TC Mover
Mover

Bitcoin e Federal Reserve agitam mercados; no radar, estímulos, inflação, PIB, reformas: Espresso

Postado por: TC Mover em 21/05/2021 às 20:22
Bitcoin cai com restrições da China

São Paulo, 21 de maio – As bolsas globais tiveram uma semana de fortes emoções. Os mercados oscilaram entre o otimismo com os dados positivos da economia e notícias sobre novos pacotes de estímulos nos EUA e o receio de alta da inflação americana. O Bitcoin e outras criptomoedas também aventuraram-se em uma montanha-russa.


Restrições da China e sinais de aumento na regularização nos EUA afetaram Bitcoin

A ata da última reunião do Federal Reserve mostrou os primeiros sinais de que já há pressões para o início da discussão sobre a redução das recompras de títulos. Foram injetados US$120 bilhões por mês na economia. O documento confirma as declarações de diretores do banco central americano em eventos ao longo das últimas semanas. A expectativa é que o Fed mude seu discurso ao longo dos próximos meses diante da recuperação da economia e prepare o terreno para reduzir os estímulos.

A perspectiva de redução da liquidez foi acompanhada pela instabilidade do mercado de Bitcoin. As criptomoedas sofreram forte revés após sinais de aumento da regulação pelas autoridades americanas e restrições por parte da China. Combinação da ata do FOMC com a queda da moeda acabou contaminando outros ativos e provocou uma onda de aversão ao risco que fez o Dow Jones Industrials e o S&P500 terminarem a semana em queda, enquanto o Nasdaq 100 conseguiu manter a estabilidade.

Os juros longos americanos ficaram praticamente estáveis, com o rendimento dos Treasuries de dez anos recuando 1 ponto-base hoje, para 1,62%, e abaixo do 1,635% da semana passada. O dólar subiu hoje, com o índice DXY ganhando 0,25%, mas fechou a semana em queda de 0,3%. O Ibovespa, por sua vez, sofreu com as oscilações no exterior, mas salvou a semana, com os ganhos de Eletrobras pelo avanço na proposta de privatização e dos bancos pelos sinais de atividade mais forte que o esperado.


Inflação será destaque na agenda brasileira da semana que vem

No Brasil, o risco fiscal e a inflação continuarão preocupando. Fazem parte da agenda econômica da próxima semana o Índice de Preços ao Consumidor, IPCA-15, e o Índice Geral de Preços – Mercado, IGP-M, de maio. Além disso sai o resultado do Governo Central de abril, que deve apresentar melhora. A discussão do Orçamento, das reformas e privatização da Eletrobras no Congresso também estão no radar.

A Aneel deve também definir a bandeira tarifária de junho, que será pressionada pela crise hídrica e impactará a inflação. Dados de atividade mais forte, com os números de emprego da PNAD de março do IBGE e do Caged de abril, e de crédito do BC de abril podem influenciar os mercados aqui.

Para conferir o Espresso na íntegra e outros conteúdos exclusivos, assine um dos planos do TC.

Texto: TC Mover
Edição: Lucia Boldrini e Letícia Matsuura
Arte: Vinícius Martins / TC Mover


Leia também

Sanita: É a hora da recuperação da Hermes Pardini (PARD3)?

Especial: “A Vaca e o Frango” traz escalada nos preços, volumes e apostas contra BRF

Vieira: Nem Eduardo Pazuello segura o avanço da pauta econômica

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais