pico da alta foi no dia 13, chegando a R$36,00.

A ação da OSX também teve a maior alta em 13 de outubro, quando foi negociada a R$21,00. O papel começou o mês valendo R$4,43.

Delação premiada de Eike Batista

Em comunicado ao mercado, a MMX, informou na última quinta-feira, 5, que Eike Batista aguarda uma possível homologação de acordo com o Ministério Público para delação premiada.

Dois dias antes de a mineradora se pronunciar, foram divulgadas notícias de que a ministra do Supremo Tribunal Federal, Rosa Weber, teria homologado a delação premiada de Eike Batista.

Recuperação judicial e dívidas bilionárias

A mineradora MMX e a empresa de construção naval OSX fazem parte do Grupo EBX, criado por Eike Batista e estão em recuperação judicial. As dívidas somadas superam R$7 bilhões.

A MMX, que estreou na Bolsa em 2006, já foi uma das companhias mais cotadas no mercado de ações. Em 2008, os papéis da empresa chegaram a valer mais de R$2 mil cada. O valor da MMX foi inflado pelas expectativas de que os projetos em minério de ferro iriam transformar o grupo em uma grande companhia, tal como a Vale.

A OSX, criada por Eike Batista em 2009, atua na indústria naval, na área de logística e portos, com demandas da indústria petrolíferas por equipamentos e serviços. A companhia possui duas subsidiárias, a OSX Construção Naval e a OSX Serviços Operacionais.

Desempenho da MMX (MMXM3) e OSX (OSXB3)

A ação ordinária da mineradora MMX, negociada pelo código MMXM3, fechou a quarta-feira praticamente estável, subindo 0,17%, cotada a R$ 11,80. Já a ação da empresa naval OSX, cujo código é OSXB3, encerrou o dia com queda de 3,90%, negociada a R$11,87.

 

Para acompanhar o desempenho das ações das companhias de Eike Batista ou de outras empresas, basta acessar o TC Matrix, ferramenta gratuita do TC.

Texto: Letícia Matsuura
Edição: Angelo Pavini
Imagem: Vinícius Martins

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais