TC Mover
Mover

Bolsas caem após recordes; no radar, ata do FOMC, PMI, inflação, orçamento: Espresso

Postado por: TC Mover em 06/04/2021 às 19:47

São Paulo, 6 de abril – As bolsas fecharam em ligeira queda nos Estados Unidos e no Brasil. Os investidores colocaram no bolso parte dos lucros do dia anterior e reforçaram a cautela, se preparando para a divulgação da ata do FOMC, Comitê Federal de Mercado Aberto, amanhã e para a participação do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, em evento na quinta-feira.


Mesmo com projeções do FMI, bolsas americanas se afastaram dos recordes

Nos Estados Unidos, os índices Dow Jones Industrials e S&P500 se afastaram dos recordes do dia anterior, apesar das projeções mais otimistas do Fundo Monetário Internacional, FMI, para a economia americana e dos ganhos de empresas ligadas à reabertura da atividade e controle da pandemia, como companhias aéreas e de cruzeiros marítimos.

Hoje, o presidente Joe Biden trouxe mais notícias animadoras para esses setores, ao anunciar que a partir de 19 de abril todos os americanos com mais de 16 anos poderão se inscrever para receber a vacina.

Joe Biden disse também que está preocupado com novas cepas. Contudo, ele espera que os Estados Unidos, no fim do verão, poderão estudar distribuir as sobras de vacinas para outros países.

Hoje, o governador da Califórnia disse que pretende reabrir as atividades no Estado até 15 de junho. Em meio a tantas boas notícias, o S&P500 chegou a bater nova máxima intradiária pela manhã, mas não conseguiu manter os ganhos e fechou o pregão em queda. Foi a primeira perda do S&P500 e do Nasdaq após três altas.


Inflação e atividade se destacam na agenda econômica

Na agenda amanhã, os destaques locais serão inflação e atividade. O Índice Geral de Preços – Disponibilidade interna, IGP-DI, de março deve desacelerar ligeiramente de 2,71% em fevereiro para 2,63%, nas estimativas da LCA Consultores. O acumulado em 12 meses, porém, aumentará de 29,95% para 31,23%, o que pode pressionar as taxas de juros futuras.

O Banco Central divulga amanhã também o Índice de Commodities de março, que deve continuar pressionado pelos preços e pela desvalorização do real. Já a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, Anfavea, trará os dados de produção de março, que devem mostrar o impacto da pandemia e da falta de peças.

Para conferir o Espresso na íntegra e outros conteúdos exclusivos, assine um dos planos do TC.

Texto: TC Mover
Edição: Letícia Matsuura
Arte: Vinícius Martins / TC Mover


Leia também

Programa de emprego será renovado “a qualquer momento”, diz Paulo Guedes

Entrevista exclusiva: Deputado Marcelo Ramos vê pressão contra Teto e Reforma Administrativa aprovada

Roberto Campos Neto mantém viés suave e cobra explicação clara sobre Orçamento

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais