TC Mover
Mover

Bolsas sustentam rali; no radar, PMI, balanços, coronavírus, estímulos, IPCA-15, voto impresso: Espresso

Postado por: TC Mover em 22/07/2021 às 19:59
Bolsas nos EUA e no Brasil

São Paulo, 22 de julho – Depois da surpresa negativa pela manhã com os números de pedidos de seguro-desemprego nos EUA, as bolsas americanas reverteram as perdas à tarde e fecharam com pequenas altas. Mantiveram por um triz o rali iniciado na terça-feira, 20.

A expectativa de que o Federal Reserve vai manter por mais tempo os estímulos diante de sinais de recuperação irregular do mercado de trabalho, seguindo o exemplo do Banco Central Europeu, BCE, na reunião de hoje, e o otimismo com balanços de empresas positivos ajudaram a manter o apetite por ações.

Petróleo e juros mais baixos ajudaram as bolsas a manterem rali

A alta do petróleo, em meio a sinais de queda nos estoques durante o verão do Hemisfério Norte, e juros longos em queda nos EUA abriram espaço para as bolsas fecharem em alta nos EUA. Os destaques foram o Nasdaq 100 e o S&P500. Os índices foram favorecidos pela busca por papéis de tecnologia, vistos como porto seguro em caso de retomada das restrições e que podem mostrar bons números em seus balanços na semana que vem.

Outra boa notícia foi o avanço de um possível acordo entre democratas e republicanos no Congresso americano para a aprovação do pacote de infraestrutura de mais de US$1,2 trilhão na próxima semana. A alta das bolsas não foi mais forte pelo temor com a continuidade do crescimento dos casos de Covid-19 pela nova cepa Delta na Europa. A variante castiga especialmente o Reino Unido, mas atinge também os EUA, Austrália e Ásia. O Japão, em meio aos Jogos Olímpicos, também não é poupado.

Os rendimentos dos Treasuries de dez anos caíram durante o dia. Porém, se recuperaram no fim do pregão, para 1,277%, perto do nível de ontem, de 1,282% ao ano. Os de 30 anos caíram mais, de 1,93% ontem para 1,91%. O dólar se valorizou diante do euro depois de o BCE indicar que vai manter os estímulos monetários. A autarquia também vai ser mais tolerante com a inflação, o que favoreceu a alta de 0,10% do índice DXY. O Bitcoin subiu pelo segundo dia, 1,7%, para US$32,28 mil.

Cenário político pesa no Ibovespa e impulsiona dólar

No Brasil, o cenário político voltou a pesar nos mercados. Puxou o dólar e limitou a alta do Ibovespa, após notícia de que ministros militares teriam tentado pressionar o Congresso Nacional a aprovar o voto impresso, defendido pelo presidente Jair Bolsonaro. Além da tensão entre os poderes, os investidores acompanham os desdobramentos da reforma ministerial. A mudança aumentou a presença do Centrão no governo e reduziu o poder do ministro da Economia, Paulo Guedes.

Para conferir o Espresso na íntegra e outros conteúdos exclusivos, assine um dos planos do TC.

Texto: Mover
Edição: Letícia Matsuural
Arte: Vinícius Martins / Mover


Leia também

Multilaser (MLAS3) dispara 16% em estreia na bolsa

Governo corta projeção de rombo fiscal em 2021

Paulo Guedes diz que mudanças ministeriais favorecerão reformas

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais