TC Mover
Mover

Especial: Quando o Federal Reserve vai tirar o ponche da festa?

Postado por: TC Mover em 16/06/2021 às 12:28
Decisão do Federal Reserve

São Paulo, 16 de junho – O Comitê de Mercado Aberto do Federal Reserve deve manter nesta quarta-feira, 16, sua política monetária estimulativa de juro básico perto de zero e compra mensal de US$120 bilhões em títulos. Contudo, o mercado quer saber qual vai ser a reação da autarquia aos sinais recentes de alta da inflação e retomada da atividade.


Diretores do Federal Reserve podem projetar aumento dos juros

A decisão monetária será mais um teste para o discurso de tolerância do banco central americano em relação à aceleração dos preços. Além disso, está na balança a manutenção dos estímulos até o fim do ano. Outro termômetro virá das projeções dos diretores conhecidas como Dot Plot. A expectativa é de que elas confirmem uma melhora na atividade e no emprego, um aumento da inflação e, talvez, dos juros.

As atenções dos investidores estarão, portanto, no texto do comunicado, que sai às 15h00. Meia hora depois sai a entrevista do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell. A busca será por pistas sobre a mudança no discurso sobre a inflação e sobre o início da redução da compra de títulos, o chamado tapering. Isto tira o sono dos mercados. Algum voto contrário ou declaração de integrante do FOMC sobre a retirada dos estímulos também deve assustar os mercados.

Se confirmada essa estratégia, os mercados de ações e as commodities devem reagir bem. Afinal, entenderiam que eles ainda têm tempo para desfrutar da retomada da economia com juro perto de zero e as compras mensais pelo menos até o fim deste ano. Mas, apesar do clima de piquenique à beira do vulcão continuar, a volatilidade deve aumentar, pois ficará claro que cada vez mais se aproxima a hora em que o Fed vai tirar o ponche da festa.


Jerome Powell deve manter discurso tranquilizador, estimam analistas

Pesquisa feita pela CNBC mostra que a projeção para a inflação americana neste ano subiu de 2,76% na última reunião para 3,88% nesta, chegando a 5,3% em novembro. Já as projeções para o crescimento do PIB americano em 2021 ficaram praticamente estáveis, passando de 6,5% para 6,4%.

A maioria dos analistas acredita, porém, que Jerome Powell deve manter o discurso tranquilizador. O presidente do Federal Reserve deve apontar novamente que a alta da inflação é temporária e amplificada por problemas nas cadeias de suprimento e no mercado de trabalho, que ficaram desorganizados pela pandemia. Outro argumento que deve ser reforçado é o de que a retomada ainda é desigual e não surtiu o efeito necessário no mercado de trabalho.


Federal Reserve tentará acalmar os mercados no discurso

Na prática, o Federal Reserve vai tentar acalmar os mercados no discurso. Assim, o banco central americano deve jogar a discussão da redução dos estímulos para agosto, em sua reunião anual de Jackson Hole, que reúne dirigentes e especialistas de vários países.

Até lá, a autarquia americana terá também uma ideia melhor do avanço da recuperação econômica e se há o risco de volta da pandemia com novos vírus. A lógica do Fed deve ser que é melhor errar pelo excesso neste momento. O banco central considera que é mais fácil controlar uma disparada da inflação do que recuperar uma economia.

Texto: Angelo Pavini
Edição: Guillermo Parra-Bernal e Letícia Matsuura
Arte: Vinícius Martins / TC Mover


Leia também

Cautela domina à espera de Federal Reserve, Copom; vencimentos, fiscal no radar: Espresso

Calendário Econômico: Superquarta, Jerome Powell, vencimento de opções

Bolsas caem à espera do FOMC; no radar, Copom, vencimentos, reformas, Eletrobras: Espresso

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais