Mover

Bolsas oscilam após ata do FOMC; no radar, emprego, estímulos, IGP-M: Espresso

Postado por: TC Mover em 17/02/2021 às 19:23
bolsas e empregos

São Paulo, 17 de fevereiro – As bolsas oscilaram hoje, com o Dow Jones Industrials registrando o segundo dia seguido de recordes de pontos, intradiário e de fechamento, enquanto S&P500 e Nasdaq terminaram o pregão em queda. No Brasil, o Ibovespa retomou os 120 mil pontos, ajustando-se após o feriado de Carnaval dos mercados locais. Em Nova Iorque, as bolsas reagiram às informações de que a Berkshire Hathaway, de Warren Buffett, estaria reduzindo aplicações em Apple e aumentando na Verizon e na Chevron. Com isso, as ações da empresa de telefonia e a petroleira puxaram o Dow Jones, enquanto as de tecnologia sofreram e derrubaram o S&P500 e o Nasdaq.


Ata do FOMC atenua queda das bolsas

A queda, também reflexo de um movimento de realização dos lucros das últimas semanas, foi atenuada pela ata do Comitê Federal de Mercado Aberto, FOMC, que indicou que o banco central americano deve manter os juros baixos e os estímulos via recompras de títulos mesmo com o aumento da inflação esperado pelo mercado.

A perspectiva de que a retomada da economia poderá pressionar os preços acima da meta do Federal Reserve fez os rendimentos dos Treasuries de dez anos atingirem ontem 1,3% ao ano, o maior nível em um ano, e provocou um aumento da aversão ao risco que derrubou os índices na abertura de hoje. Indicadores acima do esperado de vendas no varejo e de produção industrial acompanhados de inflação ao produtor mais alta divulgados hoje, reforçaram a preocupação com a inflação e o temor de uma mudança nas políticas do Federal Reserve.


Prévia do IGP-M e seguro-desemprego nos EUA estão no radar

Amanhã, o mercado deve continuar acompanhando os novos sinais de atividade, com destaque para os pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos. A forte nevasca que atingiu o Texas também estará no radar, ao mexer com os preços do petróleo e das commodities, em especial as proteínas, já que o Estado é um dos principais produtores de carnes do país. As discussões do pacote de ajuda no Congresso americano e o avanço da vacinação, que também foi afetado pela nevasca, também podem influenciar os mercados.

No Brasil, a agenda traz a segunda prévia de fevereiro do IPC da Fipe e do IGP-M, indicadores importantes de inflação. Para o IGP-M, a expectativa da LCA Consultores é de alta de 1,92%, desacelerando em relação aos 2,37% do mesmo período de janeiro, mas ainda elevada por conta dos preços no atacado, colocando o acumulado em 12 meses acima de 25%. A inflação em alta, a incerteza fiscal com o auxílio emergencial e o grande volume de vencimentos devem pressionar as taxas no leilão semanal do Tesouro amanhã.

Texto: TC Mover
Edição: Letícia Matsuura
Arte: TC Mover


Leia também

FOMC vê retomada ainda distante e manutenção de estímulos

Corleta: As commodities ainda têm espaço para subir mais?

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais