TC Mover
Mover

IPCA tem alta de 4,52% em 2020, a maior em quatro anos

Postado por: TC Mover em 12/01/2021 às 12:24

São Paulo, 12 de janeiro – O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, IPCA, subiu 1,35% em dezembro, maior alta para o mês desde 2002, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE.  Em 2020, o IPCA avançou 4,52%, acima da meta de 4,00% estipulada pelo governo, mas dentro do intervalo de tolerância de 1,5% para cima ou para baixo. É a maior alta desde 2016. 

ipca - ano 2020

O IPCA subiu acima do esperado. O consenso apontava inflação de 1,21% para dezembro e 4,37% para 2020. Para a economista chefe do TC, Fernanda Mansano, o Banco Central deve monitorar a situação nesse próximo trimestre, mas o cenário é de muita incerteza em relação a recuperação econômica com a campanha de vacinação. O Banco Central informou que não vai comentar os resultados do IPCA.

 

Considerado o índice da inflação oficial do Banco Central, o IPCA acompanha os preços dos principais produtos e serviços consumidos pelas famílias com renda entre um e 40 salários-mínimos.

 

Habitação, alimentos e transportes puxaram IPCA mensal

 

 

Diferentemente dos últimos meses, em dezembro o grupo habitação teve mais impacto no IPCA, sendo responsável por 0,45 pontos percentuais do índice. Em seguida, alimentação e bebidas impactaram 0,36 pontos percentuais, enquanto os transportes contribuíram com 0,27 pontos percentuais.

No caso da Habitação, a alta foi influenciada pelos reajustes dos preços administrados, como da energia elétrica, taxa de água e esgoto e gás encanado, afirma Mansano. A energia elétrica, por exemplo, que passou a ter bandeira vermelha, subiu 9,34% em dezembro.

 

Alimentação impulsiona inflação de 2020

 

 

A alta dos preços dos alimentos e bebidas de 14,09% impactou 2,73 pontos percentuais do IPCA de 2020. A habitação segue com contribuição de 0,89 pontos percentuais, subindo 5,25% no ano.

IPCA - Grupos - 2020

A variação dos preços dos alimentos teve destaque nos dois primeiros meses que o Brasil adotou medidas de restrição devido à pandemia, março e abril, com 1,13% e 1,79% respectivamente. A alta dos alimentos continuou acentuada nos últimos quatro meses do ano.

 

O óleo de soja subiu 103,79, enquanto o preço do arroz aumentou 76,01% em 2020. A batata inglesa e o tomate, importantes itens comumente consumidos pelas famílias brasileiras, também registraram altas expressivas no ano, sendo 67,27% e 52,76%, respectivamente.

 

 

Texto: Guilherme Dogo
Edição: Kariny Leal e Letícia Matsuura
Imagem: TC Mover

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais