Prévia da inflação acelera em agosto; energia pesa - TC
TC Mover
Mover

Prévia da inflação acelera em agosto; energia e combustíveis pesam

Postado por: TC Mover em 25/08/2021 às 15:40
Prévia da inflação acelera

São Paulo, 25 de agosto – Considerado a prévia da inflação, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo, IPCA-15, acelerou para 0,89% em agosto, acima do consenso TC, que apontava aumento de 0,82%. Este é o maior patamar para o mês desde 2002. O custo elevado com a energia elétrica em decorrência da crise hídrica que assola o país e a alta dos combustíveis puxaram o dado inflacionário, que é calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE.

O IPCA-15 acumula alta de 5,81% no ano e 9,30% nos últimos 12 meses, acima do teto da meta de inflação para 2021 definida pelo Conselho Monetário Nacional, CMN, de 5,25%. O resultado deve ficar no radar do Banco Central, que adotou política monetária mais dura, aumentando a taxa básica de juros, ou seja a taxa Selic, de 2,00% a 5,25% em apenas quatro reuniões. A próxima decisão sobre os juros e estímulos será em 21 e 22 de setembro.

A prévia da inflação acompanha os preços dos principais produtos e serviços consumidos pelas famílias com renda entre um e 40 salários-mínimos. Segundo o IBGE, os dados de agosto foram coletados entre os dias 12 de julho e 13 do mês de referência.

Energia elétrica e combustíveis impulsionam prévia da inflação de agosto

Dos nove grupos que fazem parte do cálculo da prévia da inflação, apenas o de saúde e cuidados pessoais apresentou queda. De acordo com o IBGE, habitação e transportes impulsionaram o índice com as altas da energia elétrica e dos combustíveis.Grupos da prévia da inflação

O reajuste de 52% na bandeira tarifária vermelha patamar 2, vigente desde julho, continuou pesando na conta de luz dos brasileiros em agosto. São cobrados R$ 9,492 a cada 100 kWh, enquanto antes do reajuste o valor acrescido era de R$ 6,243. A energia elétrica subiu 5,00% em agosto, frente à alta de 4,79% no mês anterior. Além da energia elétrica, o gás e a taxa de água e esgoto impactaram o grupo de habitação.

Outro fator que contribuiu para a aceleração da prévia da inflação, os combustíveis passaram de 0,38% em julho para 2,02% em agosto. A gasolina, cujo litro em alguns postos já ultrapassou os R$7,00, subiu 2,05%. Enquanto isso, o etanol e o diesel registraram alta de 2,19% e 1,37%, respectivamente.

Texto: Letícia Matsuura
Edição: Stéfanie Rigamonti
Imagem: Vinícius Martins / Mover


Leia também

Crise hídrica no Brasil: Ministério de Minas e Energia aponta “relevante piora”

Prévia da inflação supera consenso e impera cautela para mercado: Espresso

Entrevista exclusiva: Mercado de games deve dobrar até 2025, estima gestor da Vitreo

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais