Mover

IRB Brasil (IRBR3) intensifica prejuízo no quarto trimestre e retoma enquadramento técnico

Postado por: TC Mover em 19/02/2021 às 10:38

São Paulo, 19 de fevereiro – A IRB Brasil, código IRBR3, viu seu prejuízo líquido saltar de R$229,8 milhões no terceiro trimestre para R$620,2 milhões no quarto trimestre, confirmando a situação ainda difícil da companhia em meio ao processo de retomada. Apesar do resultado frustrante, a IRB Brasil afirmou que atingiu os enquadramentos regulatórios na provisão técnica e no índice de liquidez no final do ano passado, passos importantes no processo de recuperação da empresa.


Prejuízo líquido de 2020 ultrapassou R$5 bilhões

O prejuízo líquido total da resseguradora em 2020 foi de R$5,21 bilhões, ante lucro de R$1,21 bilhão em 2019 – antes da descoberta de fraudes contábeis na gestão anterior. Os prêmios emitidos pela IRB no trimestre ficaram em R$2,08 bilhões, enquanto o retorno sobre patrimônio líquido recorrente, ou ROE, ficou negativo em 20%.

O índice de solvência total da IRB em 2020 atingiu 226%, e o excesso de capital regulatório chegou a R$1,3 bilhão. A teleconferência de resultados da resseguradora está marcada para logo mais, às 11h00, com participação do presidente Antonio Cássio dos Santos.


IRB Brasil (IRBR3) em crise

A IRB Brasil é a maior resseguradora da América Latina, considerada referência por sua experiência de quase oito décadas. Inicialmente estatal, a IRB manteve o monopólio do setor no país por 69 anos, terminando em 2007. A privatização ocorreu quatro anos depois. A IRB Brasil emplacou a oferta pública inicial, IPO na sigla em inglês, em 2017, movimentando R$2 bilhões.

Contudo, a IRB Brasil vem enfrentando uma crise desde fevereiro de 2020, após denúncias enviadas à Comissão de Valores Mobiliários, CVM, pela gestora de recursos Squadra referente a irregularidades contábeis nas suas demonstrações financeiras, que aumentavam artificialmente o lucro. A IRB foi reestruturada, a antiga diretoria demitida e Santos passou a fazer parte da gestão da empresa.

Em conversa em uma edição do Café com Ferri veiculada em setembro de 2020, Santos, afirmou que a IRB Brasil não precisaria de mais capital novo, ou seja, emitir mais ações, para o chamado “enquadramento técnico”. Esse processo foi uma solicitação da agência regulatória do setor para mitigar potenciais perdas com sinistros.


2021 é o ano de “arrumar a casa”, diz Santos

O desenquadramento é uma insuficiência na composição dos ativos garantidores de provisões técnicas, ou seja, uma falta de ativos líquidos mínimos exigidos pelos reguladores para cobrir sinistros. A IRB Brasil havia informado que entrou em situação de desenquadramento em maio do ano passado, após o escândalo envolvendo as fraudes contábeis.

A distorção apareceu na empresa depois que os balanços financeiros da IRB Brasil tiveram de ser reapresentados por conta de irregularidades cometidas pela gestão anterior a da de Santos, que supostamente lançava de forma inadequada os sinistros da empresa no balanço.

No Café com Ferri de dezembro de 2020, Santos afirmou que 2020 tenha sido o ano para “limpar a casa”, 2021 para “arrumar a casa” e 2022 para voltar ao crescimento e ao patamar de 2018.


Desempenho das ações da IRB Brasil (IRBR3)



IRB Brasil ação - IRBR3


Perto das 10h30, o papel ordinário da IRB Brasil, código IRBR3, caía 3,91%, cotado a R$6,39. No mês, a resseguradora acumula perda de 11,25%. No mesmo horário, o Ibovespa operava em queda de 0,56%, aos 118,5 mil pontos.

Para acompanhar o desempenho das ações da IRB Brasil e de outras empresas, basta acessar o TC Matrix, ferramenta gratuita do TC.

Texto: Gustavo Boldrini
Edição: Guillermo Parra-Bernal e Letícia Matsuura
Arte: TC Mover


Leia também

Bolsonaro ameaça Petrobras e mercado deve reagir; no radar, IRB Brasil: Espresso
Calendário Econômico: PMIs, imóveis, balanço

Economistas elevam projeção para Selic com retomada e auxílio

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais