Mover

IPCA tem maior alta desde 2002; alimentos e transporte puxam inflação

Postado por: TC Mover em 06/11/2020 às 18:15

São Paulo, 06 de novembro – O Índice de Preços ao Consumidor Amplo, IPCA, considerado o índice oficial da inflação pelo Banco Central, subiu 0,86% em outubro, a maior alta para o mês desde 2002. Em setembro, o índice havia subido 0,64%. A alta dos alimentos e do transporte puxaram a inflação do mês.

No acumulado do ano, o IPCA já subiu 2,2% e em 12 meses, o índice acumulou alta de 3,92%, abaixo da meta de inflação do BC para este ano, de 4,0%, mas acima da meta do ano que vem, que será de 3,75%. Em outubro do ano passado, o IPCA aumentou 0,10%, bem abaixo do dado divulgado hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE.

Alimentação e transporte somam 70% da alta do IPCA

O IPCA é calculado de acordo com os preços de um conjunto de produtos e serviços mais consumidos pelas famílias de renda entre 1 e 40 salários-mínimos. Os preços são coletados entre os dias 1º e 30 ou 31 de cada mês. 

Os alimentos e as bebidas são o grupo que lidera o ranking de preços de outubro, com aumento de 1,93% e impacto de 0,39 ponto percentual no IPCA do mês. Em seguida, estão os artigos de residência, que subiram 1,53%, mas tiveram pouco impacto na inflação, 0,06 ponto. Já os transportes passaram a custar em média 1,19% a mais em outubro. Juntos, alimentação e transporte são responsáveis por mais de 70% do impacto do IPCA, segundo o IBGE. 

Alguns dos alimentos para consumo no domicílio aumentaram o preço em outubro com menos intensidade que em setembro. O arroz subiu 13,36% e o óleo de soja, 17,44% em outubro. No mês anterior, as altas foram de 17,98% e 27,54%, respectivamente. Alguns alimentos reduziram o preço, como a cebola, com -12,57%, e a cenoura, que caiu 6,36%.

O tomate, porém, registrou alta maior que em setembro, passando de 11,72% para 18,69%. A batata-inglesa, que caiu em setembro, aumentou 17,01% em outubro.

Região Norte lidera inflação

O IPCA subiu em outubro nas 16 capitais pesquisadas. As duas capitais com as maiores altas pertencem à região Norte. Rio Branco, capital do Acre, teve inflação de 1,19% e Belém do Pará, 1,18%. São Paulo está na nona posição, com alta de 0,89%.

Fonte: IBGE

Texto: Letícia Matsuura
Edição: Angelo Pavini
Imagem: Nathália Reiter/TC

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais