Mover

Iminente acordo da cessão deve render US$18 bilhões à Petrobras

Postado por: TC Mover em 20/03/2019 às 9:32

A Petrobras deve receber, no mínimo, US$18 bilhões referentes à renegociação do contrato de cessão onerosa do pré-sal, em indenizações vindas da União e de possíveis parceiras na área, disse a Bloomberg News na noite de terça-feira, em mais um sinal que que um dos eventos considerados como gatilho para a ação da estatal deve ser resolvido em poucos dias.

 

De acordo com fontes citadas pela Bloomberg, o governo espera que as empresas que participarem do leilão de sobras da cessão, marcado para 28 de outubro, compensem a Petrobras em pelo menos US$9 bilhões por investimentos já feitos na área. Esse valor seria somado ao montante que o governo estaria disposto a pagar, perto dos US$9 bilhões. Ontem, notícias do Valor Econômico e do O Globo diziam que a União pagaria até US$14 bilhões para resolver o impasse, que se alastra por quase seis anos.

 

O pagamento que a Petrobras poderá receber das empresas que participarem do leilão, conhecido como diferimento, seria maior do que a indenização da União e dependeria do resultado do leilão, diz a Bloomberg. O diferimento poderia ser feito à vista e em dinheiro, mas nada impede que alguma parcela seja feita em petróleo. Tanto a Bloomberg como os jornais esperam um desfecho do assunto para final deste mês.

 

A ação PN da Petrobras disparou 1,6% para R$29,20, perto do maior fechamento em quase nove anos na terça-feira. O papel acumula alta de quase 29% no ano – refletindo as expectativas otimistas quanto à cessão, desinvestimentos programados de ativos não essenciais e do programa de corte de custos recentemente anunciado pela companhia.

 

A notícia deixou o investidor na Petrobras – que espera por alguma resolução do impasse pela cessão desde o final de 2017 – se perguntando: por que o governo do ex-presidente Michel Temer demorou tanto para lidar com o assunto? Por um lado, a equipe econômica à época, liderada por Eduardo Guardia, sustentava que a indenização e os termos de um eventual leilão de sobras do petróleo do pré-sal precisariam de uma aprovação do Congresso. Parece que não é bem assim.

 

Do outro lado, o governo se recusava a pagar uma indenização tão grande à estatal – por motivos fiscais. Segundo as matérias, a diferença entre o que a Petrobras quer receber e o que o governo quer pagar caiu para US$500 milhões, o que faz supor que uma solução está próxima, disse o contribuidor TC Rafael Ferri.

 

(Foto: Navio da Petrobras – Divulgação)

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais