TC Mover
Mover

Bolsas derretem com eleição EUA, vírus; no radar, Trump, emprego, relatório de inflação: Espresso

Postado por: TC Mover em 23/09/2020 às 19:58

As bolsas acentuaram as quedas no fim do pregão desta quarta-feira, 23, e terminaram em forte baixa, perto das mínimas, em Nova Iorque e no Brasil, após uma nova onda de preocupações com a pandemia de coronavírus, a falta de incentivos fiscais nos Estados Unidos e indicações de que a disputa presidencial americana pode terminar nos tribunais. A busca por proteção puxou o dólar para cima no mercado internacional e derrubou o rendimento dos Treasuries americanos e os preços das commodities e das moedas de emergentes.

Além da Europa, alguns Estados americanos, como Texas, Wisconsin Oklahoma e Colorado apresentam aumento das contaminações pelo vírus, o que amplia o temor de novas restrições, apesar das negativas do presidente Donald Trump. Os investidores também reduzem suas posições em papéis de tecnologia, embolsando os ganhos diante da incerteza sobre a sustentabilidade da retomada da economia nos próximos meses pelo risco de segundas ondas do vírus. O desenvolvimento de uma vacina é peça fundamental nesse quebra-cabeças, mas nem as notícias sobre avanços nas pesquisas da Johnson & Johnson e nos testes da chinesa no Brasil impediram a queda de hoje.

Voto e incentivo – A eleição americana também ganha mais destaque, com o presidente Trump atrás nas pesquisas e ameaçando ir à Justiça caso perca a votação, feita de maneira não convencional pelas restrições da pandemia. A disputa em torno da indicação de um nome para substituir a juíza da Suprema Corte Ruth Ginsburg, que morreu no fim de semana, também reduz as chances de aprovação de um pacote de ajuda no Congresso. Hoje, dirigentes do Federal Reserve voltaram a defender mais ajuda fiscal para empresas.

Fusões e IPO – No Brasil, a fusão entre Localiza e Unidas acendeu o alerta para outras operações do gênero diante das mudanças e dificuldades provocadas pelo coronavírus na economia, e que devem criar também oportunidades de compra, como mencionou hoje a Itaúsa. O cancelamento da abertura de capital da BR Partners, por sua vez, dá um sinal negativo para a onda de IPOs, colocada à prova pela queda do Ibovespa para os 95 mil pontos pela primeira vez desde julho. O menor apetite pode reduzir os preços das ofertas ou adiar aberturas.

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Experimente 7 dias grátis