Mover

Déficit de US$5,4 bilhões em conta corrente em dezembro é o primeiro em oito meses

Postado por: TC Mover em 27/01/2021 às 16:57
Déficit

São Paulo, 27 de janeiro – O Brasil registrou déficit externo em transações correntes em dezembro de US$5,4 bilhões, informou hoje o Banco Central, o primeiro resultado negativo em oito meses. O número ficou abaixo da projeção do mercado, que era de um déficit de US$5,7 bilhões.

Com isso, o déficit acumulado em 2020 ficou em US$12,5 bilhões, ou 0,87% do Produto Interno Bruto, PIB, bem inferior aos US$50,7 bilhões, ou 2,7% do PIB, de 2019.

Importações afetaram déficit em transações

O resultado baixo no ano, menos de 1% do PIB, reflete a forte queda nas importações do país por conta da retração da atividade provocada pela pandemia, enquanto as exportações se mantiveram pela alta das commodities. A queda nos gastos com viagens internacionais também ajudou na redução do déficit em 2020.

Com isso, houve forte redução no déficit de renda primária no ano, de US$19,1 bilhões, e de serviços, de US$15,1 bilhões, enquanto o superávit da balança comercial subiu US$2,8 bilhões.

O déficit de dezembro se deu principalmente pelo aumento das importações, de 44,8% no mês, enquanto as exportações seguiram praticamente estáveis.

Saldo de investimentos diretos caiu 28% em relação a 2019

Por sua vez, os investimentos diretos no país alcançaram US$739 milhões, ante expectativa no mercado de US$3 bilhões. No ano, o saldo de investimentos diretos somou US$16,4 bilhões, queda de 28% em relação aos US$22,8 bilhões de 2019, também reflexo da maior aversão ao risco e à queda de atividade provocadas pela pandemia.

Para o mês de janeiro, o Banco Central projetou um déficit em transações correntes de US$8 bilhões e investimentos diretos de US$2,8 bilhões.

O país fechou o ano com reservas internacionais de US$355 bilhões, redução de apenas US$1,6 bilhão em relação a 2019. O BC vendeu no mercado de câmbio à vista US$24,8 bilhões e obteve US$3,6 bilhões em retornos de linhas.

Dólar sobe, seguindo mercado internacional

Por volta das 16h55, o dólar registrava alta de 0,92% em relação ao real, cotado a R$5,40, acompanhando o mercado internacional. O índice DXY, que mede a variação do dólar em relação a um grupo de moedas estrangeiras, ganhava 0,41%, em meio à maior aversão ao risco e o receio com restrições a exportações de vacinas e avanço da pandemia. No mesmo horário, a moeda americana subia 0,91%, a R$5,406 no mercado futuro da B3.

Texto: Guilherme Dogo
Edição: Angelo Pavini e João Pedro Malar
Arte: TC Mover

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais