TC Mover
Mover

Dalio vê padrão clássico de bolha e alerta sobre preços altos da dívida

Postado por: TC Mover em 16/03/2021 às 10:53
Dalio

São Paulo, 16 de março – O caixa é e continuará a ser lixo, ou seja, continuará a entregar retornos ao investidor significativamente abaixo da inflação, disse o legendário investidor Ray Dalio ontem. Ele sinalizou que seria melhor hoje pedir dinheiro emprestado e aplicá-lo em ativos de maior retorno que não sejam de renda fixa ou dolarizados.


Dalio alerta para possibilidade de controles de capital

Em artigo publicado na rede social LinkedIn, Dalio, que comanda o maior fundo hedge do mundo, disse que os títulos de dívida, assim como praticamente qualquer investimento denominado em dólares, parecem ter se tornado uma aposta ruim, por ora.

Dalio, forte crítico da estratégia de manter um caixa alto em meio ao aumento da inflação, disse no artigo que o racional por trás de investir em títulos de dívida em dólar se tornou “estúpido” e alertou sobre a possibilidade de altas bizarras nos impostos e controles de capital.


Bola de neve da dívida pública possui “padrão clássico de bolha”, analisa investidor

No artigo, Dalio também disse que a bola de neve da dívida pública mundo afora possui “dinâmica e padrão clássico de bolha”. Segundo ele, isto acontece também com muitas classes de ativos diferentes no momento. Ele recomenda uma carteira “bem diversificada” de ativos pouco correlacionados ao mercado de dívida ou ao dólar.

“Também acredito que os ativos nos países desenvolvidos terão desempenho inferior ao dos mercados dos países emergentes asiáticos, incluindo os chineses”, escreveu Dalio. Para ele, a dívida chinesa tem se tornado muito popular recentemente.

Os comentários de Dalio vêm após seu fundo, Bridgewater Associates, perder mais de US$12 bilhões no ano passado, quando os 20 maiores fundos de hedge do mundo colheram seus melhores retornos em uma década, graças à rápida recuperação das ações durante a pandemia. No entanto, Dalio ainda é o gestor de fundos de hedge de melhor desempenho de todos os tempos, com ganhos líquidos de US$ 46,5 bilhões desde o lançamento das estratégias da Bridgewater, que geria US$150 bilhões em recursos de terceiros até o final de janeiro.

Texto: Guillermo Parra-Bernal
Edição: Gustavo Boldrini e Letícia Matsuura
Arte: TC Mover


Leia também

NY pós-recordes mista antes de indicadores; inflação, Caged, pandemia: Espresso

Calendário Econômico: Juros, emprego, varejo

Especial: Bolsonaro não está levando o país à desordem institucional, diz ex-presidente Cardoso

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais