Mover

B3 aproveita demanda por ouro e começa a negociar cotas de fundo ETF do metal

Postado por: TC Mover em 16/12/2020 às 19:10

São Paulo, 16 de dezembro – No momento que a procura pelo ouro como reserva de valor aumenta no mundo todo diante do enfraquecimento do dólar, a B3 anunciou o início das negociações na última segunda-feira, dia 14, do primeiro fundo com cotas em bolsa, ou ETF na sigla em inglês, atrelado ao metal. 

O fundo no Brasil, com código de negociação GOLD11, investirá em outro ETF no exterior, o iShares Gold Trust gerido pela BlackRock e listado na Bolsa de Nova Iorque. Esse fundo replica a carteira do índice LBMA Gold Price, que segue os preços do ouro no exterior. Ou seja, ele vai variar de acordo com os preços do metal lá fora e com o preço do dólar em relação ao real aqui. 

Queda do dólar influencia alta dos preços do ouro

A procura por ouro cresceu diante do forte crescimento dos gastos do governo americano e do Federal Reserve para combater o impacto da pandemia de coronavírus no país e no mundo. O ouro acumula alta de 22% neste ano, enquanto o índice DXY, que mede o desempenho do dólar diante de seus principais pares, cai 6,27%. Esse pode ser um complicador do investimento em ouro no Brasil, já que seu preço sofre o impacto do dólar diante do real, o que aumenta a volatilidade das cotações. 

Neste ano, essa relação beneficia o investidor, pois como o dólar subiu bastante diante do real desde janeiro, o ouro acumula alta de 49%, resultado da soma da alta do metal no exterior e do dólar no Brasil. 

Já nos últimos meses, com o dólar em baixa diante do real, o ganho do investidor com a alta lá fora acaba reduzido pela queda da moeda americana. O ouro sofre o impacto também de grandes investidores, como bancos centrais e fundos que vendem parte de suas reservas em momentos de crise para fazer caixa, derrubando os preços.   

Aplicação em fundo do ouro inclui todos os ativos do LBMA

Além do ETF, é possível investir em ouro em fundos locais tradicionais, sem cotas em bolsa, e em contratos de ouro na B3, que começou sua história negociando ouro como alternativa de proteção cambial diante das restrições à compra de dólar no país, nos anos 1980. 

O GOLD11 será o terceiro ETF internacional da B3 e foi desenvolvido pela XP Inc. As cotas do fundo são negociadas da mesma forma que ações, com o investidor fazendo suas ofertas de compra e venda por meio de uma corretora. 

Ao comprar uma cota do fundo, o investidor aplicará, indiretamente, em todos os ativos do índice LBMA, o que aumenta a diversificação em relação à compra direta de ouro ou de um contrato futuro do metal. 

Segundo Mario Palhares, diretor de Produtos Listados da B3, o GOLD11 é o primeiro com essa estrutura na bolsa brasileira. “Temos repetido muito que a diversificação é o caminho para um portfólio forte e robusto”, diz.

De acordo com nota da B3, o GOLD11 oferece uma série vantagens aos investidores, como liquidez, uma vez que as cotas podem ser negociadas em bolsa e podem ser compradas e vendidas como se fosse uma ação. Há também a diversificação, pois com apenas uma transação o ETF proporciona o investimento em carteira variada de ativos, e a transparência, com a divulgação diária da composição da carteira do índice e formação de preço em bolsa.

ETF diversifica carteira, mas tem taxas

Sigla para exchange trade funds, os ETFs são fundos que reproduzem índices negociados nas bolsas de valores. O investimento em ETF é feito por cotas, ou lotes de cotas, como se fosse compra de uma ação. Mas como cada cota representa uma parte do fundo que reproduz o índice, é como se o investidor comprasse todo o índice com um valor bem menor. 

Assim, a vantagem do ETF é a possibilidade de diversificar a carteira, já que em vez de comprar todas as ações do índice, o investidor precisa comprar apenas uma ação. Mas deve ser levada em conta a chamada taxa de administração cobrada pelas gestoras que cuidam do ETF, como qualquer fundo. O investidor também deverá pagar Imposto de Renda sobre os ganhos com a venda das cotas de 15%.

Texto: Angelo Pavini
Edição Letícia Matsuura
Imagem: Divulgação

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais