TC Mover
Mover

Inflação do aluguel dispara em maio com alta das commodities

Postado por: TC Mover em 28/05/2021 às 13:20
Inflação do aluguel acelera

São Paulo, 28 de maio – Conhecido como a inflação do aluguel, o Índice Geral de Preços – Mercado, IGP-M, acelerou de 1,51% em abril para 4,10% em maio. O valor veio acima do consenso do mercado, que esperava uma alta de 4,00%. O resultado foi impulsionado pelas commodities, segundo a Fundação Getúlio Vargas.

Nos primeiros cinco meses do ano, o IGP-M acumulou ganho de 14,39%. Já nos últimos 12 meses, o IGP-M acumula alta de 37,04%, enquanto no mesmo período do ano passado a alta acumulada era de 6,51%.


Reajuste de contrato com inflação do aluguel pode ser negociado

Um dos principais impactos da aceleração do IGP-M é nos aluguéis, que costumam ser corrigidos anualmente pelo índice. Por isso, é o dado conhecido como inflação do aluguel.

Mas uma alta de 37,04%, em um momento que a economia ainda não engatou a retomada e com taxa de desemprego recorde, deve ser alvo de negociação entre inquilinos e proprietários, especialmente diante do mercado de locação ainda desaquecido.


Forte alta do IGP-M é risco para IPCA

Um repasse do IGP-M de mais de 30% para parte dos preços, reflexo da indexação herdada do longo período de hiperinflação brasileira, é um dos riscos para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo, o IPCA, e para as metas de inflação do Banco Central.

Apesar de o Comitê de Política Monetária do Banco Central ver a inflação como temporária, o Copom vem adotando altas de 0,75 ponto percentual na taxa Selic para chegar ao juro neutro, estimado em 6,50% ao ano. O aumento foi praticado nas duas últimas reuniões e sinalizado para a próxima. Atualmente a taxa Selic está em 3,50% ao ano.

O presidente do BC, Roberto Campos Neto, revelou, porém, na última terça-feira, 25, que as altas na taxa de juros podem sofrer pausa antes de atingir o esperado juro neutro.


Commodities puxaram alta da inflação do aluguel

A inflação do aluguel é calculada a partir da média ponderada de três outros índices da FGV. O Índice de Preços ao Produtor Amplo, IPA, tem peso de 60%. Já o Índice de Preços ao Consumidor, IPC, corresponde a 30% do índice geral, e o Índice Nacional de Custo da Construção, INCC, 10%.

Embora todos os índices que compõem o IGP-M tenham subido, o IPA foi o que mais pressionou. “Os preços de commodities importantes voltaram a pressionar a inflação ao produtor”, afirmou o coordenador dos índices de preços da FGV, André Braz.

Segundo ele, o minério de ferro passou de queda de 1,23% para alta de 20,64% em maio. Já as agrícolas cana-de-açúcar e milho aceleraram para 18,65 e 10,48, respectivamente. Com isso, o IPA subiu 5,23%, enquanto no mês anterior a taxa era de 1,11%.


IPC e INCC aceleraram em maio

O IPC subiu 0,61% em maio, aceleração de 0,17 ponto percentual na base mensal. O grupo de habitação foi o maior contribuidor, puxado pela energia elétrica. A bandeira tarifária vermelha patamar 1 acrescentou em maio mais de R$4,00 a cada 100 quilowatts-hora consumidos. Já a bandeira amarela, que ficou vigente por quatro meses, acrescentava R$1,34 na conta de luz.

O outro índice que compõe a inflação do aluguel é o INCC. Este índice passou de 0,95% em abril para 1,80% em maio. Os materiais, os serviços e a mão de obra impulsionaram a inflação no setor de construção.


Diferença entre os IGPs

Além do IGP-M, existem outros índices gerais de preços. A diferença entre eles é a data de coleta de informações. O IGP-10 mede a variação de preços entre o dia 11 do mês anterior e o dia 10 do mês de referência. Já o IGP-DI, leva em consideração os dados do primeiro ao último dia do mês de referência. Por fim, o IGP-M é medido por informações coletadas entre os dias 20 do mês anterior e dia 21 do mês de referência.


Como calcular o reajuste com a inflação do aluguel?

O cálculo para correção de contratos, como o aluguel, utilizando o IGP-M é feito de forma simples. Geralmente, considera-se o acumulado de 12 meses da inflação do aluguel no cálculo do reajuste. O dado utilizado neste mês é o 37,04%.

Assim, os 37,04% do IGP-M equivalem a 0,3704. O cálculo consiste em 1 + IGP-M e, depois da soma, basta multiplicar pelo valor do aluguel. Ou seja, 1,3704 x valor do aluguel.

Texto: Letícia Matsuura
Edição: Guilherme Dogo
Arte: Carlos Matos / TC Mover


Leia também

Mercados mostram apetite; inflação americana, IGP-M, crise hídrica no radar: Espresso

Calendário Econômico: Inflação, inadimplência, crédito

Receita Federal registra mais de 26 milhões de declarações de imposto de renda

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais