TC Mover
Mover

Confira as ações mais recomendadas para novembro

Postado por: TC Mover em 05/11/2020 às 18:25

São Paulo, 05 novembro – Na expectativa de mais um mês conturbado na bolsa brasileira, as carteiras recomendadas tiveram ajustes pontuais em novembro. O ranking das ações eleitas dos analistas mudou pouco de outubro para este mês.

Segundo levantamento da TC Mover com 16 corretoras e bancos, no geral, as carteiras para novembro de 2020 seguem recheadas de papéis que ganham com a alta do dólar, commodities e varejistas ligadas ao comércio eletrônico. Muitos dos papéis foram citados devido aos balanços do terceiro trimestre ou boas perspectivas com os números.

Os setores bancário e de construção civil ganharam espaço, em meio à retomada da economia, enquanto frigoríficos caíram nas preferências.

Vale, B3 e Via Varejo se mantêm na liderança

A Vale se mantém como a favorita entre os analistas em novembro, aparecendo em 12 das 16 carteiras recomendadas de ações para o mês compiladas pela TC Mover. Preço atrativo e perspectivas de bom desempenho após forte balanço no terceiro trimestre motivaram as escolhas.

A B3 e a Via Varejo seguram a vice-liderança do ranking das preferidas das corretoras, integrando oito carteiras cada.

Gerdau, que ganhou espaço em outubro, segue no topo, com seis recomendações. Outro papel ligado às commodities, a unit da papeleira Klabin, é a estreante mais bem ranqueada de novembro, sendo citada por três corretoras.

O setor da construção voltou a elevar sua presença entre as eleitas. Depois da EzTec em outubro, quando passou a integrar o Ibovespa, este mês é a vez da MRV surgir em duas carteiras.

O setor bancário continua crescendo. O Bradesco PN permanece em seis carteiras, o Banco do Brasil ON agora está em quatro, a mesma quantidade do universo Itaú: duas corretoras recomendam ter a ação preferencial do banco e outras duas, a holding Itaúsa.

Os frigoríficos JBS e Marfrig ainda figuram entre as mais indicadas, mas reduziram sua presença. Já a Magazine Luiza subiu nas preferências.

“Continuamos fortemente expostos à construção e infraestrutura, via a siderúrgica Gerdau, incorporadora Cyrela e operadora de rodovias CCR. Também nos mantemos uma relativa grande exposição ao setor de telecomunicações, que consideramos extremamente barata, via TIM e Oi. No consumo/ varejo, nossa única exposição é por meio da player líder em comércio eletrônico, a Magazine Luiza”, detalha o BTG Pactual.

Arte: Vinícius Martins / TC

Motivos das recomendações

Preço atrativo, retomada do mercado, estratégia da empresa foram alguns dos fatores que contaram para a recomendação das ações pelas corretoras e bancos.

Vale (VALE3)

Preço atrativo e perspectivas de bom desempenho após forte balanço no terceiro trimestre explica a liderança do papel VALE3. “A mineradora deve continuar apresentando resultados sólidos com a ajuda de volumes fortes de vendas e preços ainda sólidos no mercado da China”, avalia a Terra Investimentos.

B3 (B3SA3)

A XP Investimentos observa que a equipe permanece otimista com a retomada do mercado de capitais, diante do quadro de taxas de juros mais baixas. “Apesar do cenário de ofertas públicas ter piorado em decorrência dos impactos do coronavírus nos mercados, esperamos ver IPOs e follow ons voltando em velocidade reduzida no segundo semestre de 2020”, afirma a Guide.

Via Varejo (VVAR3)

A Planner aposta na melhora dos resultados da Via Varejo, reflexo da reformulação implementada na empresa a partir do ano passado.

“A transformação digital e o expressivo crescimento do e-commerce compensaram grande parte da pressão imposta pela pandemia sobre o comércio varejista em geral. A empresa anunciou recentemente a antecipação da Black Friday que, a exemplo do ano passado, poderá ter um forte impacto nas vendas do quarto trimestre, sustentando a expectativa de bons resultados nos próximos trimestre”, avalia.

Hapvida (HAPV3)

Segundo a Socopa, a Hapvida deve continuar expandindo seus resultados operacionais no decorrer dos próximos exercícios de forma sólida.

“As principais frentes de crescimento da empresa no decorrer dos próximos exercícios são: via aquisições, principalmente de ativos na região Sudeste do país e via crescimento orgânico, com a companhia devendo capturar ganhos de sinergia em função das aquisições mais recentes realizadas pela empresa”, avalia.

Klabin (KLBN11)

Para o Santander, a Klabin está “bem posicionada para se beneficiar de macrotendências, como substituição de plástico descartável e crescimento do mercado de comércio eletrônico”.

Magazine Luiza (MGLU3)

De acordo com a Guide, a Magazine Luiza ainda deve crescer acima da média do setor de consumo.

“Destacamos a estratégia da Magalu que permanece na transformação de uma empresa de varejo tradicional com uma área digital para uma empresa digital com pontos físicos e capital humano, baseada nos pilares: inclusão digital, cadeia de logística alinhada à multicanalidade, digitalização das lojas, plataforma digital de vendas e cultura digital”, diz.

MRV (MRVE3)

A Mirae Asset que escolheu a MRV entre as duas dez preferidas no mês avalia que os “dados operacionais do terceiro trimestre foram significativos e esperamos um sólido resultado e o ambiente de juros e de inflação baixos são positivos para a empresa e para o setor de construção civil.

Itaú (ITSA4)

“Continuamos com as ações do Itaú-Unibanco em nossa carteira, mas agora através do investimento da holding Itaúsa. A Itaúsa, além de investir predominantemente no banco Itaú, também controla a Alpargatas, a Duratex e NTS, na área de gás. Assim mantemos a nossa confiança no banco, que já tem um vasto histórico de resiliência às turbulências do cenário político e econômico. Inclusive, nestes momentos de incerteza em que atualmente se encontra o Brasil, destaca-se ainda mais sua postura conservadora”, explica a Elite.

O que esperar para novembro?

Os primeiros pregões de novembro começaram bem para o Ibovespa, mas os analistas estão com uma “visão moderado pessimista” em relação ao mercado de ações no mês, com a chance de o índice repetir o fraco desempenho que teve na última eleição presidencial americana, em 2016.

Nos últimos 20 anos, o principal índice acionário brasileiro subiu em 11 deles. Mas, em novembro de 2016, quando ocorreu a eleição presidencial nos EUA, em que o atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disputou o cargo com Hillary Clinton, o Ibovespa fechou com queda de 4,64%, enquanto o S&P500 teve alta de 3,42%.

Para os analistas do BB Investimentos, o cenário tende a permanecer conturbado neste mês, com viés de baixa. O relatório cita vários focos de incerteza, como a corrida à Casa Branca e a segunda onda do coronavírus pela Europa, que poderá também ocorrer em outros continentes. Também há a indefinição no cenário fiscal. “O mercado não tem medo de notícia negativa, mas sim de escuro”, diz a Genial.

A Necton destaca que o mercado pode ser surpreendido positivamente em alguns aspectos como, por exemplo, no lado fiscal, com avanço das propostas de reformas estruturais e por uma melhora do ambiente externo, principalmente em torno do avanço da Covid-19 no continente europeu. Além disso, diz, os papéis, em média, se encontram com preços atrativos.

“Apesar das incertezas de curto prazo, mantemos o viés positivo, uma vez que os níveis atuais das taxas de juros devem continuar a impulsionar a realocação de ativos em andamento. Seguimos com a nossa projeção 110 mil pontos para o Ibovespa ao final deste ano”, afirma o Santander.

Diante disso, para o mês de novembro, a corretora continua “enxergando atratividade para a renda variável, especialmente para aqueles setores mais ‘atrasados’ em relação ao Ibovespa e com bons fundamentos”.

Carteiras recomendadas por cada corretora para novembro

Bradesco / Ágora Investimentos

* Entrou na carteira / Fonte: Ágora Investimentos

BB Investimentos

* Entraram na carteira / Fonte: BB Investimentos

BTG Pactual

* Entrou na carteira / Fonte: BTG Pactual

Elite Investimentos

Fonte: Elite Investimentos

Genial Investimentos

* Entraram na carteira / Fonte: Genial Investimentos

Guide Investimentos

* Entraram na carteira / Fonte: Guide Investimentos

Itaú BBA

Fonte: Itaú BBA

Mirae Asset

* Entraram na carteira / Fonte: Mirae Asset

Modalmais

* Entraram na carteira / Fonte: Modalmais

Necton

* Entraram na carteira/ Fonte: Necton

Planner

* Entraram na carteira / Fonte: Planner

Safra Corretora

* Entrou na carteira / Fonte: Safra Corretora

Santander

Fonte: Santander

Socopa

Terra Investimentos

Fonte: Terra Investimentos

XP Investimentos

* Entrou na carteira / Fonte: XP Investimentos

Texto: Bárbara Leite

Edição Letícia Matsuura

 

Imagem Nathália Reiter/TC

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais