Mover

As mais lidas da semana: JBS, Sanepar, bancos

Postado por: TC Mover em 28/03/2021 às 6:30
mais lidas da semana

São Paulo, 28 de março – A declaração do presidente da JBS de que oferta inicial de ações, IPO na sigla em inglês, da empresa na bolsa de Nova Iorque é “um caminho natural”, logo após o balanço histórico da companhia, está entre as mais lidas da semana da TC Mover. Também chamou atenção dos leitores a coluna do colaborador do TC, Sérgio Sanita, sobre a Sanepar, analisando os potenciais de retorno e riscos de investimentos na estatal.

Entre as mais acessadas está a notícia que a Moody’s elevou a perspectiva para os bancos brasileiros de negativa para estável, mas destacou que ainda há riscos paras os bancos, como o desemprego em alta, a vacinação lenta e o avanço da pandemia no Brasil. Confira abaixo as notícias mais lidas da semana!

JBS vê IPO nos EUA como “questão de tempo” após melhor balanço da história

A oferta inicial de ações, IPO na sigla em inglês, da JBS na Bolsa de Nova Iorque é “um caminho natural” e que será realizada “no momento oportuno”, disse o diretor-presidente da companhia, Gilberto Tomazoni, em teleconferência após a empresa registrar o melhor resultado de sua história no quarto trimestre de 2020, com lucro líquido de R$4,01 bilhões. Leia aqui a matéria.

Sanita: Sanepar (SAPR11)

O contribuidor do TC, Sérgio Sanita, fala sobre a Sanepar (SAPR11), o desempenho da ação nos últimos meses e quais as perspectivas de desempenho futuro do papel. Leia aqui a coluna na íntegra.

Moody’s eleva perspectiva de bancos brasileiros, mas mantém alerta para cenário

A Moody’s elevou a perspectiva para os bancos brasileiro de negativa para estável. A avaliação foi justificada por uma melhoria das condições operacionais, com a queda de despesas, crédito mais barato e desenvolvimento de plataformas bancárias digitais contínuas, disse relatório divulgado na última quarta-feira, 23. Leia aqui a matéria.

Ibovespa acelera com sinalização de Campos Neto e fecha com 113,7 mil pontos

O Ibovespa acelerou a alta na última quinta-feira, 25, em movimento de ajuste após forte queda na reta final dos negócios na véspera. O índice foi impulsionado pelo noticiário corporativo positivo e a sinalização do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, de que a taxa básica de juros, a chamada taxa Selic, não deve subir tão intensamente como o mercado esperava. O mercado também está de olho na aprovação do Orçamento de 2021 hoje no Congresso. O índice Bovespa encerrou o dia com 113,7 mil pontos. Leia aqui a matéria.

Ação da IRB Brasil cai 6,20% e devolve ganhos de ontem

A ação ordinária da resseguradora IRB Brasil caiu 6,20%, cotada a R$6,05, na última quarta-feira, 25, em movimento de realização, devolvendo o ganho de 5,91% do dia anterior. Leia aqui a matéria.

XP vê saída de Brandão precificada em ação do BB (BBAS3), que tem queda moderada

As ações ordinárias do Banco do Brasil (BBAS3) operaram em queda moderada no dia 19 de março após a renúncia do diretor-presidente André Brandão, que já estava precificada no preço do ativo de acordo com relatório da XP. Leia aqui a matéria.

Texto: João Pedro Malar
Edição: Letícia Matsuura
Arte: Vinícius Martins / TC


Leia também

Resumo da Semana: Canal de Suez, comitê contra Covid-19, Carrefour

Mansano: Por que se preocupar com o Canal de Suez?

Sanita: Mills inicia recuperação após tendência de baixa

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais