TC Mover
Mover

Moody’s eleva perspectiva de bancos brasileiros, mas mantém alerta para cenário

Postado por: TC Mover em 24/03/2021 às 17:29

São Paulo, 24 de março – A Moody’s elevou a perspectiva para os bancos brasileiro de negativa para estável. A avaliação foi justificada por uma melhoria das condições operacionais, com a queda de despesas, crédito mais barato e desenvolvimento de plataformas bancárias digitais contínuas, diz relatório divulgado hoje.


Avanço da vacinação deve beneficiar lucratividade de bancos, diz agência

A agência vê a retomada contínua nos negócios após o avanço da vacinação beneficiando a lucratividade dos bancos. Entretanto, não deixa de alertar para os riscos trazidos pelo desemprego em alta, o fim do auxílio emergencial, novas restrições ao comércio e vacinação lenta.

Esses fatores podem pressionar margens e enfraquecer a qualidade dos ativos do setor. Para a agência, a recuperação econômica depende do sucesso do programa de vacinação nacional.

Moody’s avalia que Selic baixa e competitividade mais intensa pressionam margens

Para a Moody’s, a taxa básica de juros, a taxa Selic, ainda baixa – apesar da tendência altista – e a competitividade cada vez mais intensa no setor também devem pressionar as margens das instituições financeiras.

Por outro lado, juros mais altos podem ter implicações positivas para os bancos, já que novos empréstimos serão avaliados, mas até certo ponto, pois taxas de empréstimos elevadas em um mercado de trabalho fraco têm potencial de afetar negativamente a capacidade de pagamento do recebedor à instituição bancária, alerta a agência. Nesse sentido, carteiras cresceriam mais moderadamente em empréstimos de menor risco para consumidores.

Pagamentos de dividendos devem ser retomados em 2021, segundo relatório

Segundo a Moody’s, os bancos retomarão pagamentos de dividendos em 2021, que serão compensados com uma geração de ganhos internos mais estável do que a vista em 2020.

A fraqueza da situação fiscal do Brasil, no entanto, é uma restrição à capacidade do governo para apoiar os bancos em caso de estresse, diz a agência. A Moody’s vê a agenda de reformas no Brasil trazendo volatilidade, mas suportando a confiança nos negócios e o mercado de trabalho.

Desempenho das ações dos bancos







O IFNC, Índice Financeiro da B3, caiu 1,74% nesta quarta-feira. A ação preferencial do Bradesco (BBDC4) recuou 1,03%, cotada a R$26,04. A ordinária do Banco do Brasil (BBAS3) teve queda de 1,82%, a R$29,14.

As units do Santander Brasil (SANB11) perderam 0,61%, a R$38,98. Os papéis preferenciais do Itaú (ITUB4) caíram 1,74%, a R$27,17. Já o Ibovespa fechou o dia com queda de 1,06%, aos 112,0 mil pontos.

Para acompanhar o desempenho das ações dos bancos e de outras empresas, basta acessar o TC Matrix, ferramenta gratuita do TC.

Texto: Maria Luiza Dourado
Edição: Gustavo Boldrini e João Pedro Malar
Arte: TC Mover


Leia também

Vieira: Bolsonaro aceitou pragmatismo, agora precisa agir

Especial: Carrefour Brasil descarta cindir atacarejo, vê melhora de preços com Grupo Big

Marfrig quer zerar emissões de carbono até 2050

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais