Banco Central Europeu reduz compras extras de ativos - TC
TC Mover
Mover

Banco Central Europeu reduz compras extras de ativos, refletindo retomada

Postado por: TC Mover em 09/09/2021 às 10:34
Banco Central Europeu reduz compras extras de ativos

São Paulo, 9 de setembro – O Banco Central Europeu optou nesta quinta-feira, 9, por desacelerar o ritmo de compras de ativos líquidos no programa emergencial de combate à pandemia do coronavírus. A decisão reflete a reabertura dos negócios e a recente alta da inflação.

O Comitê do Política Monetária do BCE manteve a taxa de juro para refinanciamento em 0,00%, a de facilidade permanente de cedência de liquidez em 0,25% e a de facilidade permanente de depósito em 0,50% negativo. O euro avançou 0,2% ante o dólar americano após a decisão, enquanto as ações europeias reduziram as perdas.

A presidente da autarquia, Christine Lagarde, falou sobre a decisão nesta manhã. A economista disse que a inflação deve subir ainda mais neste ano, e recuar apenas em 2022, quando deve ficar em 1,7%, segundo ela. Lagarde também afirmou que o desemprego está caindo na Zona do Euro, mas alertou que a variante Delta ameaça o comércio global. Disse ainda que os salários devem crescer moderadamente na Europa e que os riscos para a atividade econômica estão balanceados.

Programa emergencial de compra de títulos

No entanto o BCE fará compras no âmbito de seu programa emergencial de compra de títulos, ou PEPP, de 1,85 trilhão de euros a “ritmo moderadamente menor” do que nos últimos dois trimestres. Em março, o banco tinha decidido ritmo significativamente mais alto de compras em meio à deterioração da economia da Zona do Euro. Analistas esperavam que o BCE sinalizasse compras de 60 bilhões de euros por mês até dezembro, ante 80 bilhões de euros hoje.

“Com base em uma avaliação conjunta das condições de financiamento e das perspectivas de inflação, o Comitê julga que as condições de financiamento favoráveis ​​podem ser mantidas com um ritmo moderadamente inferior de compras de ativos líquidos ao abrigo do PEPP do que nos dois trimestres anteriores”, disse o BCE em comunicado.

Mercado aguarda retirada de estímulos

Os investidores aguardavam a decisão de política em busca de sinais de uma reversão iminente do estímulo da era pandêmica, em meio à alta da inflação e forte crescimento econômico. Nos Estados Unidos, no entanto, a disseminação da variante Delta do coronavírus deve atrasar os planos do Federal Reserve para reduzir os estímulos monetários extraordinários.

O PEPP foi implementado em março de 2020 para apoiar a economia durante a crise da Covid-19. O BCE reiterou que os juros básicos permanecerão nos níveis atuais ou mais baixos até que a inflação atinja 2%, “bem antes do fim do seu horizonte de projeção e de forma duradoura para o resto do horizonte de projeção”.

A inflação da Zona do Euro atingiu 3% em agosto, a maior em uma década, e o PIB do bloco cresceu 2% no segundo trimestre, superando o consenso.

Texto: Felipe Corleta
Edição: Guillermo Parra-Bernal e Stéfanie Rigamonti
Arte: Vinicius Martins / Mover


Leia também

Caminhoneiros protestam em rodovias de pelo menos 15 estados; Bolsonaro pede fim da paralisação

Inflação sobe 0,87% em agosto; é a maior para o mês desde 2000

Especial: Lira e Pacheco voltarão a negociar avanço de Reforma do IR e do Refis, dizem fontes

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais