Poupança interrompe sequência positiva em agosto - TC
TC Mover
Mover

Poupança interrompe sequência positiva em agosto

Postado por: TC Mover em 06/09/2021 às 18:03
Poupança tem saída líquida em agosto

Brasília, 6 de setembro – A tradicional caderneta de poupança interrompeu a sequência de captação líquida que registrava desde o mês de abril. Foi registrada retirada líquida em agosto, a primeira desde o mês de março deste ano, de acordo com dados divulgados pelo Banco Central nesta segunda-feira, 6.

No mês passado, a poupança registrou saída líquida de R$5,47 bilhões, que representa saques menos depósitos. Em julho, a poupança havia registrado entrada líquida de R$6,38 bilhões.

Performance negativa da poupança impactou no resultado de agosto

O resultado de agosto acentua o desempenho negativo ao longo do ano. Até o momento, o investimento mais popular entre os brasileiros registrou retirada líquida de R$15,6 bilhões, impactada fortemente pela performance negativa nos primeiro trimestre, quando o governo havia interrompido o repasse do auxílio emergencial aos mais vulneráveis, iniciado em 2020.

Como consequência da interrupção dos pagamentos, na esteira da flexibilização de medidas de distanciamento em diversos estados, a poupança registrou retirada de recursos nesse período. O governo retomou o programa de transferências apenas em março.

Poupança rural teve retirada líquida de quase R$70 milhões

Em agosto, os saques superaram os depósitos em R$5,40 bilhões no Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo, enquanto na poupança rural houve retirada líquida de R$68,9 milhões.

No mesmo período do ano passado, na esteira da liberação do auxílio emergencial e da interrupção da atividade econômica em decorrência da pandemia, o investimento teve captação líquida de R$11,40 bilhões. Foi o maior resultado para o mês desde o início da série histórica pelo BC, em 1995.

Atualmente, a aplicação da caderneta de poupança rende 70% da taxa Selic, regra válida quando o juro básico está em até 8,50% ao ano. Isso coloca a remuneração da aplicação em 3,675% em 12 meses, considerando a taxa Selic em 5,25%, de acordo com a decisão do Comitê de Política Monetária do Banco Central, Copom, do mês passado.

Texto: Gabriel Ponte
Edição: Guilherme Dogo e Letícia Matsuura
Arte: Vinícius Martins / Mover


Leia também

Privatização da Eletrobras: trabalhadores buscam travar processo com denúncias no TCU e CVM

Vieira: Haverá ‘dia seguinte’ a 7 de setembro, com foco na economia

Criptomoedas estão no topo dos esquemas de pirâmides financeiras, alerta CVM

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais