Mover

Vale (VALE3) pagará R$37,8 bilhões por Brumadinho em “maior acordo da história”

Postado por: TC Mover em 04/02/2021 às 12:41

São Paulo, 4 de fevereiro – Após quase dois anos de negociação, a Vale, código VALE3, e as autoridades de Minas Gerais assinaram acordo que prevê um pagamento de R$37,86 bilhões pela mineradora ao Estado pelos danos causados pelo rompimento da barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho, ocorrido em janeiro de 2019. Segundo o governador Romeu Zema, trata-se do “maior acordo do tipo na história do Brasil”.

 

O acordo assinado prevê frentes de ordem socioeconômica e socioambiental. Na primeira, o destaque será um programa de auxílio emergencial a famílias da região para substituir o Coronavoucher que custará R$9,17 bilhões.

No caso da reparação ambiental, o documento prevê que serão gastos R$6,55 bilhões, sendo que parte da quantia será destinada a obras de infraestrutura, como um novo anel viário no estado, e para a reforma de hospitais como o João XXIII, em Belo Horizonte.


Quase R$20 bilhões de despesa serão adicionados no balanço de 2020

A Vale estima uma despesa adicional de R$19,8 bilhões no balanço de 2020. Desta quantia, R$5,4 bilhões serão quitados assim que os depósitos judiciais forem liberados, e os outros R$14,4 bilhões entrarão no passivo da empresa referente à reparação por Brumadinho. De acordo com o diretor jurídico Alexandre D’Ambrosio, o acordo encerra de vez todos os litígios da empresa com o Estado.

Os resultados da produção de minério de ferro foram divulgados pela Vale ontem. Embora tenham ficado levemente abaixo do consenso, somando 300,4 milhões de toneladas, os números puxaram os preços da commodity.

 

Longo caminho até o acordo entre Vale e MG

 

A primeira audiência entre a Vale e representantes do governo de Minas Gerais sobre a indenização referente ao desastre de Brumadinho ocorreu em 22 de outubro. Entretanto, a reunião não terminou com um acordo entre as partes. Foram realizados encontros subsequentes em novembro, dezembro e janeiro, todos sem acordo.

 

Originalmente o Estado pedia o valor de R$54,0 bilhões pela indenização, enquanto a mineradora ofereceu o valor de R$ 26,0 bilhões em proposta inicial.

 

Tragédia de Brumadinho deixou 270 mortos

 

O rompimento da barragem da mina do Córrego do Feijão, na cidade mineira de Brumadinho, em 2019, deixou mais de 270 vítimas e mobilizou o país. No final de 2020, outro rompimento, perto da primeira tragédia, resultou na morte de um trabalhador.

 

Quatro anos antes do primeiro desastre de Brumadinho, a barragem de rejeitos de Fundão, na cidade mineira Mariana, deixou 19 mortos. A barragem era operada pela Samarco, empreendimento conjunto da Vale e da BHP Billiton.

 

Os rompimentos das barragens em Brumadinho e Mariana fizeram a reputação da Vale cair, assim como a avaliação das questões ambientais, sociais e de governança, ESG. Os planejamentos da mineradora para os próximos anos incluem deixar a agenda sustentável mais robusta.

 

 

Desempenho das ações da Vale (VALE3)

AÇÃO DA VALE VALE3

As ações ordinárias da Vale foram inibidas no início do pregão desta quinta-feira. Perto das 12h30, o papel ordinário da Vale, código VALE3, caía 0,95%, a R$89,57. Os ganhos da mineradora nos últimos três meses foram de 45,45%. No mesmo horário, operava em queda de 0,58%, aos 119 mil pontos.

 

Para acompanhar o desempenho das ações do Bradesco e de outros bancos, basta acessar o TC Matrix, ferramenta gratuita do TC.

 

Texto: Gustavo Boldrini
Edição: Leandro Tavares e Letícia Matsuura
Imagem: TC Mover

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais