Mover

Grandes bancos devem refletir redução de provisões e cortes de custos no trimestre

Postado por: TC Mover em 27/04/2021 às 15:25
Bancos

São Paulo, 27 de abril – Passado o pior ano para os bancos em cinco anos, os “quatro grandes” provavelmente reduziram parte das suas provisões e contiveram despesas no primeiro trimestre, em meio a uma recuperação econômica não tão intensa, disseram analistas e contribuidores do TC.


Base fraca de comparação e acúmulo de capital devem melhorar lucro de bancos

Os lucros de Santander Brasil, Bradesco, Itaú Unibanco e Banco do Brasil devem melhorar significativamente no primeiro semestre na base anual, em parte devido à base fraca de comparação e maior acumulação de capital decorrente das restrições de proventos impostas pelo Banco Central quase um ano atrás.

Com índices de cobertura de créditos podres dos bancos perto das máximas históricas, as necessidades de maior provisionamento praticamente desapareceram, segundo André Almeida, investidor e contribuidor do TC.

A recuperação da demanda entre janeiro e fevereiro deve ter impulsionado os volumes de alocação de crédito para pessoas físicas e empresas, especialmente em linhas mais seguras – como crédito imobiliário e consignado, disse Renata Cabral, analista da Eleven Financial.


Redução de custos será o elemento mais importante ao analisar balanços, segundo XP

A redução de custos feita pelos bancos deve se tornar o elemento mais importante para o investidor olhar nos balanços do primeiro trimestre, pois “o setor financeiro está focado em ganho de eficiência”, disseram analistas da XP em relatório.

No entanto, medos de maior tributação e calotes por conta do fechamento dos negócios em março têm derrubado o Índice Financeiro da B3, que registra queda de 7,44% neste ano, o pior desempenho entre os setores do Ibovespa no período.

A XP acredita que o Bradesco e o Itaú devem registrar o maior crescimento de lucro na base anual. Já André Almeida aposta no Itaú e a Eleven no Bradesco. Por outro lado, entre os grandes bancos, o desempenho menos favorável deve vir do Santander Brasil, que decidiu fazer menos provisões no trimestre passado, disse a XP.


Bancos

Arte: Vinícius Martins / TC Mover


Expectativa é que Itaú se beneficie com queda nas provisões

O Itaú deve se beneficiar da redução nas provisões, maior demanda por crédito no varejo e do salto nas emissões de ações no trimestre. O consenso TC espera lucro recorrente de R$5,78 bilhões, margem financeira de R$16,2 bilhões e retorno recorrente sobre o patrimônio de 17,80%.

Também entre os bancos, o Bradesco deve registrar lucro recorrente de R$6,28 bilhões, margem financeira de R$15,6 bilhões e retorno de 18,20%, impulsionados principalmente por menor custo de crédito, forte redução de custos pela demissão de 8 mil funcionários e fechamento de 1,1 mil agências e receita de seguros em alta.


Banco do Brasil e Santander devem distribuir mais dividendos e expandir crédito

Já no caso do Banco do Brasil, o consenso espera lucro recorrente de R$3,99 bilhões, margem financeira de R$13,9 bilhões e retorno de 13,10%. O banco estatal deve ter reduzido provisionamento, mas pode ter alíquota efetiva de imposto menor na esteira de maior distribuição de dividendos.

Assim como o BB, o Santander Brasil deve distribuir mais dividendos e expandir o crédito de forma mais agressiva que os outros bancos. Com menor desprovisionamento a ser feito, o lucro recorrente deve atingir R$3,69 bilhões. Já a margem financeira deve ser de R$12,1 bilhões, e o retorno sobre o patrimônio, 20,5%.

O Santander Brasil divulga resultados na próxima quarta-feira, 28, antes da abertura. Já Itaú, Bradesco e Banco do Brasil publicam seus balanços em 3, 4 e 6 de maio, respectivamente.


Desempenho das ações dos bancos

Perto das 15h25, os papéis preferenciais do Itaú (ITUB4) e do Bradesco (BBDC4) caíam 1,49%, cotado a R$27,10, e 0,89%, a R$23,34, respectivamente. A ação do Banco do Brasil (BBAS3) tinha queda de 1,33%, a R$29,70, e a unit do Santander Brasil (SANB11), de 1,68%, a R$37,51. No mesmo horário, o Ibovespa recuava 1,32%, aos 119,0 mil pontos.


Bancos


Para acompanhar o desempenho das ações dos bancos e de outras empresas, basta acessar o TC Matrix, ferramenta gratuita do TC.

Texto: Guillermo Parra-Bernal
Edição: Maria Luiza Dourado e João Pedro Malar
Arte: Vinícius Martins / TC Mover


Leia também

Caixa recorde pode impulsionar recompras e dividendos da Vale, dizem executivos

Paulo Guedes deverá fazer mudanças em equipe econômica, dizem fontes

Confiança do consumidor americano bate recorde na pandemia

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais