TC Mover
Mover

Na máxima histórica, Vale (VALE3) faz Investor Day; Brumadinho assombra

Postado por: TC Mover em 02/12/2020 às 10:14

São Paulo, 2 de dezembro – Após fechar na máxima histórica em sete dos últimos oito pregões por conta do minério de ferro mais alto em seis anos e sua transformação em uma sociedade de controle acionário diluído no mês passado, a Vale, código VALE3, chega a sua reunião anual de investidores encarando o desafio de fechar em breve um acordo de reparação pela tragédia de Brumadinho.

Não é claro se esse desafio impactará o desempenho da ação da Vale no curto prazo, disseram analistas, gestores e contribuidores do TC. No ano, a ação ordinária da segunda maior produtora de minério do mundo avança 58%, indicando que o investidor vê um balanço sólido, com dívida muito baixa, geração de caixa forte e disciplina de alocação de capital invejável. Nos últimos três meses, essa alta foi de 41%. 

Por exemplo, no terceiro trimestre, a Vale bateu o consenso para lucro líquido, receita e geração de caixa operacional, e a administração da empresa sinalizou que a situação da companhia continuaria favorável caso a demanda pelo mineral na China continuasse forte nos próximos meses. O papel fechou ontem em alta de 4,17% a R$81,25.

ESG e segurança nas barragens devem se destacar no Investor Day

No entanto, para Israel Massa, trader e contribuidor do TC, a Vale ainda carrega um desconto alto ante outras mineradoras de alto porte dada a memória de Brumadinho, onde o colapso de uma barragem sepultou mais de 300 pessoas e levou a paralisação de quase 40% da sua produção no Brasil por alguns meses.

Não é simplesmente a percepção de maior risco de segurança, embora a gestão esteja tratando dessas questões um por um, mas sim de uma governança ainda lenta para lidar com uma empresa que é responsável pelo grosso dos embarques do terceiro maior produto de exportação do Brasil. A ação da Vale negocia a menos da metade da média dos múltiplos EV/EBITDA projetados das rivais BHP Billiton, Rio Tinto e Anglo American, mostram dados do BTG Pactual.

De acordo com Luis Sales, estrategista-chefe da Guide Investimentos, o investidor espera que o diretor-presidente Eduardo Bartolomeo e o diretor financeiro Luciano Siani concentrem suas falas no evento de hoje no tema ambiente, sociedade e governança, ou ESG, e a segurança nas barragens, que ainda devem ser um dos principais pontos. “Esse é o ponto crítico na verdade, principalmente após o acidente em Mariana e Brumadinho”, apontou. 

Além da tragédia em Brumadinho, que completa dois anos no próximo 25 de janeiro, a Vale tem antecedentes de mais acidentes fatais em suas minas: em novembro de 2015, um episódio similar provocou o pior desastre ambiental da história do país, quando o complexo de Mariana, uma associação com a rival australiana BHP Billiton, colapsou.

Vale terá audiência sobre Brumadinho na próxima semana

O chamado Investor Day da Vale deve começar nesta quarta-feira por volta das 11h30, horário de Brasília. De acordo com o analista Leonardo Correa, do BTG Pactual, a empresa pode sinalizar o plano de ação referente aos reparos de Brumadinho, principalmente um pouco mais de detalhes sobre o que precisa para convencer as autoridades do governo de Minas Gerais a fechar o acordo. 

Na semana que vem, a empresa terá audiência sobre o assunto. “Ela dará poucos detalhes em relação à audiência porque depende da Justiça, caso ela fale alguma coisa pode ser prejudicial,” disse Sales, que afirma que a Vale tem condições de arcar os custos de uma indenização alta, o que no curto prazo pode pressionar as ações. A Vale ofereceu R$21 bilhões pelos reparos, mas Minas Gerais pede até R$28 bilhões.

Expectativas para minério de ferro, aço, níquel e carvão

Bartolomeo, Siani e outros executivos podem também sinalizar como devem se comportar o preço do minério, a demanda na China e os estoques do mineral e do aço nesse país. O analista da Mirae Asset Corretora, Pedro Galdi, acredita que a Vale deve também falar do papel do complexo de Carajás, no Pará, para alcançar a meta de produção de 400 milhões de toneladas de minério em 2022. Segundo ele, para atingir esse objetivo, Vale terá que investir nas minas do Sudeste, expandido Carajás, já que o custo de produção na unidade é mais baixo e o produto mais fino e mais caro. 

Em relação às operações de níquel e carvão, os analistas veem a empresa reduzindo ou alienando esses ativos, em meio a rumores de que a Tesla poderia comprar a unidade de níquel. Outro tema pode ser a venda de excedentes de ações detidas pelos antigos controladores da Vale, que o BTG Pactual disse que poderia ser vendido até 10% do capital total da Vale em até 18 meses. 

Desempenho das ações da Vale (VALE3)

Vale - VALE3

Para acompanhar o desempenho das ações da Vale, código VALE3, e de outras empresas, basta acessar o TC Matrix, ferramenta gratuita do TC.

Texto: Leandro Tavares
Edição: Guillermo Parra-Bernal e Letícia Matsuura
Imagem: Vinícius Martins/TC

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis