Mover

Fed deve reforçar que não há prazo para reverter afrouxamento

Postado por: TC Mover em 27/01/2021 às 13:51
Fed

São Paulo, 27 de janeiro – O Federal Reserve, Fed, deve reforçar hoje que ainda não é o momento para falar sobre uma reversão da política monetária atual. Além disso, o banco central americano também deve sinalizar que está pronto para fornecer suporte adicional à economia americana, predominantemente por meio de compras de ativos mais agressivas, e que o cenário permanece significativamente incerto na esteira do mais recente surto de coronavírus. Essa é a avaliação da maioria dos nove economistas e analistas consultados pela TC Mover.

A decisão sobre a trajetória de juros nos Estados Unidos está programada para sair por volta das 16h00, horário de Brasília, desta quarta-feira, e o presidente da autarquia, Jerome Powell, fala meia hora depois.
  

A mensagem geral do comitê decisório do juros no Fed, conhecido como FOMC, deve ser que os investidores terão bastante tempo para digerir uma possível mudança na política monetária, segundo os especialistas consultados.

Fed deve manter orientação futura para taxa de juros americana

Para James Sweeney, economista-chefe do Credit Suisse, “o Fed deve manter inalteradas a orientação futura para a taxa Fed Funds e o escopo das compras de ativos, enquanto rebaixa sua visão das condições econômicas atuais”. A Fed Funds deve permanecer no intervalo que está desde meados de março, entre 0,00% e 0,25%.

Por enquanto, os economistas divergem quanto à avaliação das perspectivas econômicas no governo do democrata Joe Biden, que tomou posse na semana passada.

Agora que o partido de Biden exerce controle total sobre o Congresso, as perspectivas de estímulo fiscal devem melhorar significativamente, enquanto a implementação da vacina deve ganhar velocidade rapidamente.

É provável que Powell repita que o estímulo fiscal recentemente aprovado e o anunciado por Biden recentemente deem um impulso significativo para a maior economia do planeta.

Apesar do Fed continuar reforçando a orientação futura, crescem as apostas de alguns economistas de que as taxas de juros de longo prazo devem subir inevitavelmente.

Rendimento do Treasury de dez anos dispara

O rendimento do Treasury de dez anos, a medida mais usada para medir o custo dos empréstimos no longo prazo nos Estados Unidos, disparou 26 pontos-base desde 3 de novembro, dia da vitória de Biden, para 1,04% na terça-feira – indicando que o investidor espera um repique da inflação com o plano de estímulo de Biden.

O Fed quer que as condições financeiras permaneçam altamente acomodatícias de modo a garantir que o pleno emprego seja alcançado e a inflação volte à meta, disseram economistas do Barclays.

Texto: Guillermo Parra-Bernal
Edição: Bárbara Leite e Letícia Matsuura
Imagem: TC Mover

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais