TC Mover
Mover

Ibovespa tem segundo maior pregão da história com Magazine Luiza e Banco Inter

Postado por: TC Mover em 24/05/2021 às 19:02
Ibovespa chegou ao segundo maior patamar da história

São Paulo, 24 de maio – O Ibovespa fechou o pregão desta segunda-feira, 24, com alta de 1,17% aos 124,0 mil pontos. Este foi o segundo maior patamar da história, só atrás do fechamento de 8 de janeiro, quando o índice atingiu os 125,0 mil pontos, o recorde histórico. O volume somou R$21,458 bilhões.


Ações da Magazine Luiza (MGLU3) tiveram maior avanço desde 8 de abril, dando gás ao Ibovespa

Em pontos, as ações da Magazine Luiza (MGLU3) deram gás ao índice ao ganharem 7,93%, maior avanço desde 8 de abril. O papel da varejista surfou em meio à expectativa de prorrogação do auxílio emergencial, mas sobretudo pela alta do preço-alvo das ações pelo BTG Pactual para R$26 e a divulgação do ranking do BGG.

No ranking global, com 2.400 ações, a Magazine Luiza aparece como a companhia que mais gerou retorno aos acionistas no mundo todo. Entre 2016 e 2020, o índice foi de 226% por ano, em média.


Destaque percentual do dia ficou com o Banco Inter (BIDI11), após anúncio da Stone

Outros papéis atrelados ao digital, caso da Via (VVAR3), B2W (BTOW3), Lojas Americanas (LAME4) e da Locaweb (LWSA3), também terminaram com bom desempenho. A forte alta das ações de tecnologia nos EUA ajudou a contagiar o mercado local e o Ibovespa.

O grande destaque de alta percentual foram as units do Banco Inter (BIDI11), que escalaram expressivos 24,83%, maior salto de sua história. A alta ocorreu depois que a Stone anunciou que vai investir R$2,5 bilhões para comprar uma fatia de 4,99% do banco.


Petrobras (PETR4) subiu após alta do petróleo e ajudou a elevar o Ibovespa

Na esteira da alta do petróleo, a Petrobras (PETR4) também ajudou a levar o Ibovespa aos 124 mil pontos. A Vale (VALE3), apesar do recuo do minério, pelo apetite ao risco, fechou em alta.

Os papéis que mais pesaram e limitaram os ganhos foram os da siderúrgica Gerdau (GGBR4), pressionados pelo tombo do minério de ferro, da BRF (BRFS3), que realiza lucros após salto de 16% na última sexta-feira, 21, e da Suzano (SUZB3), com tombo do dólar.

Texto: Bárbara Leite
Edição: Cintia Thomaz e João Pedro Malar
Arte: TC Mover


Leia também

Banco Central vê “surpresas altistas” na inflação, diz Roberto Campos Neto

XP lança primeiro ETF ligado ao Nasdaq 100, de olho em techs

Vieira: Discussão do auxílio emergencial deve ser além do risco fiscal imediato

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais