Mover

Minério em alta, participações ajudam Vale (VALE3) a bater consenso de lucro no trimestre

Postado por: TC Mover em 29/10/2020 às 8:53
A Vale bateu as estimativas de lucro líquido, receita e geração de caixa operacional no terceiro trimestre, na esteira de elevada demanda por minério de ferro na China, câmbio desvalorizado no Brasil e retomada gradual da produção 20 meses após a tragédia de Brumadinho

São Paulo, 29 de outubro – A Vale bateu as estimativas de lucro líquido, receita e geração de caixa operacional no terceiro trimestre, na esteira de elevada demanda por minério de ferro na China, câmbio desvalorizado no Brasil e retomada gradual da produção 20 meses após a tragédia de Brumadinho. A segunda maior produtora de minério de ferro do mundo ganhou US$2,908 bilhões no trimestre, alta de 76% na base anual e acima do consenso de US$2,12 bilhões colhido pela TC Mover.

A disparada no lucro reflete a maior geração de lucro operacional, medido pelo EBITDA ajustado, assim como a melhora no resultado de participações, já que no segundo trimestre do ano foi fortemente impactado pelas provisões de despesas futuras com Samarco e Fundação Renova. O indicador, medido pelo lucro ajustado antes de juros, impostos, depreciação e amortização, foi de US$6,095 bilhões, alta de 32,4% na base anual e acima do consenso. Já a receita líquida ficou acima da estimativa e totalizou US$10,8 bilhões. 

A Vale gerou US$3,751 bilhões de caixa operacional no trimestre, enquanto o capital de giro foi de US$288 milhões, impulsionado por um efeito combinado de estoques mais altos em toda a cadeia de fornecimento de minério e forte reconhecimento de receita no final do trimestre a preços mais altos do que as vendas realizadas durante o período.

O preço realizado da Vale de finos de minério de ferro totalizou US$112,1 por tonelada no terceiro trimestre, um aumento de US$23,2 por tonelada quando comparado ao segundo trimestre, refletindo o aumento do preço de referência 62% Fe e a curva de preço futura, devido à forte demanda chinesa. 

Por outro lado, o custo caixa C1 de finos de minério de ferro diminuiu em US$2,2 por tonelada, totalizando US$14,9 por tonelada no terceiro trimestre, refletindo à maior diluição de custos fixos em US$1,5 por tonelada. 

Texto: Leandro Tavares

Edição: Guillermo Parra-Bernal e Ana Carolina Amaral

Arte: TC Mover

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais