Mover

Investidores veem criptomoedas com confiança e estratégicas a longo prazo

Postado por: TC Mover em 29/01/2021 às 12:59
Criptomoedas

São Paulo, 29 de janeiro – Enquanto 55% dos investidores apontam as criptomoedas como parte da estratégia de longo prazo, 31% as acham atrativas pelas oportunidades de negociação de curto prazo, segundo a Binance Research, em estudo realizado com mais de 61 mil usuários das moedas digitais denominado “2021 Global Crypto User Index”. A confiança nos criptoativos é apontada por 97% dos investidores pesquisados e 38% disseram que a desconfiança no sistema financeiro atual é um dos motivos para aplicar nas moedas digitais.

A depreciação do dólar no exterior, inclusive diante de moedas como o euro, por conta do forte aumento do déficit público americano com os gastos para conter o coronavírus, favorecem as criptomoedas. Elas são vistas como uma alternativa para proteção do valor real do dinheiro. Assim, em caso de uma forte alta da inflação nos países desenvolvidos, que desvalorizaria as moedas, as criptomoedas se valorizariam.

A pesquisa aponta ainda que, embora 39% dos criptoativos sejam mantidos como reserva, eles são a principal fonte de rendimento de 15% dos investidores participantes. As criptomoedas também são usadas para depósito, empréstimos e pagamentos.

 

Bitcoin continua sendo a criptomoeda preferida

 

Entre as criptomoedas, o Bitcoin continua sendo o preferido. O rali da moeda digital começou nos últimos meses de 2020, chegando a registrar rendimento superior a 400% no ano.

Em meio a essa onda, a Coinbase, a maior bolsa de negociação de criptomoedas, entregou ao órgão regulador dos mercados americanos, a Securities and Exchange Commission, SEC, pedido de oferta pública inicial de ações, IPO.

Além do rali da pioneira das criptomoedas, as aplicações DeFi estão ganhando espaço. Dos investidores participantes do estudo, 66% afirmaram usar dApps.

 

Riscos de investir em criptomoedas

 

Apesar da atratividade e de sua crescente demanda, o Bitcoin possui muita volatilidade, ou seja, sua cotação tem grandes flutuações em curtos períodos, parte do motivo de não ter decolado como meio de pagamento global. Além disso, os movimentos erráticos de mercado, a possibilidade de roubo de registros de criptomoedas por hackers e a suspeita de manipulação de mercado também fazem parte do risco do investimento.

Muitas operações envolvendo criptomoedas são realizadas de forma não regulamentada, com riscos operacionais e regulatórios. É possível encontrar diversos casos em que o dinheiro simplesmente some, é roubado por um hacker ou o investidor sofre um golpe financeiro.

Fabrício Tota, diretor da Mercado Bitcoin, considera que, mesmo com o crescimento dos investimentos, as criptomoedas continuarão com alta volatilidade. Mas a tendência, segundo ele, é que a alta na adesão transforme a criptomoeda em um ativo convencional no futuro. Confira a entrevista exclusiva de Tota à TC Mover.

 

O que é Bitcoin?

 

 

O Bitcoin foi criado em 2009, sendo o pioneiro das criptomoedas. A moeda virtual foi criada para o envio e recebimento de valores online sem limitações de território ou quantia. Ela pode ser usada também como reserva de valor e é independente do atual mercado financeiro. Para entender mais, leia o artigo sobre Bitcoin da TC School.

Texto: Letícia Matsuura
Edição: Leandro Tavares e Angelo Pavini
Arte: Vinícius Martins / TC

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais