TC Mover
Mover

Ata do Copom, Covid-19 e Powell marcam pregão em dia de agenda morna: Espresso

Postado por: TC Mover em 22/09/2020 às 8:17
O medo de como uma segunda onda de coronavírus impactaria negativamente a economia global afeta o sentimento de mercado e o início da semana nas maiores bolsas do mundo.

Arte: Nathália Reiter/TC Mover

O medo de como uma segunda onda de coronavírus impactaria negativamente a economia global afeta o sentimento de mercado e o início da semana nas maiores bolsas do mundo, com os mercados asiáticos refletindo as fortes quedas da véspera no pregão desta terça-feira.

Com a exceção de Tóquio, cuja bolsa não abriu hoje por conta do Dia do Equinócio de Outono, o desempenho fraco contaminou Sydney, Seul, Xangai, Shenzhen e Hong Kong. No entanto, os principais centros financeiros da Europa querem reagir e avançam, mesmo com o risco da volta de restrições à mobilidade e isolamento social em alguns lugares como Espanha e o Reino Unido – onde o premiê Boris Johnson manifestou seu apoio para que as pessoas voltem ao trabalho remoto e decretou horários mais severos de fechamento dos bares e restaurantes.

Em um instante de déjà vu, o investidor volta a comprar ações de supermercados, tecnologia e de utilidades, enquanto se afasta dos bancos, dos papéis de entretenimento e das ações cíclicas em geral.

Assim, o desempenho dos ativos se mostra sem direção até o momento: ouro recua, dólar americano e rendimentos dos Treasuries de dez anos operam estável e o futuro do Dow Jones recua, enquanto os do S&P500 e do Nasdaq Composto avançam. O índice Stoxx 600 Europe sobe pelo primeiro dia em quatro, o fundo de índice de tecnologia XLK mostra forte alta no pré-mercado em Nova Iorque, enquanto o de bancos, o ETF XLF, mostra queda moderada. As commodities de atividade como o petróleo e o cobre ensaiam uma recuperação, enquanto a volatilidade tende a recuar.

Olhando para o dia, o principal evento acontecerá em Washington D.C., onde o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell deve enfatizar ante o Congresso americano a necessidade de mais apoio fiscal direto do governo no pós-pandemia. Fique atento à fala do presidente do Banco da Inglaterra, Andrew Bailey, ao dado do índice de confiança do consumidor da Zona do Euro e aos números da sondagem industrial do Fed de Richmond.

Em poucos minutos sai a aguardada ata da reunião do comitê de política monetária do Banco Central do Brasil, o principal evento econômico do dia e da semana no país, na visão dos nossos editores. Isso porque poderemos entender por que os membros do comitê, conhecido como Copom, mantiveram a orientação futura transmitida na última reunião e se ela é, em essência, mais forte do que foi apresentada no comunicado.

Não espere por sinais adicionais sobre os passos futuros da política monetária. A grande maioria do mercado vê ajustes na taxa básica Selic a partir do primeiro ou segundo trimestres do ano que vem. Será que o Copom tentará amenizar os riscos inflacionários, fiscais e políticos que estão sendo embutidos no recente estresse da curva do DI? A conferir.

Por volta das 10h00, o presidente Jair Bolsonaro participa da abertura virtual da Assembleia Geral das Nações Unidas, onde deve defender suas políticas ambientais e de gestão da pandemia de coronavírus no Brasil.

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis