Mover

Supermercadistas devem apontar para maiores margens, à espera do auxílio

Postado por: TC Mover em 15/02/2021 às 15:58
supermercadistas

São Paulo, 15 de fevereiro – A digitalização das vendas, a maior inflação alimentar e o auxílio emergencial devem impulsionar os resultados das três supermercadistas listadas na B3 no quatro trimestre, mas o desempenho futuro vai depender na evolução da renda e dos mudanças nos hábitos de consumo causados pela pandemia do coronavírus.

Ao longo do trimestre passado, as empresas do segmento apressaram-se em repassar altas de custos ao consumidor final, mirando para o fim do auxílio emergencial e o início da vacinação contra a Covid-19. Por conta da natureza essencial do varejo alimentar, analistas e contribuidores do TC ponderam que impactos de um menor auxílio terão efeito limitado no segmento. De fato, o segmento de atacadão deve se beneficiar, por ser esse um formato que as famílias utilizam em busca de melhores preços.

O Carrefour Brasil divulga o balanço em 17 de fevereiro, GPA em 23 de fevereiro e Grupo Mateus em 29 de março. O consenso TC espera receita líquida de R$21,2 bilhões, lucro líquido de R$780,0 milhões e lucro antes de juros, imposto, depreciação e amortização, ou EBITDA, ajustado de R$1,58 bilhão para Carrefour Brasil, código CRFB3.

Para o GPA, código PCAR3, os consensos são R$18,8 bilhões, R$491,0 milhões e R$1,61 bilhão, respectivamente. No caso do Grupo Mateus, código GMAT3, o consenso para lucro líquido é de R$176,0 milhões.


Listagem da Assaí está no radar dos supermercadistas e investidores

O investidor deve ficar atento não somente aos dados operacionais e financeiros, mas também às sinalizações para o ano de 2021. O evento mais relevante para os supermercadistas neste trimestre deve ser a cisão e listagem da Assaí, que deve acontecer no final deste trimestre ou no começo do próximo.

A listagem traz ao mercado acionário a primeira empresa exclusivamente focada no atacarejo, “permitindo exposição direta a um segmento que apresenta forte crescimento nos últimos anos, com uma nova percepção de valor por parte dos consumidores em relação a este modelo”, disse Eric Huang, analista da Eleven Financial.

Paralelamente, o GPA ex-Assaí, assim como Carrefour Brasil, devem avançar na melhora da experiência do consumidor, as conversões de lojas e o aumento das operações digitais. No caso do Carrefour Brasil, o investidor deve ficar de olho no avanço da agenda social, ambiente e governança, ESG na sigla em inglês, muito impactada pela morte de um homem negro em uma loja no final do ano passado.

Texto: Guillermo Parra-Bernal
Edição: Gabriel Medina e Letícia Matsuura
Arte: TC Mover


Leia também

As mais lidas da semana: Imobiliárias, dólar, Petrobras

As mais lidas da semana: Cyrela, Duretex, criptomoedas

Resumo da Semana: Autonomia do BC, auxílio emergencial, criptomoedas

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais